EXA­GE­RO

Até ago­ra, o pre­si­den­te já en­vi­ou 78 me­di­das pro­vi­só­ri­as ao Con­gres­so Na­ci­o­nal, uma mé­dia de uma MP a ca­da 6,64 dias

Folha de Londrina - - Primeira Página - Lo­ren­na Ro­dri­gues e Edu­ar­do Ro­dri­gues Agência Es­ta­do

Pro­por­ci­o­nal­men­te, Te­mer já en­vi­ou mais me­di­das pro­vi­só­ri­as ao Con­gres­so Na­ci­o­nal do que ex­pre­si­den­tes pe­tis­tas

Brasília - Com 520 dias na Pre­si­dên­cia des­de o afas­ta­men­to da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff, em maio do ano pas­sa­do, o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer já en­vi­ou 78 me­di­das pro­vi­só­ri­as ao Con­gres­so Na­ci­o­nal. Com uma mé­dia de uma MP en­ca­mi­nha­da a ca­da 6,64 dias, Te­mer en­vi­ou pro­por­ci­o­nal­men­te mais me­di­das do que seus an­te­ces­so­res.

O ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Silva, que também foi cri­ti­ca­do pelo ex­ces­so de me­di­das pro­vi­só­ri­as, man­dou ao Con­gres­so Na­ci­o­nal uma MP a ca­da 6,99 dias em seus oi­to anos na Pre­si­dên­cia. Já Dil­ma te­ve uma mé­dia me­nor, com uma a ca­da 9,64 dias.

A mé­dia do ex-pre­si­den­te Fer­nan­do Hen­ri­que Car­do­so fi­cou bem aci­ma de seus su­ces­so­res: uma MP a ca­da 1,94 dia em seus dois man­da­tos. A mai­o­ria, no en­tan­to, foi edi­ta­da an­tes das mu­dan­ças pro­mo­vi­das por uma emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal pro­mul­ga­da em 2001, que res­trin­giu o uso do ins­tru­men­to. Fi­cou proi­bi­da, por exem­plo, a re­e­di­ção ili­mi­ta­da de me­di­das, a edi­ção de me­di­das pa­ra al­te­ra­ção or­ça­men­tá­ria (sal­vo em ca­so de ur­gên­cia) e ins­ti­tui­ção ou ma­jo­ra­ção de im­pos­tos.

Na úl­ti­ma ter­ça (10), em em­ba­te com o pre­si­den­te Te­mer, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia, dis­se que não vo­ta­ria mais ne­nhu­ma MP en­quan­to não for al­te­ra­do o ri­to de tra­mi­ta­ção des­se ins­tru­men­to no Con­gres­so Na­ci­o­nal.

Pa­ra o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co Ra­fa­el Cor­tez, da Ten­dên­ci­as mais for­ça”, ava­lia.

Es­se con­tex­to, acres­cen­ta Cor­tez, abre es­pa­ço pa­ra que as me­di­das en­vi­a­das pelo Executivo se­jam to­tal­men­te des­fi­gu­ra­das pelo par­la­men­to, a exem­plo do Re­fis e da re­o­ne­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­tos. “Nes­sa si­tu­a­ção, o go­ver­no aca­ba ten­do que ce­der de­mais, ou pre­fe­re op­tar por dei­xar ca­du­car as me­di­das. Só que, di­fe­ren­te­men­te de um pro­je­to de lei, uma me­di­da pro­vi­só­ria ge­ra mais ex­pec­ta­ti­va por ter vi­gên­cia ime­di­a­ta. Lo­go, o cus­to de uma não apro­va­ção ou de uma de­sis­tên­cia é mui­to mai­or”, com­ple­ta.

Ain­da as­sim, o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co acre­di­ta que Ro­dri­go Maia não de­ve cum­prir ao pé da le­tra a ame­a­ça de não mais pau­tar em ple­ná­rio as MPs en­vi­a­das pelo go­ver­no ao Con­gres­so. “O tom do pre­si­den­te da Câ­ma­ra tem mui­to a ver com ques­tões pen­den­tes ain­da da vo­ta­ção da pri­mei­ra de­nún­cia con­tra Te­mer. É pre­ci­so sa­ber in­clu­si­ve até que pon­to Maia po­de bar­rar as me­di­das ca­so ele de­ci­da de fa­to não co­lo­cá-las em vo­ta­ção”, con­clui.

Em oi­to anos, o ex-pre­si­den­te Lu­la man­dou uma MP a ca­da 6,99 dias; mé­dia de Dil­ma foi de uma a ca­da 9,64 dias Con­sul­to­ria, o exa­ge­ro do go­ver­no Mi­chel Te­mer na edi­ção de me­di­das pro­vi­só­ri­as se de­ve à pres­são do ce­ná­rio econô­mi­co, que exi­ge ve­lo­ci­da­de na re­cons­tru­ção de uma agen­da econô­mi­ca ten­do em vis­ta a ne­ces­si­da­de de ajus­te fis­cal. Por outro la­do, o en­fra­que­ci­men­to po­lí­ti­co do go­ver­no em meio à vo­ta­ção de de­nún­ci­as con­tra o pre­si­den­te tem atra­pa­lha­do a co­or­de­na­ção das li­de­ran­ças com a ba­se go­ver­nis­ta.

“O ins­tru­men­to da me­di­da pro­vi­só­ria fun­ci­o­na bem quan­do o go­ver­no tem mais con­tro­le so­bre a ba­se ali­a­da. Mas, nes­te mo­men­to de en­fra­que­ci­men­to po­lí­ti­co do go­ver­no Te­mer, di­ver­sos gru­pos po­lí­ti­cos bus­cam au­men­tar seu po­der de bar­ga­nha, e con­fli­tos não re­sol­vi­dos de vo­ta­ções an­te­ri­o­res apa­re­cem ago­ra com

Val­ter Cam­pa­na­to/Agência Bra­sil

Pa­ra ana­lis­ta, os ex­ces­sos de Mi­chel Te­mer na edi­ção de MPs de­ve-se à pres­são do ce­ná­rio econô­mi­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.