Sem MP, País não vai ter Fi­es em 2018, diz re­la­tor

Folha de Londrina - - Política - Edu­ar­do Ro­dri­gues, Carla Araú­jo e Fa­brí­cio de Castro Agência Es­ta­do

Maia sa­be da im­por­tân­cia do Fi­es pa­ra o País”

Brasília - Após o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), ter ame­a­ça­do não co­lo­car mais em vo­ta­ção as me­di­das pro­vi­só­ri­as do go­ver­no Mi­chel Te­mer, o re­la­tor da MP 785 - da re­for­ma do Fi­es -, Alex Can­zi­a­ni (PTBPR), de­fen­deu na quar­ta-feira (11) a ur­gên­cia e a re­le­vân­cia de se apro­va­rem as mu­dan­ças pro­pos­tas no pro­gra­ma de fi­nan­ci­a­men­to es­tu­dan­til.

“Acre­di­to que o pre­si­den­te Ro­dri­go Maia fez uma crí­ti­ca às MPs que não são ur­gen­tes ou re­le­van­tes. Mas, se não apro­var­mos a MP do Fi­es, não vai ter o pro­gra­ma em 2018”, aler­tou o re­la­tor. “Maia sa­be da im­por­tân­cia do Fi­es pa­ra o País”, acres­cen­tou.

Se for ne­ces­sá­rio, Can­zi­a­ni irá pro­cu­rar pes­so­al­men­te Ro­dri­go Maia pa­ra pe­dir que o pre­si­den­te da Casa pau­te a MP. “Tra­ta-se de uma me­di­da mui­to im­por­tan­te não ape­nas pa­ra o Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção - do mi­nis­tro Men­don­ça Fi­lho, que é do par­ti­do de Maia -, mas pa­ra to­do o en­si­no su­pe­ri­or do País.”

O re­la­tor da MP 795 - que mu­da a tri­bu­ta­ção do se­tor de pe­tró­leo -, de­pu­ta­do Ju­lio Lo­pes (PP-RJ), também de­fen­deu a vo­ta­ção da me­di­da que re­es­tru­tu­ra o Re­pe­tro com in­cen­ti­vos tri­bu­tá­ri­os pa­ra a ca­deia pe­tro­lí­fe­ra. “É fun­da­men­tal pa­ra o se­tor que te­nha­mos re­gras tri­bu­tá­ri­as cla­ras pa­ra tra­zer mais se­gu­ran­ça ju­rí­di­ca. Co­nhe­cen­do a res­pon­sa­bi­li­da­de do pre­si­den­te Ro­dri­go Maia com o Bra­sil e com o Es­ta­do do Rio de Janeiro, não ve­jo co­mo ele não iria con­du­zir os tra­ba­lhos em prol da apro­va­ção des­sa me­di­da.”

LE­NI­ÊN­CIA

Após o re­vés po­lí­ti­co so­fri­do no ple­ná­rio da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos na ter­ça-feira (10), o Ban­co Cen­tral (BC) ain­da ten­ta­va na quar­ta-feira pe­la ma­nhã re­ver­ter o fra­cas­so da vo­ta­ção da Me­di­da Pro­vi­só­ria 784, que per­mi­te ao go­ver­no fe­char acor­dos de le­ni­ên­cia com ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras.

Os di­re­to­res de Re­la­ci­o­na­men­to Ins­ti­tu­ci­o­nal, Isa­ac Sid­ney, e de Or­ga­ni­za­ção do Sis­te­ma Fi­nan­cei­ro, Sid­nei Cor­rêa Mar­ques, fo­ram até o Pa­lá­cio do Pla­nal­to pa­ra uma reu­nião com o mi­nis­tro-che­fe da Casa Ci­vil, Eliseu Pa­di­lha. A in­ten­ção era dis­cu­tir os pró­xi­mos pas­sos, de­pois que Ro­dri­go Maia in­di­cou que não pre­ten­de mais pau­tar a MP, que ca­du­ca no dia 19.

Pa­ra pi­o­rar, Maia in­di­cou que não pre­ten­de mais pau­tar MPs na Casa até que se­ja vo­ta­da uma Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) que re­gu­la­men­ta me­di­das pro­vi­só­ri­as. O BC ain­da ten­ta­va nes­ta quar­ta al­gum ar­ran­jo com o Pla­nal­to pa­ra con­ven­cer Maia a vo­tar a MP. Fon­tes do Pa­lá­cio, no en­tan­to, vi­am pou­co es­pa­ço pa­ra isso.

Re­sul­ta­do de anos de es­tu­dos den­tro da ins­ti­tui­ção, a pro­pos­ta foi al­vo de crí­ti­cas. A ini­ci­a­ti­va foi vis­ta por se­to­res da opo­si­ção e do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral (MPF) co­mo uma ten­ta­ti­va do go­ver­no de blin­dar as ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras con­tra a Ope­ra­ção La­va Ja­to, que na épo­ca se apro­xi­ma­va de ban­cos.

Gilmar Fé­lix/Agência Câ­ma­ra

Alex Can­zi­a­ni de­fen­de a ur­gên­cia de se apro­va­rem as mu­dan­ças pro­pos­tas no pro­gra­ma de fi­nan­ci­a­men­to es­tu­dan­til

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.