Se­cre­tá­ri­os de Be­li­na­ti re­co­nhe­cem in­su­fi­ci­ên­cia de ser­vi­ços pú­bli­cos

Folha de Londrina - - Política - Lo­ri­a­ne Co­me­li Re­por­ta­gem Lo­cal

Os se­cre­tá­ri­os de Am­bi­en­te, Obras e Saúde re­co­nhe­cem que ser­vi­ços pú­bli­cos pres­ta­dos por meio de su­as pas­tas são in­ca­pa­zes de aten­der as ne­ces­si­da­des da po­pu­la­ção de Lon­dri­na e re­sul­tam nos al­tos ín­di­ces de in­sa­tis­fa­ção re­ve­la­dos pe­la pes­qui­sa Mul­ti­cul­tu­ral, FOLHA e Pai­que­rê AM, di­vul­ga­da na quar­ta-fei­ra pas­sa­da (25). Os ser­vi­ços mais cri­ti­ca­dos são a po­da de ár­vo­res, o as­fal­to e o aten­di­men­to à saúde.

A se­cre­tá­ria do Am­bi­en­te, Ro­ber­ta Qu­ei­roz, dis­se que a de­mo­ra pa­ra aten­der pe­di­dos de po­da ou er­ra­di­ca­ção de ár­vo­res é um pro­ble­ma re­cor­ren­te, que se acu­mu­la des­de 2005, mas que me­di­das es­tão sen­do ado­ta­das pa­ra dar va­zão às so­li­ci­ta­ções. “Des­de que as­su­mi­mos fi­ze­mos pro­fun­das al­te­ra­ções in­ter­nas pa­ra aten­der a es­sa de­man­da, mas por con­ta dos nos­sos re­cur­sos es­cas­sos os avan­ços ain­da não são sen­ti­dos pe­la co­mu­ni­da­de.” Dos 602 en­tre­vis­ta­dos pe­lo Mul­ti­cul­tu­ral en­tre 20 e 23 de ou­tu­bro, 78% dis­se­ram es­tar in­sa­tis­fei­tos ou mui­to in­sa­tis­fei­tos com a po­da.

Se­gun­do a se­cre­tá­ria, o Am­bi­en­te é “a pas­ta com me­nos re­cur­sos e a se­gun­da com mais de­man­da de ser­vi­ços” e a fal­ta de mão de obra é “prin­ci­pal gar­ga­lo”. “São ape­nas três po­da­do­res na nos­sa equi­pe e as po­das são fei­tas de for­ma ar­cai­ca, pois não te­mos os equi­pa­men­tos necessários.” Ro­ber­ta ain­da men­ci­o­nou pe­di­dos in­fun­da­dos em que não há ne­ces­si­da­de de po­da ou er­ra­di­ca­ção da ár­vo­re. Nes­te ano, dis­se a se­cre­tá­ria, 8.426 pe­di­dos de po­da e er­ra­di­ca­ção fo­ram aten­di­dos, mas a fi­la ain­da tem ou­tros 7,5 mil re­que­ri­men­tos. En­tre as me­di­das pa­ra di­mi­nuir o tem­po de es­pe­ra, ela ci­tou um es­tu­do pa­ra ter­cei­ri­zar a exe­cu­ção do ser­vi­ço.

O se­gun­do lu­gar na lis­ta de in­sa­tis­fa­ção do lon­dri­nen­se é o as­fal­to – 70,5% dos en­tre­vis­ta­dos se di­zem in­sa­tis­fei­tos ou mui­to in­sa­tis­fei­tos com a qua­li­da­de do pa­vi­men­to de ru­as e ave­ni­das. O se­cre­tá­rio de Obras, João Ver­ço­sa, dis­se que o ín­di­ce de in­sa­tis­fa­ção “re­fle­te exa­ta­men­te a si­tu­a­ção da ci­da­de, que não te­ve os cui­da­dos ade­qua­dos nos úl­ti­mos anos”. O an­te­ces­sor de Ver­ço­sa, Fer­nan­do Tu­nou­ti, em ju­nho, afir­mou que me­ta­de dos 2,5 mil quilô­me­tros de ma­lha as­fál­ti­ca de Lon­dri­na pre­ci­sa­va de re­ca­pe.

O atu­al se­cre­tá­rio dis­se que su­as equi­pes tra­ba­lham em du­as fren­tes: o ta­pa-bu­ra­cos, quando a qua­li­da­de da via per­mi­te; e re­ca­pe, quando o as­fal­to es­tá pre­cá­rio. Além dis­so, a in­ten­ção é, em bre­ve, uti­li­zar o cha­ma­do mi­cro­as­fal­to em ave­ni­das e ru­as com boa qua­li­da­de de as­fal­to. “É uma es­pé­cie de ca­pa que im­per­me­a­bi­li­za a via, au­men­tan­do mui­to a vi­da útil do as­fal­to, o que pre­vi­ne que no­vos bu­ra­cos se for­mem. É o mes­mo ma­te­ri­al usa­do em ro­do­vi­as.” Se­gun­do o se­cre­tá­rio, o pre­fei­to con­se­guiu re­cur­sos pa­ra es­te pro­ce­di­men­to. “As coi­sas vão co­me­çar a me­lho­rar.” Ele dis­se que en­tre as di­fi­cul­da­des atu­ais, além da fal­ta de re­cur­sos, es­tá a pre­ca­ri­da­de da fro­ta. “De 12 ca­mi­nhões, dez es­tão pa­ra­dos.”

Em ter­cei­ro lu­gar no ran­king dos ser­vi­ços pi­or ava­li­a­dos, com 70% de re­pro­va­ção, es­tá o aten­di­men­to à saúde. Pa­ra o se­cre­tá­rio Fe­lip­pe Ma­cha­do, “a pes­qui­sa é um si­nal de aler­ta” e re­tra­ta as di­fi­cul­da­des do se­tor. “Há uma fi­la de es­pe­ra de 20 mil ci­rur­gi­as ele­ti­vas e de 105 mil con­sul­tas es­pe­ci­a­li­za­das”, enu­me­rou. “Es­ta­mos tra­ba­lhan­do pa­ra dar va­zão a es­sa de­man­da, pa­ra me­lho­rar o aten­di­men­to e já ob­ti­ve­mos bons re­sul­ta­dos.” Um de­les se­ria a di­mi­nui­ção da es­pe­ra pa­ra aten­di­men­to de ur­gên­cia e emer­gên­ci­as nas uni­da­des de pron­to aten­di­men­to, com PAI, UPAs e uni­da­des do Jar­dim Le­o­nor, Ma­ria Ce­cí­lia, União da Vi­tó­ria. “No ho­rá­rio de pi­co, a de­mo­ra era de 10, 12 ho­ras. Fi­ze­mos ade­qua­ções e re­du­zi­mos pa­ra 4, 5 ho­ras. Fo­ra do ho­rá­rio de pi­co, a de­mo­ra mé­dia é 2h30.”

Se­gun­do Ma­cha­do, es­tão sen­do vi­a­bi­li­za­dos re­cur­sos pa­ra re­for­ma de uni­da­des, pa­ra a con­tra­ta­ção de mé­di­cos e pro­fis­si­o­nais da saúde e a in­ten­ção é am­pli­ar re­cur­sos e ações pa­ra me­lho­rar a atenção bá­si­ca. “Es­tá lon­ge do ide­al, mas te­mos fei­to um tra­ba­lho in­ten­so.”

(Co­la­bo­rou Gui­lher­me Mar­co­ni)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.