Sau­da­des da ou­tra Lon­dri­na!

Folha de Londrina - - Opinião - ADONIRO PRIETO MATHIAS (con­ta­bi­lis­ta) – Lon­dri­na

Po­de­rão di­zer que sou sau­do­sis­ta. Vou acei­tar e di­zer que além de ser sau­do­sis­ta sou re­a­lis­ta. A Lon­dri­na que con­vi­vo há mais de 60 anos já não é a mes­ma. Nem po­de­ria ser. A ci­da­de cres­ceu, a po­pu­la­ção au­men­tou, os nos­sos po­lí­ti­cos já não ad­mi­nis­tram pe­la ci­da­de, mas sim pe­los in­te­res­ses par­ti­cu­la­res e dos seus par­ti­dos, além de mui­tos se­rem cor­rup­tos e sa­fa­dos. Na con­di­ção de mu­ní­ci­pe cum­pri­dor dos meus de­ve­res não ve­jo res­pei­to dos nos­sos po­lí­ti­cos pe­los di­rei­tos que te­mos co­mo ci­da­dãos pa­ga­do­res de al­tís­si­mos im­pos­tos. Há mui­to tem­po que a nos­sa ad­mi­nis­tra­ção não tem pre­o­cu­pa­ção com os nos­sos di­rei­tos. Já não po­de­mos ir e vir sem que não se­ja­mos mo­les­ta­dos nos se­má­fo­ros e nas cal­ça­das por to­do ti­po de ven­de­do­res, por ca­melôs e pe­din­tes. Os fla­ne­li­nhas to­ma­ram con­ta da ci­da­de atu­an­do até em pon­tos que exis­te a Zo­na Azul. As fa­mí­li­as não des­fru­tam das nos­sas pra­ças que fo­ram to­ma­das por dro­ga­dos, mo­ra­do­res de rua, ma­lan­dros de to­da es­pé­cie, den­tre ou­tros. Per­gun­to: Qual o tra­ba­lho que es­tá sen­do fei­to nes­ta ad­mi­nis­tra­ção pa­ra que pos­sa­mos ter uma Lon­dri­na me­nos pi­or pa­ra se mo­rar. Com a pa­la­vra o nos­so pre­fei­to e ve­re­a­do­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.