CA­MI­CA­DO

Re­de com­pra­da pe­lo gru­po Ren­ner em 2011 ven­ce ca­te­go­ria es­tre­an­te ci­ta­da por 27% das mu­lhe­res

Folha De S.Paulo - Saopaulo - - Índice #337 - por Gi­sel­le Hi­ra­ta

Faz par­te da tra­di­ção do ca­sa­men­to so­nhar com o ves­ti­do de noi­va, com a fes­ta… e por que não com to­dos os itens da ca­sa no­va? Com mais de 35 anos no mer­ca­do, a Ca­mi­ca­do des­pon­ta co­mo a pre­fe­ri­da no que­si­to lo­ja de pre­sen­tes de ca­sa­men­to, com 22%, se­gun­do pes­qui­sa Da­ta­fo­lha. A re­de se des­ta­ca, prin­ci­pal­men­te, no cen­tro e na zo­na nor­te pau­lis­ta­na, com 29% das men­ções nas du­as re­giões, e en­tre os que re­ce­bem en­tre 10 e 20 sa­lá­ri­os mí­ni­mos (32%). Tam­bém ob­te­ve al­to ín­di­ce en­tre os que têm cur­so su­pe­ri­or (29%).

O di­fe­ren­ci­al da mar­ca, de acor­do com An­dré Oli­vei­ra, ge­ren­te-ge­ral de no­vos ne­gó­ci­os da Ca­mi­ca­do, são as co­le­ções ex­clu­si­vas cri­a­das pe­la re­de e voltadas para di­fe­ren­tes per­fis.

“No mo­men­to, es­ta­mos com a li­nha de in­ver­no, que apos­ta em se­te co­le­ções ba­se­a­das em três ‘li­festy­les’. Elas vi­sam con­tem­plar os di­fe­ren­tes gos­tos e es­ti­los dos cli­en­tes e são ba­se­a­das em ten­dên­ci­as”, ex­pli­ca o exe­cu­ti­vo.

A lo­ja nas­ceu na dé­ca­da de 1980, quan­do os ir­mãos ja­po­ne­ses Mi­no­lu, Ma­ria e Ma­riê Ca­mi­ca­do, fei­ran­tes, de­ci­di­ram abrir uma lo­ja na rua 25 de Mar­ço. Em 1981, co­me­ça­ram a ven­der brin­que­dos, uten­sí­li­os do­més­ti­cos e ar­ti­gos de fes­ta.

O pri­mei­ro em­pre­en­di­men­to só com pro­du­tos para ca­sa foi aber­ta em 1987, no Lar Cen­ter. Em 2011, a re­de foi com­pra­da pe­lo gru­po Ren­ner.

Ten­do o ser­vi­ço de lis­ta de pre­sen­tes co­mo um de seus prin­ci­pais ne­gó­ci­os, a Ca­mi­ca­do ofe­re­ce du­as pos­si­bi­li­da­des aos noi­vos: a per­so­na­li­za­da, com pro­du­tos se­le­ci­o­na­dos, e a cré­di­to, que per­mi­te que o ca­sal con­ver­ta os va­lo­res de to­dos os itens re­ce­bi­dos em um mon­tan­te em di­nhei­ro que po­de ser uti­li­za­do em qu­al­quer lo­ja da re­de —os noi­vos não pre­ci­sam le­var to­dos os pre­sen­tes que ga­nha­ram e po­dem, por exem­plo, jun­tar os pre­ços de vá­ri­os pre­sen­tes mais ba­ra­tos e tro­car por um mais ca­ro.

A lo­ja, no en­tan­to, não es­tá vol­ta­da ape­nas para o gran­de mo­men­to do ca­sa­men­to. Di­ver­sos ou­tros even­tos que mar­cam o an­tes e o de­pois do “sim” fa­zem par­te o car­dá­pio de pro­du­tos ofe­re­ci­dos, co­mo lis­tas de chá de co­zi­nha, chá-bar, bo­das e “open hou­se”.

Atu­al­men­te, a re­de tem 90 lo­jas es­pa­lha­das pe­lo Bra­sil e pla­nos para cres­cer: pre­ten­de fe­char o ano com 98 pon­tos.

“A ci­da­de re­ce­be­rá uma no­va uni­da­de no se­gun­do se­mes­tre, no shop­ping Jar­dim Pam­plo­na. Com a no­va lo­ja do shop­ping Igua­te­mi Alpha­vil­le, com­ple­ta­mos 25 lo­jas em São Pau­lo e na Gran­de São Pau­lo”, diz Oli­vei­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.