LIN­DO GA­RO­TO DE BER­LIM

Kit reú­ne dis­cos de qu­an­do Bowie vi­veu na Ale­ma­nha

Folha De S.Paulo - Saopaulo - - P - por Tha­les de Me­ne­zes

Em di­as de frio, uma boa cai­xa de mú­si­cas pre­en­che uma tar­de em ca­sa. Prin­ci­pal­men­te no ca­so de uma óti­ma cai­xa co­mo a re­cém-lan­ça­da “A New Ca­re­er in a New Town (1977-1982)”, o ter­cei­ro da sé­rie de bo­xes re­tros­pec­ti­vos que vão en­glo­bar a car­rei­ra de Da­vid Bowie (1947-2016).

A cai­xa su­ce­de “Fi­ve Ye­ars (19691973)” e “Who Can I Be Now? (19741976)”. Reú­ne to­dos os ál­buns lan­ça­dos por Bowie en­tre 1977 e 1980, além de mui­to ma­te­ri­al al­ter­na­ti­vo e li­vro de 84 pá­gi­nas. Com ver­sões em 13 LPs ou 11 CDs, po­de ser im­por­ta­da por pre­ços que va­ri­am de R$ 600 a R$ 900.

No fi­nal de 1976, de­pois de al­guns me­ses na Suí­ça que fo­ram es­sen­ci­ais pa­ra apla­car um pou­co seu ví­cio em co­caí­na, Bowie alu­gou um apar­ta­men­to em Ber­lim. Iggy Pop e Bri­an Eno eram pre­sen­ças cons­tan­tes. Bowie e Iggy ex­cur­si­o­na­vam jun­tos pe­la Eu­ro­pa na épo­ca, e o apar­ta­men­to era seu quar­tel­ge­ne­ral en­tre os shows.

In­flu­en­ci­a­do por uma ce­na lo­cal que os­ci­la­va en­tre som ele­trô­ni­co e pré­punk, Bowie co­me­çou a fre­quen­tar os es­tú­di­os da ci­da­de, que per­cor­ria de bi­ci­cle­ta. Des­sas aven­tu­ras veio “Low” (1977), o pri­mei­ro de seus ál­buns clas­si­fi­ca­dos co­mo “tri­lo­gia de Ber­lim”.

Com ins­pi­ra­ção em ban­das ale­mãs co­mo Kraftwerk, Neu! e Can, Bowie e Eno mis­tu­ram rock, jazz, ele­trô­ni­co, mú­si­ca am­bi­en­te, mi­ni­ma­lis­mo e psi­co­de­lia. Em seu dis­co mais her­mé­ti­co até en­tão, Bowie tro­cou as le­tras que nar­ra­vam pe­que­nas his­tó­ri­as e cri­a­vam per­so­na­gens por uma po­e­sia mais in­trin­ca­da, de ver­sos que­bra­dos e qua­se des­co­ne­xos.

Pa­ra mui­tos, a tri­lo­gia de Ber­lim é a fa­se mais fas­ci­nan­te de Bowie, e a no­va cai­xa tam­bém traz os ou­tros dois ál­buns, “He­ro­es” (1977) e “Lod­ger” (1979). O su­ces­so po­pu­lar da can­ção “He­ro­es” dis­far­ça a tra­ma so­no­ra na­da pop do ál­bum. O sin­gle tam­bém faz par­te do box. Já “Lod­ger” apa­re­ce em dois dis­cos: o ori­gi­nal e uma ver­são re­mas­te­ri­za­da no iní­cio des­te ano pe­lo co­pro­du­tor Tony Vis­con­ti.

Com­ple­tam a cai­xa o ál­bum du­plo “Sta­ge”, gra­va­do em 1978 na tur­nê ame­ri­ca­na, e “Scary Mons­ters” (1980), o ex­ce­len­te dis­co que si­na­li­zou a vi­ra­da pa­ra uma fa­se mais pop que ex­plo­di­ria no tra­ba­lho se­guin­te, “Let’s Dan­ce” (1983). Mas es­te fi­cou pa­ra o pró­xi­mo box.

DA­VID BOWIE, EM 1980 LPS E LI­VROS COM MÚ­SI­CAS E FO­TOS QUE IN­TE­GRAM A CAI­XA “A NEW CA­RE­ER IN A NEW TOWN (1977-1982)”, TER­CEI­RO KIT DE UMA SÉ­RIE RE­TROS­PEC­TI­VA SO­BRE O BRI­T­NI­CO DA­VID BOWIE

MARTY LE­DERHAN­DLER/AS­SO­CI­A­TED PRESS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.