RIT­MO ACELERADO

Co­mo ir de exer­cí­ci­os le­ves pa­ra as com­pe­ti­ções de bi­ke

Folha De S.Paulo - Saopaulo - - #357 Índice - por Ri­car­do Am­pu­dia fotos Eduardo Knapp

Pe­da­lar no par­que aos fins de se­ma­na po­de ser uma boa pa­ra re­la­xar e se me­xer um pou­co. Mas há qu­em quei­ra dar tudo de si em ci­ma do se­lim, em sé­ri­es lon­gas e ace­le­ra­das ou em com­pe­ti­ções na es­tra­da.

Rom­per abar­rei­ra­do“pe­dal le­ve” e co­me­ça­ra an­dar fei­to atle­ta exi­ge dis­ci­pli­na e prá­ti­ca —mui­ta. Qu­em dá adi ca­são qua­tro ci­clis­tas pau­lis­ta­nos que não são pro­fis­si­o­nais, mas que en­cai­xam trei­nos du­ros em uma ro­ti­na de tra­ba­lho, ca­sa e fa­mí­lia.

A em­pre­sá­ria Ta­ti­a­na Bas­si, 43, à fren­te de um res­tau­ran­te es­pe­ci­a­li­za­do em car­nes, reserva es­pa­ço pa­ra bo­ta­ra bicicleta na es­tra­da .“Te­nho o trei­no co mou­ma vál­vu­la de es­ca­pe da mi­nha ro­ti­na. Co­mo mi­nha agenda é bem cheia, pre­ci­so mo­du­lar pa­ra en­cai­xa­res­se tem­po, man­ter a dis­ci­pli­na com adi­e­ta e dor­mir bem ”, co­men­ta.

Ela se pre­pa­ra pa­ra cor­rer uma pro­va na Itá­lia no ano que vem: a du­rís­si­ma Ma­ra­to­na Dles Do­lo­mi­tes, dis­pu­ta­da em uma re­gião mon­ta­nho­sa no nor­te do país.

Ta­ti­a­na acon­se­lha os in­te­res­sa­dos em trei­nar pe­sa­do a con­tra­tar uma as­ses­so­ria, que po­de in­di­car as ati­vi­da­des cer­tas pa­ra ca­da bi­o­ti­po e ori­en­tar quais pro­vas dis­pu­tar no iní­cio.

Pe­da­lar pe­sa­do não sig­ni­fi­ca ir mais rá­pi­do. Há qu­em vá de­va­gar e vá lon­ge. A agen­te de pes­qui­sas Thais Ko­nishi, 29, é uma das três mu­lhe­res a com­ple­tar o Bre­vet das Ban­dei­ras, com mil quilô­me­tros, amais di­fí­cil da sé­rie Au­dax, pro­vas de lon­ga dis­tân­cia que ocor­rem no mun­do to­do.

A re­gra exi­ge que os com­pe­ti­do­res com­ple­tem, ao lon­go do mes­mo ano, os “bre­vets” de 200, 400, 600 e mil quilô­me­tros. Ca­da pro­va re­a­li­za­da den­tro do tem­po li­mi­te dá di­rei­to a dis­pu­tar a pró­xi­ma. Não va­le usar car­ro de apoio —o com­pe­ti­dor tem que ser autô­no­mo.

“Sem­pre fui mui­to ca­be­ça du­ra, gos­to de de­sa­fi­os e odeio de­sis­tir. Nes­se ti­po de pro­va vo­cê de­ve sa­ber do­sar seu es­for­ço, além de co­mer, dor­mir e se hi­dra­tar di­rei­to. Pre­ci­sa ter um psi­co­ló­gi­co for­te pa­ra aguen­tar ca­lor, chu­va e ma­dru­ga­das”, con­ta Thais, que fe­chou os mil quilô­me­tros em 73 ho­ras e meia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.