PF ana­li­sou pro­du­tos de só uma em­pre­sa

De­mais acu­sa­ções da Ope­ra­ção Carne Fra­ca são ba­se­a­das na aná­li­se de es­cu­tas te­lefô­ni­cas e de­poi­men­tos

Folha De S.Paulo - - Mercado - CA­MI­LA MAT­TO­SO RE­NA­TA AGOSTINI

Pe­rí­cia en­con­trou sal­si­chas e lin­gui­ças com carne es­tra­ga­da; em­pre­sa, do Pa­ra­ná, ne­ga ir­re­gu­la­ri­da­des

Em dois anos de apu­ra­ção pa­ra a Ope­ra­ção Carne Fra­ca, a Po­lí­cia Fe­de­ral fez pe­rí­cia em ali­men­tos pro­du­zi­dos por fri­go­rí­fi­cos em ape­nas um ca­so. A aná­li­se foi fei­ta em pro­du­tos da Pec­cin Agro In­dus­tri­al, em­pre­sa cu­ri­ti­ba­na res­pon­sá­vel por ali­men­tos da mar­ca Ital­li.

Se­gun­do a PF, foi cons­ta­ta­do o uso de car­nes es­tra­ga­das na com­po­si­ção de sal­si­chas e lin­gui­ças, “ma­qui­a­gem” de car­nes es­tra­ga­das, falta de ro­tu­la­gem e re­fri­ge­ra­ção.

A Pec­cin ne­ga as ir­re­gu­la­ri­da­des. O mi­nis­tro Blai­ro Mag­gi (Agri­cul­tu­ra) ques­ti­o­nou nes­te do­min­go (19) a par­te técnica da in­ves­ti­ga­ção, afir­man­do que prá­ti­cas con­si­de­ra­das ir­re­gu­la­res são, na ver­da­de, per­mi­ti­das por lei.

Na par­te pú­bli­ca do re­la­tó­rio da po­lí­cia, de mais de 300 pá­gi­nas, há des­cri­ção de in­dí­ci­os de cor­rup­ção en­tre em­pre­sas e ser­vi­do­res do Ma­pa (Mi­nis­té­rio da Agri­cul­tu­ra) e de ir­re­gu­la­ri­da­des co­me­ti­das pe­los fri­go­rí­fi­cos na pro­du­ção de ali­men­tos, apu­ra­das a par­tir da aná­li­se de gram­pos e de­poi­men­tos.

Uma das prá­ti­cas cons­ta­ta­das pe­la PF é a con­ces­são de­sen­fre­a­da de cer­ti­fi­ca­dos que exi­gi­am, na ver­da­de, fis­ca­li­za­ção. Por di­nhei­ro, lo­tes de carne e asi­nhas de fran­go ou ou­tros pre­sen­tes, ser­vi­do­res as­si­na­vam do­cu­men­tos sem che­car se as re­gras es­ta­vam sen­do cum­pri­das.

O re­la­to de um fis­cal afas­ta­do após ten­tar cum­prir seu tra­ba­lho de­sen­ca­de­ou a aber­tu­ra do inqué­ri­to. A PF ou­viu fun­ci­o­ná­ri­os de em­pre­sas que cor­ro­bo­ra­ram com a ver­são do de­nun­ci­an­te e que­brou si­gi­los te­lefô­ni­cos e ban­cá­ri­os de in­ves­ti­ga­dos.

Nem to­das as 32 em­pre­sas al­vo da Carne Fra­ca são sus­pei­tas de ven­der ali­men­tos im­pró­pri­os pa­ra o con­su­mo.

A JBS, mai­or em­pre­sa do se­tor, es­tá im­pli­ca­da di­an­te da atu­a­ção de fun­ci­o­ná­ri­os da Se­a­ra e da Big Fran­go.

Se­gun­do a PF, o fun­ci­o­ná­rio da Se­a­ra Fla­vio Cas­sou da­va di­nhei­ro e ali­men­tos a ser­vi­do­res em tro­ca da emis­são de cer­ti­fi­ca­dos, sem a de­vi­da fis­ca­li­za­ção, pa­ra a ven­da e ex­por­ta­ção de pro­du­tos.

A em­pre­sa afir­ma que ele foi con­tra­ta­do em 2015 e era man­ti­do pe­la JBS, mas tra­ba­lha­va ce­di­do ao Ma­pa.

O ex-pre­si­den­te da Big Fran­go, con­tro­la­da pe­la JBS, o exe­cu­ti­vo Ro­ber­to Mul­bert, apa­re­ce per­gun­tan­do a uma ser­vi­do­ra so­bre a pos­si­bi­li­da­de de pror­ro­gar a da­ta de va­li­da­de de em­ba­la­gens.

A si­tu­a­ção da BRF, se­gun­da mai­or com­pa­nhia do se­tor, é mais de­li­ca­da. Fun­ci­o­ná­ri­os são acu­sa­dos de ofe­re­cer van­ta­gens a ser­vi­do­res pa­ra afrou­xar a fis­ca­li­za­ção e de, por meio de su­bor­no, evi­tar a sus­pen­são de fá­bri­ca em Mi­nei­ros (GO), on­de ha­via in­ci­dên­cia de sal­mo­nel­la.

O ge­ren­te de re­la­ções ins­ti­tu­ci­o­nais da BRF, Ro­ney No­guei­ra dos San­tos, que foi pre­so, apa­re­ce em es­cu­tas fei­tas da PF. A em­pre­sa diz não com­pac­tu­ar com ilí­ci­tos.

Tam­bém há evi­dên­cia de que pro­du­tos da BRF, que é do­na da Sa­dia e da Per­di­gão, eram ven­di­dos fo­ra do pa­drão exi­gi­do —co­mo fran­gos com ab­sor­ção de água su­pe­ri­or ao per­mi­ti­do.

Evaristo Sá - 17.mar.17/AFP

Uni­da­des da BRF em Cha­pe­có (SC) e da JBS no DF (aci­ma)

Nel­son Al­mei­da - 17.mar.17/AFP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.