Is­so po­de ser fei­to com me­lhor ges­tão de pes­so­as, diz o re­pre­sen­tan­te dos cri­a­do­res.

Folha De S.Paulo - - Mercado -

“Ho­je, o agen­te do ser­vi­ço de ins­pe­ção fe­de­ral é pra­ti­ca­men­te imó­vel. Ele é des­ti­na­do a uma uni­da­de [fa­bril] e fi­ca lá pra­ti­ca­men­te a vi­da to­da. Por que não cri­ar um mo­de­lo ro­ta­ti­vo pa­ra evi­tar es­se vín­cu­lo?”, ques­ti­o­na.

Pa­ra Va­ca­ri, o po­der de um mes­mo agen­te em tan­tas de­ci­sões, co­mo li­be­ra­ção do aba­te, pro­ces­sa­men­to e as­si­na­tu­ra de cer­ti­fi­ca­do sa­ni­tá­rio, é ex­ces­si­vo.

Ele res­sal­va que o sis­te­ma bra­si­lei­ro não é fa­li­do e até aju­dou o país a ex­por­tar seus pro­du­tos pa­ra des­ti­nos co­mo Es­ta­dos Uni­dos, Ja­pão e Aus­trá­lia, al­guns dos com­pra­do­res mais exi­gen­tes do mun­do. “Es­se sis­te­ma nos trou­xe até aqui, mas po­de ser apri­mo­ra­do.” AU­DI­TO­RI­AS Ou­tra so­lu­ção pa­ra evi­tar ca­sos de cor­rup­ção co­mo os de­nun­ci­a­dos pe­la Po­lí­cia Fe­de­ral se­ria, se­gun­do Va­ca­ri, pro­mo­ver au­di­to­ri­as.

“Se­rá que não po­de­mos apro­vei­tar is­so tu­do pa­ra im­ple­men­tar um mo­de­lo no­vo de go­ver­nan­ça no ser­vi­ço de ins­pe­ção fe­de­ral? Um mo­de­lo com par­ti­ci­pa­ção de pro­du­to­res e con­su­mi­do­res? Um mo­de­lo que não dei­xe to­da a res­pon­sa­bi­li­da­de na mão de pes­so­as, mas tal­vez de en­ti­da­des?”, ques­ti­o­na.

Se­gun­do o di­re­tor-exe­cu­ti­vo da Acri­mat, é ce­do pa­ra es­ti­mar qual se­rá o com­por­ta­men­to dos com­pra­do­res e o ta­ma­nho do es­tra­go, que te­rá re­fle­xos ne­ga­ti­vos não só nos fri­go­rí­fi­cos mas tam­bém em ou­tros elos da ca­deia, in­clu­si­ve os cri­a­do­res.

O ca­so é gra­ve do pon­to de vis­ta sa­ni­tá­rio, mas de­ve ter im­pac­to me­nor na ima­gem brasileira do que ocor­reu em 2005, com a in­sa­tis­fa­ção do mer­ca­do ex­ter­no na cri­se de fe­bre af­to­sa, diz ele.

“Lá foi mais gra­ve. Qu­an­do há um ca­so de fe­bre af­to­sa, é obri­ga­tó­rio que se co­mu­ni­que ime­di­a­ta­men­te a OIE (Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al de Saú­de Ani­mal). Ela sus­pen­de a emis­são de cer­ti­fi­ca­do sa­ni­tá­rio da­que­le país, ou se­ja, não po­de co­mer­ci­a­li­zar. Nes­se ca­so aqui, o com­pra­dor vai ana­li­sar”, ava­lia.

LU­CI­A­NO VA­CA­RI

di­re­tor-exe­cu­ti­vo da Abri­mat

tal­vez de en­ti­da­des?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.