Sem ver­ba, uni­ver­si­da­de do Rio vi­ve ca­os

Alu­nos da Uerj ain­da não ti­ve­ram as au­las de 2016, pes­qui­sa es­tá pa­ra­da e hos­pi­tal fun­ci­o­na abai­xo da ca­pa­ci­da­de

Folha De S.Paulo - - Cotidiano - LUIZA FRAN­CO MAR­CO AU­RÉ­LIO CANÔNICO

Go­ver­no do Rio diz que não fez re­pas­se de­vi­do à cri­se nas fi­nan­ças es­ta­du­ais, pro­vo­ca­da pe­la re­ces­são do país

O ano é 2017, mas a Uerj (Uni­ver­si­da­de do Es­ta­do do Rio de Ja­nei­ro) ain­da es­tá em 2016. Por falta de re­pas­ses do go­ver­no es­ta­du­al, a se­gun­da me­lhor uni­ver­si­da­de do Es­ta­do e uma das 15 me­lho­res do país, se­gun­do o úl­ti­mo Ran­king Uni­ver­si­tá­rio Folha, es­tá pa­ra­da no tem­po.

Seus alu­nos de gra­du­a­ção não co­me­ça­ram as au­las do se­gun­do se­mes­tre de 2016, a pes­qui­sa es­tá qua­se pa­ran­do e o hos­pi­tal uni­ver­si­tá­rio fun­ci­o­na abai­xo da ca­pa­ci­da­de.

Dos R$ 90 mi­lhões anu­ais pa­ra cus­teio da uni­ver­si­da­de, o go­ver­no de Luiz Fer­nan­do Pe­zão (PMDB) re­pas­sou ape­nas R$ 15,5 mi­lhões em 2016, e na­da em 2017, diz a Uerj.

Com is­so, o pa­ga­men­to de em­pre­sas ter­cei­ri­za­das (vi­gi­lân­cia,lim­pe­za,ma­nu­ten­ção, res­tau­ran­te uni­ver­si­tá­rio etc.) es­tá atra­sa­do, in­vi­a­bi­li­zan­do are­to­ma­da­da­sa­ti­vi­da­des,se­gun­do a rei­to­ria. Os pro­ble­mas de re­pas­se se ar­ras­tam des­de 2015. Tam­bém es­tão atra­sa­dos pa­ga­men­tos de ser­vi­do­res —os téc­ni­cos en­tra­ram em gre­ve em de­zem­bro— e de bol­sis­tas.

Pri­mei­ra uni­ver­si­da­de a ado­tar co­tas, em 2003, a Uerj não pa­ga des­de de­zem­bro as bol­sas dos 7.500 co­tis­tas, que de­pen­dem de­las pa­ra che­gar à fa­cul­da­de, se ali­men­tar no cam­pu­se­com­prar­ma­te­ri­al.O ban­de­jão, com re­fei­ções a R$ 2 pa­ra co­tis­tas, es­tá fe­cha­do.

O cur­so de me­di­ci­na exem­pli­fi­ca os efei­tos em ca­deia da falta de re­cur­sos, que vão de im­pac­tos­na­vi­da­de­a­lu­no­sao aten­di­men­toà­po­pu­la­ção­que usa o hos­pi­tal uni­ver­si­tá­rio, re­fe­rên­cia na re­de es­ta­du­al.

Por cau­sa da pa­ra­li­sa­ção em 2016, alu­nos do ter­cei­ro ano fi­ze­ram uma pro­va de es­tá­gio pa­ra hos­pi­tais mu­ni­ci­pais ten­do es­tu­da­do só me­ta­de do con­teú­do ne­ces­sá­rio.

“O pre­juí­zo é pa­ra nós e pa­ra a so­ci­e­da­de. A fa­cul­da­de pú­bli­ca de­ve dar um re­tor­no de ser­vi­ço qua­li­fi­ca­do pa­ra a po­pu­la­ção. Co­mo es­tá, não é pos­sí­vel”, diz Yan Ri­bei­ro, 21.

“Se as ati­vi­da­des não fo­rem re­to­ma­das até maio ou ju­nho, em um da­do mo­men­to fal­ta­rão alu­nos de in­ter­na­to, eta­pa de es­tá­gio no hos­pi­tal uni­ver­si­tá­rio”, diz o rei­tor, Ruy Gar­cia Mar­ques.

Tam­bém sig­ni­fi­ca en­cer­rar um ano com cer­ca de cem mé­di­cos­qua­li­fi­ca­do­sa­me­nos­no mer­ca­do—amé­di­a­de­for­man­dos anu­ais da fa­cul­da­de de me­di­ci­na da Uerj. A si­tu­a­ção se apli­ca aos de­mais cur­sos.

A cri­se tam­bém afe­ta a pes­qui­sa e es­ti­mu­la a eva­são de alu­nos.Exem­plo­dis­soéa­pós- gra­du­a­ção em fi­si­o­pa­to­lo­gia clí­ni­ca ex­pe­ri­men­tal, que tem no­ta má­xi­ma do Ca­pes (Co­or­de­na­ção de Aper­fei­ço­a­men­to de Pessoal de Ní­vel Su­pe­ri­or) e re­co­nhe­ci­men­to in­ter­na­ci­o­nal. Nes­te ano, ela só pre­en­cheu cer­ca de 50% das va­gas de mes­tra­do e dou­to­ra­do.

“Os alu­nos ve­em que a uni­ver­si­da­de es­tá com di­fi­cul­da­de de man­ter as au­las. Vão se ma­tri­cu­lar num cur­so que po­de pa­rar?”, ques­ti­o­na o pró­rei­tor de pes­qui­sa e pós-gra­du­a­ção, Eg­ber­to de Mou­ra.

O fi­nan­ci­a­men­to de pes­qui­sa, diz ele, é fei­to pe­la Fa­perj (Fun­da­ção de Am­pa­ro à Pes­qui­sa do Es­ta­do do Rio), que não li­be­rou par­te dos re­cur­sos de 2015 e na­da de 2016, acu­mu­lan­do uma dí­vi­da de R$ 70 mi­lhões com a Uerj.

“Ca­da vez mais jo­vens es­tão aban­do­nan­do a pes­qui­sa

Fo­tos Ri­car­do Bor­ges/Fo­lha­press

Carla Bor­ges, 21, que es­tá sem re­ce­ber a bol­sa de ini­ci­a­ção ci­en­tí­fi­ca de edu­ca­ção fí­si­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.