Pre­vi­dên­cia privada de­sa­ce­le­ra no 1° se­mes­tre

Folha De S.Paulo - - Mercado Cristina.frias1@grupofolha.com.br -

As con­tri­bui­ções aos pla­nos de pre­vi­dên­cia privada de­sa­ce­le­ra­ram no pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano. A captação su­biu 4,8%. No mes­mo pe­río­do de 2016, a alta ha­via si­do de 13%, apon­ta a Fe­naP­re­vi (as­so­ci­a­ção do se­tor).

A pro­je­ção no fim do ano pas­sa­do era am­pli­ar o rit­mo de ex­pan­são das con­tri­bui­ções em 2017. As cap­ta­ções cres­ce­ram 20% em todo 2016.

Um dos prin­ci­pais mo­ti­vos pa­ra a de­sa­ce­le­ra­ção é a len­ta tra­mi­ta­ção da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, considerada um fa­tor que po­de ala­van­car o se­tor pri­va­do, diz Ed­son Fran­co, pre­si­den­te da Fe­naP­re­vi.

“A par­tir de maio, o pro­ces­so foi pa­ra­li­sa­do. Além dis­so, a que­da da ta­xa de ju­ros fez com que a pou­pan­ça vol­tas­se a fi­car mais atra­ti­va pa­ra o in­ves­ti­dor con­ser­va­dor.”

Mes­mo com a ex­pan­são abai­xo do es­pe­ra­do, a en­ti­da­de man­tém a pro­je­ção de cres­cer en­tre 9% e 11% nes­te ano.

“Vai de­pen­der do en­ca­mi­nha­men­to da re­for­ma e da re­to­ma­da do em­pre­go da­rem, ao me­nos, si­nais po­si­ti­vos.”

As mu­dan­ças de re­gras dos pla­nos pre­vi­den­ciá­ri­os abertos, em con­sul­ta pú­bli­ca pe­la Su­sep (ór­gão re­gu­la­dor), de­ve­rão apri­mo­rar os pro­du­tos, mas não tra­rão um im­pac­to sig­ni­fi­ca­ti­vo, afir­ma Fran­co.

“As nor­mas dão mais fle­xi­bi­li­da­de pa­ra o cli­en­te pro­gra­mar os resgates das apli­ca­ções, o que vai aju­dar a alon­gar o per­fil das car­tei­ras. É uma evo­lu­ção, mas não se­rá uma mu­dan­ça drás­ti­ca.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.