Ney­mar in­ver­te or­dem no fu­te­bol fran­cês

Com es­treia pre­vis­ta pa­ra es­te do­min­go, bra­si­lei­ro faz li­ga pre­ver dis­pa­ra­da em co­tas de TV e em ar­re­ca­da­ção

Folha De S.Paulo - - Esporte - ALEX SABINO

Li­be­ra­do pe­la fe­de­ra­ção nacional, ata­can­te de­ve ser atra­ção da par­ti­da do PSG con­tra o Guin­gamp, às 16h

Qu­an­do Ney­mar pi­sar no Sta­de du Rou­dou­rou, em Guin­gamp, pa­ra es­tre­ar pe­lo Pa­ris Saint-Ger­main, te­rá in­ver­ti­do de vez a or­dem do mer­ca­do na Fran­ça. Nos úl­ti­mos anos, o fu­te­bol do país foi ex­por­ta­dor. Gra­ças aos 222 mi­lhões de eu­ros pa­gos pe­lo PSG (cer­ca de R$ 810 mi­lhões) pe­lo bra­si­lei­ro, is­so mu­dou.

Ins­cri­to na Fe­de­ra­ção Fran­ce­sa, ele de­ve jo­gar nes­te do­min­go (13), às 16h (de Brasília), em­bo­ra a es­ca­la­ção não te­nha si­do de­fi­ni­da pe­lo téc­ni­co Unai Emery.

“Uma con­tra­ta­ção co­mo es­sa é ca­paz de pôr o Cam­pe­o­na­to Fran­cês e o PSG em pa­ta­mar di­fe­ren­te. Ele­va a com­pe­ti­ti­vi­da­de do tor­neio e tam­bém co­mo o fu­te­bol do país é vis­to”, diz Da­ni­el Al­ves.

Nes­te ano, os clu­bes da pri­mei­ra di­vi­são fran­ce­sa in­ves­ti­ram 576,7 mi­lhões de eu­ros (R$ 2,15 bi­lhões) em re­for­ços.

Sem Ney­mar, se­ri­am 354,76 mi­lhões de eu­ros (R$ 1,32 bi­lhão). A mai­or ven­da des­ta ja­ne­la de trans­fe­rên­ci­as, que se fe­cha no pró­xi­mo dia 31, foi a do la­te­ral Mendy, negociado pe­lo Mo­na­co com o Man­ches­ter City por 57,1 mi­lhões de eu­ros (R$ 213,7 mi­lhões).

Nas saí­das de atle­tas, os ti­mes ar­re­ca­da­ram 499,76 mi­lhões (R$ 1,87 bi­lhão). O sal­do po­si­ti­vo é de 77 mi­lhões de eu­ros (R$ 288 mi­lhões). Foi a pri­mei­ra vez em qua­tro anos que va­lo­res de con­tra­ta­ções su­pe­ra­ram os de ven­da.

“O fa­to de Ney­mar ter acei­ta­do jo­gar o nos­so cam­pe­o­na­to mos­tra que somos com­pe­ti­ti­vos. Ele é uma me­ga es­tre­la. É úni­co. Vai nos fa­zer cres­cer no as­pec­to es­por­ti­vo, fi­nan­cei­ro e de ima­gem”, afir­ma a pre­si­den­te da LFP (Li­ga de Fu­te­bol Pro­fis­si­o­nal), Natha­lie Boy de la Tour.

Na tem­po­ra­da 2016/2017, por exem­plo, os clu­bes da pri­mei­ra di­vi­são do Cam­pe­o­na­to Fran­cês ti­ve­ram su­pe­rá­vit de 13,7 mi­lhões de eu­ros em tran­sa­ções (R$ 51,3 mi­lhões).

Fo­ram ven­di­dos 383,8 mi­lhões de eu­ros (R$ 1,43 bi­lhão) em jo­ga­do­res e gas­tos 370,1 mi­lhões de eu­ros em con­tra­ta­ções (R$ 1,38 bi­lhão).

O investimento mai­or foi do PSG, res­pon­sá­vel pe­las três aqui­si­ções mais ca­ras: o meia Drax­ler, o vo­lan­te Kry­chowi­ak e o la­te­ral Gu­e­des.

Os prin­ci­pais clu­bes da Eu­ro­pa pos­su­em olhei­ros pa­ra tra­ba­lhar ape­nas nos jo­gos da li­ga fran­ce­sa. O país é ti­do co­mo o lo­cal on­de é mais pro­vá­vel des­co­brir jo­ga­do­res que po­dem ser con­tra­ta­dos sem va­le­rem uma for­tu­na.

“A quan­ti­da­de de ta­len­to bru­to dis­po­ní­vel com con­cor­rên­cia me­nor é mai­or na Fran­ça que em ou­tros paí­ses”, diz Gil­les Gri­man­di, ob­ser­va­dor téc­ni­co do Ar­se­nal.

Na lis­ta das cin­co prin­ci­pais li­gas da Eu­ro­pa, a fran­ce­sa é a quin­ta em qua­se to­dos os cri­té­ri­os ado­ta­dos pe­la em­pre­sa De­loit­te, que pu­bli­cou es­tu­do em 2016 so­bre as fi­nan­ças no fu­te­bol.

“A che­ga­da de Ney­mar po­de nos dar um im­pul­so na ne­go­ci­a­ção de di­rei­tos de TV”, com­ple­ta Boy de la Tour.

Com um contrato de 656 mi­lhões de eu­ros (R$ 2,45 bi­lhões) re­par­ti­dos en­tre os 20 ti­mes da eli­te, a Fran­ça es­tá dis­tan­te da In­gla­ter­ra, on­de as emis­so­ras pa­gam 2,57 bi­lhões de eu­ros (R$ 9,6 bi­lhões) pa­ra exi­bi­rem jo­gos.

A mé­dia de ar­re­ca­da­ção dos clu­bes fran­ce­ses é de 74 mi­lhões de eu­ros (R$ 277 mi) por ano. Na In­gla­ter­ra, 243 mi­lhões de eu­ros (R$ 909 mi). NA TV Guin­gamp x PSG ESPN e SporTV

Ka­mil Zih­ni­o­glu/As­so­ci­a­ted Press

Ney­mar (cen­tro) do­mi­na a bo­la du­ran­te trei­na­men­to com com­pa­nhei­ros do Pa­ris Saint-Ger­main na sex­ta-fei­ra (11)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.