Pro­cu­ra­dor de­nun­cia pre­si­den­te do DEM

Folha De S.Paulo - - Poder -

Ele é sus­pei­to de ne­go­ci­ar pro­pi­na

O pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, de­nun­ci­ou nes­ta quar­ta (13) o se­na­dor Jo­sé Agri­pi­no Maia (RN), pre­si­den­te do DEM, ao STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral). O te­or da de­nún­cia não foi di­vul­ga­do.

O re­la­tor do ca­so no Su­pre­mo é o mi­nis­tro Luís Ro­ber­to Bar­ro­so. Ago­ra, ca­be­rá ao tri­bu­nal aca­tar ou não a acu­sa­ção. Se a de­nún­cia for acei­ta, Maia vi­ra réu.

Em ou­tu­bro de 2015, Bar­ro­so au­to­ri­zou a ins­tau­ra­ção de inqué­ri­to pa­ra in­ves­ti­gar o se­na­dor por cor­rup­ção pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro. O par­la­men­tar foi apon­ta­do pe­la PGR co­mo sus­pei­to de ter ne­go­ci­a­do pro­pi­na da em­prei­tei­ra OAS du­ran­te a cons­tru­ção da Are­na das Du­nas, es­tá­dio em Na­tal usa­do na Copa.

A PGR sus­pei­ta que a OAS te­nha pa­ga­do pro­pi­na ao se­na­dor “em troca de au­xí­lio do par­la­men­tar na su­pe­ra­ção de en­tra­ves à li­be­ra­ção de re­cur­sos” de fi­nan­ci­a­men­to do BNDES.

O se­na­dor te­ria con­se­gui­do a li­be­ra­ção dos re­cur­sos do BNDES e, em con­tra­par­ti­da, a OAS te­ria do­a­do ofi­ci­al­men­te, em 2014, R$ 500 mil ao di­re­tó­rio do DEM.

A pro­cu­ra­do­ria so­li­ci­tou a aber­tu­ra do pro­ce­di­men­to após en­con­trar men­sa­gens tro­ca­das en­tre o par­la­men­tar e pes­so­as li­ga­das à OAS, in­clu­si­ve com o pre­si­den­te da em­pre­sa, Léo Pi­nhei­ro.

Em seu des­pa­cho na épo­ca, o mi­nis­tro afir­mou que o se­na­dor te­ria re­ce­bi­do o su­pos­to su­bor­no por meio de do­a­ções de cam­pa­nha. OU­TRO LA­DO O se­na­dor dis­se, em no­ta, que os fa­tos e que “em to­dos os de­poi­men­tos to­ma­dos e re­gis­tra­dos ao lon­go do re­fe­ri­do inqué­ri­to não cons­ta se­quer uma re­fe­rên­cia de pe­di­do ou re­ce­bi­men­to de va­lo­res em troca de qual­quer ti­po de re­tri­bui­ção ou van­ta­gem”, o que ca­rac­te­ri­za­ria cor­rup­ção pas­si­va.

“Re­gis­tre-se que, até as úl­ti­mas elei­ções [2014], con­tri­bui­ções de pes­so­as ju­rí­di­cas eram le­gal­men­te per­mi­ti­das”, diz a no­ta. “O se­na­dor Jo­sé Agri­pi­no não acei­ta ações que ge­ne­ra­li­zam e ma­cu­lam a dig­ni­da­de, a ima­gem e o ca­pi­tal po­lí­ti­co de ho­mens pú­bli­cos”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.