Trump quer pres­si­o­nar Te­mer a to­mar me­di­das con­tra Ve­ne­zu­e­la

De­ci­são do Pa­na­má de exi­gir vis­to a ve­ne­zu­e­la­nos se­ria exem­plo de ação que atin­ge Ma­du­ro

Folha De S.Paulo - - Mundo - ISABEL FLECK

Washing­ton diz que Bra­sil de­ve ter pa­pel na re­so­lu­ção da cri­se e se mos­tra cé­ti­co em re­la­ção a ação da OEA

No jan­tar que te­rá com o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer na pró­xi­ma se­gun­da (18), o pre­si­den­te dos EUA, Do­nald Trump, es­pe­ra ou­vir do ho­mó­lo­go pro­pos­tas de ações que o Bra­sil pos­sa to­mar pa­ra pres­si­o­nar mais Ca­ra­cas.

Além de Te­mer, es­ta­rá no en­con­tro o pre­si­den­te co­lom­bi­a­no, Ju­an Ma­nu­el San­tos, e, pos­si­vel­men­te, o pe­ru­a­no Pe­dro Pa­blo Kuczyns­ki.

Se­gun­do um al­to fun­ci­o­ná­rio do go­ver­no ame­ri­ca­no, os EUA re­co­nhe­cem os es­for­ços fei­tos pe­lo Bra­sil até ago­ra, co­mo sua atu­a­ção na sus­pen­são da Ve­ne­zu­e­la do Mer­co­sul e na reu­nião de agos­to em Li­ma, qu­an­do 12 paí­ses con­cor­da­ram em não acei­tar decisões to­ma­das pe­la As­sem­bleia Cons­ti­tuin­te con­vo­ca­da por Ma­du­ro. No en­tan­to, Trump quer que ou­tros paí­ses de pe­so na re­gião, co­mo Bra­sil, tra­gam pa­ra a me­sa “as ações mais efi­ci­en­tes que pos­sam to­mar”.

“Ado­ra­ría­mos ver o pre­si­den­te Te­mer vir pre­pa­ra­do pa­ra dis­cu­tir mais ações que o Bra­sil po­de­ria to­mar”, dis­se o al­to fun­ci­o­ná­rio à Fo­lha. A ideia é que se­jam ações que pos­sam im­pac­tar o re­gi­me de Ma­du­ro, com o ob­je­ti­vo de res­tau­rar a de­mo­cra­cia, se­gun­do o re­pre­sen­tan­te do go­ver­no Trump.

“Não há dú­vi­da de que o Bra­sil po­de ter um gran­de pa­pel, e o pre­si­den­te Trump es­tá mui­to in­te­res­sa­do em ver o pre­si­den­te Te­mer se pro­nun­ci­ar so­bre is­so.”

Um dos exem­plos de ações ci­ta­do é o do Pa­na­má, que re­cen­te­men­te es­ta­be­le­ceu a obri­ga­to­ri­e­da­de de vis­to a ve­ne­zu­e­la­nos —com ex­ce­ção pa­ra quem che­gar ao país co­mo re­fu­gi­a­do. Na vi­são do go­ver­no ame­ri­ca­no, es­se foi um mo­vi­men­to in­te­li­gen­te, que tem um im­pac­to so­bre pes­so­as pró­xi­mas a Ma­du­ro, de den­tro do go­ver­no.

Pa­ra Trump, o mo­ti­vo do jan­tar com os três pre­si­den­tes sul-ame­ri­ca­nos é a cri­se na Ve­ne­zu­e­la, mas na­da im­pe­de que te­mas bi­la­te­rais, co­mo co­mér­cio ou co­o­pe­ra­ção em de­fe­sa, se­jam tra­ta­dos. A ex­pec­ta­ti­va, po­rém, é que não ha­ja tem­po pa­ra trans­por o te­ma prin­ci­pal.

Os EUA ten­tam mi­ni­mi­zar o fa­to de o vi­ce-pre­si­den­te, Mi­ke Pen­ce, não ter vi­si­ta­do o Bra­sil em seu tour re­cen­te pe­la Amé­ri­ca La­ti­na, qu­an­do o as­sun­to do­mi­nan­te foi a cri­se ve­ne­zu­e­la­na. Se­gun­do o al­to fun­ci­o­ná­rio, o país ain­da é vis­to co­mo im­por­tan­te lí­der na re­gião. Pen­ce pas­sou por Colôm­bia, Ar­gen­ti­na, Chi­le e Pa­na­má. DIÁ­LO­GO O go­ver­no ame­ri­ca­no é cé­ti­co com as re­cen­tes de­cla­ra­ções do di­ta­dor ve­ne­zu­e­la­no, Ni­co­lás Ma­du­ro, de que es­tá dis­pos­to a se en­ga­jar no diá­lo­go com a opo­si­ção me­di­a­do pe­la Re­pú­bli­ca Do­mi­ni­ca­na e pe­lo ex-che­fe de go­ver­no es­pa­nhol Jo­sé Luis Ro­drí­guez Za­pa­te­ro (leia ao la­do).

Pa­ra o go­ver­no Trump, só é “ra­zoá­vel” sen­tar à me­sa com Ma­du­ro de­pois que Ca­ra­cas de­mons­trar boa von­ta­de em ne­go­ci­ar, li­ber­tan­do pre­sos po­lí­ti­cos, es­ta­be­le­cen­do um cro­no­gra­ma pa­ra elei­ções na­ci­o­nais e res­pei­tan­do a Cons­ti­tui­ção. A vi­são de Washing­ton é que não se de­ve per­mi­tir que Ma­du­ro use mais uma vez o diá­lo­go co­mo tá­ti­ca pa­ra ga­nhar tem­po.

O mo­vi­men­to pa­ra con­ven­cer paí­ses da re­gião a pres­si­o­nar Ma­du­ro se de­ve, em par­te, à de­cep­ção dos EUA com a Or­ga­ni­za­ção dos Es­ta­dos Ame­ri­ca­nos. Des­de o iní­cio, o go­ver­no Trump de­fen­dia que a so­lu­ção pa­ra a cri­se da Ve­ne­zu­e­la pas­sas­se pe­lo or­ga­nis­mo. No en­tan­to, a fal­ta de apoio dos paí­ses ca­ri­be­nhos tra­vou gran­de par­te das decisões na OEA.

“A OEA con­ti­nua sen­do um veí­cu­lo que apoi­a­mos e que es­pe­ra­mos que nos apoie, mas não va­mos pa­rar de avan­çar por­que há pro­ble­mas es­tru­tu­rais na or­ga­ni­za­ção”, dis­se o fun­ci­o­ná­rio, res­sal­tan­do que os paí­ses que tra­va­ram as ações pos­su­em me­nos de 10% da po­pu­la­ção da re­gião.

Jo­aquín Her­nán­dez/Xi­nhua

Fun­ci­o­ná­rio do ae­ro­por­to Jo­sé Mar­tí, em Ha­va­na, re­ce­be col­chões do­a­dos a Cu­ba após fu­ra­cão Ir­ma pe­lo go­ver­no da Ve­ne­zu­e­la, que en­fren­ta es­cas­sez

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.