Ine­di­tis­mo e po­lê­mi­cas mar­ca­ram a era Ja­not na Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral

Ele dei­xa o car­go nes­te do­min­go após 4 anos, sau­da­do co­mo co­ra­jo­so, mas tam­bém cri­ti­ca­do

Folha De S.Paulo - - Poder - RU­BENS VA­LEN­TE

Ja­not con­du­ziu de­la­ções da Ode­bre­cht e da JBS e foi o pri­mei­ro a de­nun­ci­ar o pre­si­den­te no exer­cí­cio do car­go

Após to­mar pos­se no car­go de pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca, em 2013, Ro­dri­go Ja­not re­ce­beu em au­di­ên­cia o en­tão pre­si­den­te da ADPF (As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal dos De­le­ga­dos de Po­lí­cia Fe­de­ral), o de­le­ga­do Mar­cos Leôn­cio.

Na­que­le mo­men­to, a que­da de bra­ço en­tre PGR (Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca) e PF não era pe­que­na, mas es­ta­va dis­tan­te da con­fla­gra­ção aber­ta que se tor­nou na ges­tão de Ja­not.

Quan­do Leôn­cio che­gou pa­ra o que acre­di­ta­va ser uma reu­nião de tro­ca de im­pres­sões, en­con­trou Ja­not em uma me­sa cer­ca­do por as­ses­so­res, in­cluin­do o en­tão pro­cu­ra­dor Mar­cel­lo Mil­ler, ho­je pivô da cri­se da de­la­ção da JBS.

“Des­sa reu­nião fi­cou uma ima­gem do Ja­not im­pe­ri­al. Ele dis­se mais ou me­nos as­sim: que não ha­via o que con­ver­sar en­tre PF e MPF”, diz o de­le­ga­do. “A PF te­ria que ser su­bor­di­na­da à PGR nas in­ves­ti­ga­ções, com a PF con­cor­dan­do ou não. Saí da reu­nião já sa­ben­do que não te­ría­mos anos fá­ceis pe­la fren­te.”

Du­ran­te o man­da­to, Ja­not ten­tou proi­bir a PF de fe­char de­la­ções. Com uma ação no STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral), ain­da não jul­ga­da, exi­giu que a po­lí­cia não in­di­ci­as­se par­la­men­ta­res com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do e ten­tou im­pe­dir de­le­ga­dos de en­tre­gar do­cu­men­tos ao en­tão mi­nis­tro re­la­tor da La­va Ja­to, Te­o­ri Za­vasc­ki.

Re­ve­la­do­res, os em­ba­tes en­tre Ja­not e PF fo­ram só um dos pon­tos tur­bu­len­tos dos qua­tro anos da ges­tão que o mi­nei­ro de 60 anos, com­ple­ta­dos na sex­ta (15), en­cer­ra nes­te do­min­go (17).

Ao en­tre­gar a ca­dei­ra pa­ra Ra­quel Dod­ge, Ja­not en­tra pa­ra a ga­le­ria dos pro­cu­ra­do­res-ge­rais com um des­ta­que ím­par e uma mon­ta­nha-rus­sa de po­lê­mi­cas. INE­DI­TIS­MO Seus crí­ti­cos po­dem ame­ni­zar, di­zen­do que ele es­ta­va no lu­gar cer­to na ho­ra cer­ta, di­an­te do es­cân­da­lo de cor­rup­ção re­ve­la­do pe­la La­va Ja­to —que não começou em seu ga­bi­ne­te, mas em Cu­ri­ti­ba.

Seus apoi­a­do­res, con­tu­do, re­tru­ca­rão, afir­man­do que Ja­not deu ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral um pro­ta­go­nis­mo ja­mais al­can­ça­do e que nem to­dos po­de­ri­am ter aguen­ta- do as pres­sões que su­por­tou.

Ja­not pe­diu o afas­ta­men­to do car­go e a pri­são de um pre­si­den­te da Câ­ma­ra (Edu­ar­do Cu­nha) e do lí­der do go­ver­no Dil­ma no Se­na­do (Del­cí­dio do Ama­ral). Ten­tou pren­der o pre­si­den­te do Se­na­do (Re­nan Ca­lhei­ros), um ex-pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca (Jo­sé Sar­ney) e um dos prin­ci­pais lí­de­res par­ti­dá­ri­os (Aé­cio Ne­ves).

De­nun­ci­ou de for­ma iné­di­ta, e por du­as ve­zes, o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca no car­go (Mi­chel Te­mer) e man­dou abrir in­ves­ti­ga­ções sobre a pró­pria pre­si­den­te que o ha­via in­di­ca­do du­as ve­zes pa­ra o car­go (Dil­ma Rous­seff).

Ja­not e sua equi­pe fe­cha­ram um re­cor­de de 159 acor­dos de co­la­bo­ra­ção pre­mi­a­da, in­cluin­do os 77 da mai­or em­pre­sa de cons­tru­ção ci­vil do país, a Ode­bre­cht, e se­te da mai­or em­pre­sa de pro­teí­na ani­mal do mun­do, a JBS.

Sob sua ges­tão, a PGR pe­diu a aber­tu­ra de 242 inqué­ri­tos de au­to­ri­da­des com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do e for­ma­li­zou 65 de­nún­ci­as no Su­pre­mo.

O su­ces­so das in­ves­ti­das, con­tu­do, ain­da não po­de ser ava­li­a­do em con­de­na­ções. Ne­nhu­ma ação en­vol­ven­do po­lí­ti­co in­ves­ti­ga­do pe­la La­va Ja­to com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do foi en­cer­ra­da com jul­ga­men­to fi­nal des­de agos­to de 2014, quan­do co­me­ça­ram as tra­ta­ti­vas em tor­no do pri­mei­ro delator, o ex-di­re­tor da Pe­tro­bras Pau­lo Ro­ber­to Cos­ta.

A pro­fu­são de inqué­ri­tos é um pon­to crí­ti­co do mo­de­lo de Ja­not. Ele pro­du­ziu iné­di­tas lis­tas de in­ves­ti­ga­ções, aber­tas por no­mes de po­lí­ti­cos.

“Ele de­ve­ria ter si­do mais cri­te­ri­o­so. Nun­ca uma ci­ta­ção de delator po­de­ria ser mo­ti­vo su­fi­ci­en­te pa­ra a ins­tau­ra­ção de um inqué­ri­to, mas foi as­sim que Ja­not agiu. Tan­to que de­pois ele mes­mo man­dou ar­qui­var”, diz Luís Hen­ri­que Ma­cha­do, ad­vo­ga­do de Re­nan Ca­lhei­ros.

O se­na­dor é al­vo de 17 pe­di­dos de inqué­ri­to —três já fo­ram ar­qui­va­dos e ne­nhum re­sul­tou em con­de­na­ção. “Pa­ra o po­lí­ti­co, o es­tra­go já es­tá fei­to, pois a opi­nião pú­bli­ca faz o jul­ga­men­to an­te­ci­pa­do. E o po­lí­ti­co de­pen­de do vo­to”, pros­se­gue Ma­cha­do.

As crí­ti­cas não eco­am en­tre os pro­cu­ra­do­res, com qu­em Ja­not pa­re­ce man­ter gran­de ba­se de apoio. Ele foi re­con­du­zi­do ao car­go, em 2015, após uma ex­pres­si­va vo­ta­ção de mem­bros do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co. Nes­te ano, a ca­te­go­ria tam­bém co­lo­cou em pri­mei­ro lu­gar da lis­ta trí­pli­ce um no­me pró­xi­mo de­le: Ni­co­lao Dino, pre­te­ri­do por Te­mer, que in­di­cou Dod­ge. LE­GA­DO A prin­ci­pal mar­ca de Ja­not, se­gun­do Jo­sé Ro­ba­li­nho Ca­val­can­ti, pre­si­den­te da ANPR (As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal dos Pro­cu­ra­do­res da Re­pú­bli­ca), fo­ram as mu­dan­ças ad­mi­nis­tra­ti­vas in­ter­nas, co­mo a cri­a­ção de as­ses­so­ri­as es­pe­ci­ais vin­cu­la­das ao pro­cu­ra­dor-ge­ral e uma câ­ma­ra de com­ba­te à cor­rup­ção, que re­pre­sen­ta­ram “um sal­to qua­li­ta­ti­vo na for­ma de tra­ba­lho da PGR”.

“Os de­sa­fi­os que se pu­se­ram pe­ran­te ele [Ja­not] eram mui­to cen­tra­dos no com­ba­te à cor­rup­ção. En­tão acho que ele cor­res­pon­deu, o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co cum­priu seu de­ver. Se não ven­ceu to­das, é na­tu­ral”, diz Ca­val­can­ti.

Pa­ra o pre­si­den­te da ANPR, o pro­cu­ra­dor-ge­ral “cum­priu seu de­ver de ma­nei­ra ex­tre­ma­men­te cor­re­ta” e “qual­quer tro­pe­ço que te­nha so­fri­do no fi­nal não apa­ga o seu le­ga­do”.

A as­so­ci­a­ção es­tá ar­re­ga­çan­do as man­gas pa­ra de­fen­der Ja­not, que, fo­ra do car­go, es­ta­rá mais ex­pos­to a pres­sões po­lí­ti­cas. Ro­ba­li­nho diz que a en­ti­da­de lu­ta­rá pa­ra im­pe­dir que ele se­ja in­ter­ro­ga­do em CPIs, pois es­ta­ria le­gal­men­te im­pe­di­do de fa­lar sobre ca­sos em an­da­men­to.

Na quar­ta (13), o STF re­jei­tou o pe­di­do de sus­pei­ção de Ja­not em in­ves­ti­ga­ções con­tra Te­mer. Na ter­ça (12), Ja­not mos­trou que sa­be­rá se de­fen­der: “Co­mo não há es­cu­sas pe­los fa­tos que vi­e­ram à luz, a es­tra­té­gia de de­fe­sa não po­de ser ou­tra se­não de­sa­cre­di­tar, as fi­gu­ras res­pon­sá­veis pe­lo com­ba­te à cor­rup­ção”. ELIO GAS­PA­RI O co­lu­nis­ta es­tá de fé­ri­as CRO­NO­LO­GIA DE TEM­POS TUR­BU­LEN­TOS 17.set.2013 > To­ma pos­se na PGR in­di­ca­do por Dil­ma Rous­seff pro­me­ten­do fle­xi­bi­li­da­de 12.nov.2013 > Pe­de ao STF a pri­são ime­di­a­ta de 23 réus con­de­na­dos no men­sa­lão, in­cluin­do o ex-mi­nis­tro Jo­sé Dir­ceu 29.set.2014 > STF ho­mo­lo­ga acor­do de de­la­ção com Pau­lo Ro­ber­to Cos­ta, o pri­mei­ro da La­va Ja­to set.2013 a nov.2014 > Diz que vai de­so­var pro­ces­sos re­pre­sa­dos. Ja­not ar­qui­va ao me­nos 82 inqué­ri­tos sobre par­la­men­ta­res 19.dez.2014 > STF ho­mo­lo­ga de­la­ção de Al­ber­to Yous­sef 19.jan.2015 > Ja­not cria um gru­po de tra­ba­lho pa­ra a Ope­ra­ção La­va Ja­to 4.mar.2015 > Sai a pri­mei­ra “lis­ta do Ja­not”, com 50 po­lí­ti­cos in­ves­ti­ga­dos pe­la La­va Ja­to, in­cluin­do Edu­ar­do Cu­nha 26.nov.2015 > A pe­di­do de Ja­not, o STF de­ter­mi­na pri­são de Del­cí­dio do Ama­ral e do ban­quei­ro An­dré Es­te­ves, acu­sa­dos de ten­tar obs­truir a La­va Ja­to 29.abr.2016 > Ja­not ajui­za uma ação pa­ra im­pe­dir que a Po­lí­cia Fe­de­ral tam­bém faça acor­dos de de­la­ção 5.mai.2016 > A pe­di­do de Ja­not, o mi­nis­tro Te­o­ri Za­vasc­ki afas­ta do car­go o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Edu­ar­do Cu­nha 30.jan.2017 > STF ho­mo­lo­ga os 77 acor­dos de de­la­ção de exe­cu­ti­vos da Ode­bre­cht 12.abr.2017 > Di­vul­ga­da a “se­gun­da lis­ta de Ja­not”, com 97 po­lí­ti­cos 17.mai.2017 > Vem a pú­bli­co a de­la­ção de exe­cu­ti­vos da JBS; Jo­es­ley en­tre­ga gra­va­ção de con­ver­sa com Mi­chel Te­mer ago.2017 > De­la­to­res da JBS en­tre­gam gra­va­ção com in­dí­ci­os de que o pro­cu­ra­dor Mar­cel­lo Mil­ler aju­dou a for­ma­tar o acor­do com a PGR > Epi­só­dio abre a mai­or cri­se do man­da­to de Ja­not

Pe­dro La­dei­ra - 14.set.2017/Fo­lha­press

Ro­dri­go Ja­not na saí­da do STF na quin­ta (14), dia de sua úl­ti­ma sessão co­mo pro­cu­ra­dor-ge­ral

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.