Sem-te­to é fe­ri­do a ba­la em me­gain­va­são na Gran­de SP

Mo­vi­men­to diz que ti­ro que atin­giu bra­ço de mi­li­tan­te saiu de con­do­mí­nio

Folha De S.Paulo - - Cotidiano - PAU­LO GOMES

Gru­po con­trá­rio à in­va­são afir­ma que co­or­de­na­dor do MTST é o res­pon­sá­vel; 6.500 fa­mí­li­as es­tão no lo­cal

Um ho­mem foi atin­gi­do por dis­pa­ro de ar­ma de fogo na tar­de des­te sá­ba­do (16) na me­gain­va­são do MTST (Mo­vi­men­to dos Tra­ba­lha­do­res Sem Te­to) em São Ber­nar­do do Cam­po, na Gran­de São Pau­lo. O sem-te­to te­ve a ba­la alo­ja­da no bra­ço, mas não cor­re ris­co de mor­rer.

O fe­ri­men­to pro­vo­cou uma guer­ra de ver­sões. Se­gun­do re­la­tos dos sem-te­to, os ti­ros te­ri­am saí­do de al­gum dos con­do­mí­ni­os de clas­se mé­dia al­ta ao re­dor do ter­re­no, ocu­pa­do nes­te mês por cer­ca de 6.500 fa­mí­li­as. Já lí­de­res de um mo­vi­men­to de mo­ra­do­res do en­tor­no, con­trá­ri­os à in­va­são, atri­buí­ram a res­pon­sa­bi­li­da­de aos pró­pri­os sem­te­to, ale­gan­do que, na tar­de des­te sá­ba­do, ocor­ria uma fes­ta “sem con­tro­le” no lo­cal.

De acor­do com An­dreia Bar­bo­sa, 34, uma das co­or­de­na­do­ras da ocu­pa­ção Po­vo Sem Me­do, os dis­pa­ros ocor­re­ram por vol­ta das 17h. “Es­ta­va to­do mun­do reu­ni­do, fa­zen­do a cons­tru­ção de uma co­zi­nha co­le­ti­va. Che­gou um ra­paz avi­san­do que ti­nham ati­ra­do dos pré­di­os pa­ra bai­xo, e que o ho­mem [au­tor dos dis­pa­ros] ain­da fi­cou mos­tran­do a ar­ma.”

Se­gun­do ela, um ido­so tam­bém foi fe­ri­do de ras­pão por um ti­ro que ri­co­che­te­ou em um va­so sa­ni­tá­rio.

O MTST afir­ma que o ho­mem fe­ri­do é Au­di­nei Se­ra­pião da Sil­va. Se­gun­do a Pre­fei­tu­ra de São Ber­nar­do do Cam­po, ele foi en­ca­mi­nha­do ao Pron­to-So­cor­ro Cen­tral e seu qua­dro é es­tá­vel. Ele pas­sa­ria por ci­rur­gia na noi­te des­te sá­ba­do pa­ra a re­ti­ra­da do pro­jé­til e de­ve fi­car em ob­ser­va­ção até es­te do­min­go (16).

O gru­po de mo­ra­do­res con­trá­ri­os à in­va­são, cha­ma­do de MCI, emi­tiu no­ta após Guilherme Bou­los, co­or­de­na­dor do MTST, re­la­tar em ví­deo pos­ta­do nu­ma re­de so­ci­al o que cha­mou de ata­que. “O MCI sa­li­en­ta que o ca­so ocor­ri­do den­tro do ter­re­no in­va­di­do foi ge­ra­do em meio a re­a­li­za­ção de uma fes­ta, em que vá­ri­as pes­so­as aden­tra­ram o lo­cal, sem qual­quer ti­po de con­tro­le”, diz o tex­to, que atri­bui a res­pon­sa­bi­li­da­de de qual­quer pro­ble­ma den­tro da ocu­pa­ção a Bou­los, “que de­ve as­su­mir o ris­co das pes­so­as den­tro da­que­le es­pa­ço”.

O MCI ain­da diz que fez um ato pa­cí­fi­co na ma­nhã des­te sá­ba­do, com “fa­mí­li­as e pes­so­as de bem, rei­vin­di­can­do se­gu­ran­ça a to­do o bair­ro e jus­ti­ça por en­ten­der que a ocu­pa­ção é ir­re­gu­lar e não tem ne­nhu­ma co­ber­tu­ra das le­gis­la­ções vi­gen­tes”.

Se­gun­do Bou­los, é a mai­or ocu­pa­ção do MTST nos úl­ti­mos anos, e começou no dia 2 após le­van­ta­men­to do mo­vi­men­to in­di­car fal­ta de mo­ra­dia no ABC. A área per­ten­ce à cons­tru­to­ra MZM, que não con­se­guiu a rein­te­gra­ção de pos­se na Jus­ti­ça. Na sex­ta (15), uma au­di­ên­cia de con­ci­li­a­ção ter­mi­nou sem acor­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.