A DI­FI­CUL­DA­DE DA CU­RA

En­con­trar uma so­lu­ção pa­ra o Parkinson e o Alzheimer tem si­do um gran­de de­sa­fio, mas a cu­ra po­de es­tar pró­xi­ma!

Glicimia, Colesterol, Triglicerides - - Sumário -

Sem uma cau­sa exa­ta e uma cu­ra efe­ti­va, as pes­qui­sas con­ti­nu­am pa­ra en­con­trar uma so­lu­ção de­fi­ni­ti­va!

OPARKINSON AFE­TA 1% DA PO­PU­LA­ÇÃO MUN­DI­AL, SEN­DO, PRIN­CI­PAL­MEN­TE, PES­SO­AS COM IDA­DE EN­TRE 50 E 60 ANOS. As chan­ces de de­sen­vol­ver a do­en­ça au­men­tam con­for­me o avan­ço da ida­de, mas é pos­sí­vel que ocor­ra em pa­ci­en­tes mais jo­vens, no ca­so de te­rem ca­rac­te­rís­ti­cas ge­né­ti­cas. Já o Alzheimer atin­ge, os ido­sos com mais de 65 anos e as mu­lhe­res são mais afe­ta­das que os ho­mens. Com is­so, as pes­qui­sas e es­tu­dos em bus­ca de uma for­ma de cu­rar es­sas do­en­ças con­ti­nu­am sen­do de­sen­vol­vi­dos pa­ra per­mi­tir que pa­ci­en­tes te­nham chan­ces re­ais de ven­ce­rem o Parkinson e o Alzheimer.

AMENIZANDO OS SINTOMAS

“O tra­ta­men­to pa­ra o Parkinson não é cu­ra­ti­vo, mas pa­li­a­ti­vo dos sintomas. Con­sis­te, ba­si­ca­men­te, no uso de me­di­ca­men­tos que ten­tam cor­ri­gir a de­fi­ci­ên­cia da do­pa­mi­na”, ex­pli­ca Van­der­ci Borges, co­or­de­na­do­ra do De­par­ta­men­to de Trans­tor­nos do Mo­vi­men­to da Aca­de­mia Bra­si­lei­ra de Neu­ro­lo­gia. O Alzheimer tam­bém não pos­sui cu­ra, mas exis­tem tratamentos com me­di­ca­men­tos que ten­tam re­tar­dar a pro­gres­são dos sintomas e tra­tar os mais per­tur­ba­do­res.

E A CU­RA?

Ape­sar dos es­for­ços de es­tu­di­o­sos ao re­dor do mun­do pa­ra en­con­trar a so­lu­ção pa­ra o Parkinson e o Alzheimer, ne­nhu­ma das du­as do­en­ças apre­sen­ta cu­ra. En­tre­tan­to, al­gu­mas pes­qui­sas fei­tas nos úl­ti­mos anos mos­tram que exis­te es­pe­ran­ça pa­ra que os pa­ci­en­tes que so­frem com es­sas en­fer­mi­da­des con­si­gam se cu­rar. Con­fi­ra al­guns exem­plos dis­so:

TE­CI­DO CE­RE­BRAL

No fi­nal de 2013, ci­en­tis­tas bri­tâ­ni­cos anun­ci­a­ram a des­co­ber­ta da pri­mei­ra subs­tân­cia quí­mi­ca ca­paz de prevenir a mor­te do te­ci­do ce­re­bral em uma do­en­ça que cau­sa de­ge­ne­ra­ção dos neurô­ni­os. E o que is­so quer di­zer? Que, ape­sar de ain­da pre­ci­sar ser fei­tos mais tes­tes e pes­qui­sas so­bre is­so, es­se me­di­ca­men­to se­ria ca­paz de tra­tar do­en­ças co­mo Parkinson e Alzheimer.

O SEGREDO É VACINAR?

A pri­mei­ra va­ci­na em tes­tes com hu­ma­nos, cha­ma­da de PD01A, po­de ser con­si­de­ra­da um gran­de pas­so na bus­ca da cu­ra do Parkinson. Des­de ju­nho de 2012, 32 pa­ci­en­tes tes­tam es­sa me­di­ca­ção. Pes­qui­sas re­cen­tes in­di­ca­ram que é a gran­de quan­ti­da­de de uma pro­teí­na, co­nhe­ci­da co­mo al­fa-si­nu­cleí­na, que es­tá por trás de ca­sos da do­en­ça. Por is­so, a me­ta da va­ci­na é in­cen­ti­var o or­ga­nis­mo a cri­ar de­fe­sas con­tra es­sa pro­teí­na. O la­do ruim é que ini­bir o efei­to de uma pro­teí­na no cé­re­bro po­de não ape­nas aju­dar com o Parkinson, mas tra­zer con­sequên­ci­as gra­ves ao cor­po. Po­rém, che­gar à fa­se de tes­tes com hu­ma­nos é al­go pro­mis­sor e po­de ser vis­to co­mo uma es­pe­ran­ça.

EXA­ME DE SAN­GUE

Quem nun­ca fez um exa­me de san­gue? Gran­de par­te das pes­so­as já te­ve que re­a­li­zar es­se pro­ce­di­men­to por al­gum mo­ti­vo, mas a novidade é que es­se mes­mo exa­me po­de aju­dar a pre­ver ca­sos de Alzheimer em pes­so­as sau­dá­veis. De acor­do com os ci­en­tis­tas ame­ri­ca­nos res­pon­sá­veis pe­la pes­qui­sa, tes­tes de ní­vel de 10 gor­du­ras no san­gue per­mi­ti­ria de­tec­tar - com 90% de cer­te­za - o ris­co de uma pes­soa de­sen­vol­ver a do­en­ça nos pró­xi­mos três anos. Es­pe­ci­a­lis­tas afir­mam que os re­sul­ta­dos ain­da pre­ci­sam ser con­fir­ma­dos, mas que tal exa­me se­ria um ver­da­dei­ro pas­so a fren­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.