AMOR AO ES­TI­LO GRUNGE

Os al­tos e bai­xos da fa­mí­lia Co­bain

GRANDES ÍDOLOS DA MÚSICA - NIRVANA - EDIÇÃO DE COLECIONADOR - - Índice - TEX­TO Ka­ri­na Alon­so/Co­la­bo­ra­do­ra DE­SIGN Mary El­len Ma­cha­do

Os de­ta­lhes da agi­ta­da e con­tur­ba­da re­la­ção en­tre Kurt e Court­ney Lo­ve

Em ja­nei­ro de 1990, co­me­ça­va uma das his­tó­ri­as de amor mais con­tur­ba­das do ce­ná­rio mu­si­cal. Na bo­a­te Saty­ri­con, de Por­tland, Court­ney, ao ver o vo­ca­lis­ta do Nir­va­na pas­san­do, re­sol­veu cha­mar sua aten­ção, fa­lan­do que ele era pa­re­ci­do com Da­ve Pir­ner, vo­ca­lis­ta do Soul Asy­lum. Em res­pos­ta, Kurt a der­ru­bou e eles bri­ga­ram no chão. Na ver­da­de era uma brin­ca­dei­ra e, co­mo ofer­ta de paz, ele lhe deu um ade­si­vo de Chim Chim, o ma­ca­co do Spe­ed Ra­cer.

Mes­mo em um re­la­ci­o­na­men­to com ou­tra mu­lher, o mú­si­co não pa­rou de pen­sar em Court­ney. A loi­ra tam­bém se in­te­res­sou por ele e co­me­çou a acom­pa­nhar de per­to a car­rei­ra do Nir­va­na, mes­mo achan­do o som mui­to pe­sa­do pa­ra ela. Po­rém, sua opi­nião so­bre as mú­si­cas mu­dou ao ou­vir o single Sli­ver.

A en­tão vo­ca­lis­ta do Ho­le foi con­ver­sar com Da­ve Grohl, ba­te­ris­ta do Nir­va­na, e con­fes­sou que ti­nha se in­te­res­sa­do por Kurt. O mú­si­co dis­se que o vo­ca­lis­ta es­ta­va sol­tei­ro e ela não per­deu tem­po. En­vi­ou uma cai­xa, em for­ma­to de co­ra­ção, com uma pe­que­na bo­ne­ca de por­ce­la­na, três ro­sas, uma mi­ni­a­tu­ra de xí­ca­ra de chá e con­chas co­ber­tas de go­ma-la­ca, além de pas­sar seu per­fu­me em tu­do. Kurt, que ado­ra­va es­sas bo­ne­cas, fi­cou to­ca­do com o pre­sen­te, fa­to que só re­le­vou de­pois de al­gum tem­po.

O se­gun­do en­con­tro acon­te­ceu em 1991, du­ran­te um show do L7, no Pal­la­dium, em Los An­ge­les. Ele es­ta­va no backs­ta­ge, to­man­do xa­ro­pe pa­ra tos­se di­re­to na bo­ca do fras­co. Ela abriu a bol­sa e mos­trou que tam­bém ti­nha o seu, mas de uma mar­ca mais for­te. O fa­to foi o su­fi­ci­en­te pa­ra de­sen­ro­lar uma lon­ga con­ver­sa, re­ve­lan­do o la­do co­mu­ni­ca­ti­vo do mú­si­co. Court­ney ano­tou seu te­le­fo­ne em um guar­da­na­po e en­tre­gou a Kurt.

Com o pre­tex­to de per­gun­tar on­de a can­to­ra com­prou o xa­ro­pe, Kurt li­gou pa­ra ela de ma­dru­ga­da. Ele, que cos­tu­ma­va ser gros­so e di­re­to no te­le­fo­ne, fa­lou coi­sas que não ti­nha ti­do coragem de fa­lar pes­so­al­men­te e ain­da agra­de­ceu pe­lo pre­sen­te. De­pois da rá­pi­da con­ver­sa, fi­ca­ram um lon­go pe­río­do sem se ver, o que fez Kurt se per­gun­tar se o diá­lo­go re­al­men­te ha­via acon­te­ci­do ou se fo­ra ape­nas uma ilu­são por cau­sa do ex­ces­so da an­fe­ta­mi­na do xa­ro­pe no san­gue (é por is­so que usa­vam o re­mé­dio).

Re­la­ção con­tur­ba­da

Kurt e Court­ney co­me­ça­ram a na­mo­rar em no­vem­bro de 1991. To­dos se per­gun­ta­ram se o re­la­ci­o­na­men­to era uma for­ma de a loi­ra se apro­vei­tar da fa­ma de­le, a fim de pro­mo­ver sua pró­pria ban­da, ou se era a união de du­as pes­so­as de­sa­jus­ta­das que pro­cu­ra­vam a so­lu­ção pa­ra seus pro­ble­mas pes­so­ais. O mú­si­co che­gou a re­ve­lar que es­ta­va tão apai­xo­na­do que se­ria ca­paz de lar­gar a ban­da, mas o con­tra­to o im­pe­dia.

A re­la­ção foi mar­ca­da por abusos de dro­gas, de­sin­to­xi­ca­ções e re­caí­das. No fi­nal da vi­da, Kurt es­ta­va usan­do he­roí­na to­dos os di­as e te­ve tan­tas over­do­ses (mui­tas de­las qua­se mor­tais) que Court­ney guar­da­va um kit de pri­mei­ros so­cor­ros com Va­lium e Nar­can, dro­gas que anu­lam o efei­to da he­roí­na.

Em ja­nei­ro de 1992, o ca­sal pas­sou por uma de­sin­to-

xi­ca­ção, mas Kurt con­ti­nu­ou usan­do e fez com que Court­ney tam­bém ti­ves­se uma re­caí­da. No mês se­guin­te, eles se ca­sa­ram na praia de Wai­ki­ki, no Ha­vaí, sa­ben­do da gra­vi­dez de Court­ney. A noi­va usou um ves­ti­do de ce­tim e ren­da, que ti­nha si­do da atriz Fran­ces Far­mer. Já o noi­vo usou um pi­ja­ma ver­de xa­drez.

Pai de pri­mei­ra vi­a­gem

A gra­vi­dez foi tan­to a es­pe­ran­ça de Kurt dei­xar o ví­cio quan­to um mo­ti­vo de de­ses­pe­ro, por­que ele não sa­bia co­mo ser pai, já que não te­ve um exem­plo mui­to bom em ca­sa.

Em 1992, Court­ney deu uma en­tre­vis­ta pa­ra a Va­nity Fair, di­zen­do que ti­nha usa­do he­roí­na an­tes de sa­ber que es­ta­va grá­vi­da. A re­vis­ta dis­tor­ceu su­as pa­la­vras e fez com que pa­re­ces­se que ela ha­via usa­do du­ran­te a gra­vi­dez. Es­sa no­tí­cia fez com que o ca­sal per­des­se a guar­da de Fran­ces e só a re­cu­pe­ras­se no ano se­guin­te, após acei­ta­rem se sub­me­ter a exa­mes de uri­na e vi­si­tas de as­sis­ten­tes so­ci­ais.

Du­ran­te os ul­tras­sons, Kurt dis­se que o be­bê era pe­que­no e ti­nha for­ma­to se­me­lhan­te ao de um grão de fei­jão (bean, em in­glês). Após o nas-

ci­men­to, em agos­to, a cri­an­ça foi re­gis­tra­da co­mo Fran­ces Bean Co­bain.

No dia se­guin­te ao par­to, o can­tor en­trou ar­ma­do no quar­to do hos­pi­tal da es­po­sa e propôs que eles se ma­tas­sem, por­que se­ria me­lhor pa­ra Fran­ces. De­pois de mui­to es­for­ço, Court­ney con­se­guiu fa­zê-lo desistir da ideia. Po­rém, no dia se­guin­te, Co­bain cha­mou um tra­fi­can­te pa­ra ir ao hos­pi­tal e usou he­roí­na na ala de de­sin­to­xi­ca­ção.

Viú­va e mãe

Court­ney Lo­ve já era odi­a­da no meio mu­si­cal por sua pos­tu­ra bri­guen­ta. O re­la­ci­o­na­men­to com Kurt foi mais um mo­ti­vo pa­ra não ser bem acei­ta.

Sua ban­da, Ho­le, es­ta­va pa­ra lan­çar um CD quan­do seu ma­ri­do mor­reu. A da­ta não foi mu­da­da e, du­as se­ma­nas de­pois, saiu Li­ve Th­rough This. Du­ran­te a tur­nê, a loi­ra es­ta­va com o emo­ci­o­nal bas­tan­te aba­la­do. En­quan­to can­ta­va, mu­da­va as le­tras das mú­si­cas, de­di­can­do ao ma­ri­do e à ami­ga, Kris­ten, que tam­bém ha­via mor­ri­do, e pro­vo­ca­va os fãs do Nir­va­na, que a acu­sa­vam de ter ma­ta­do Kurt.

Não só de mú­si­ca vi­veu Court­ney. A loi­ra apos­tou na car­rei­ra de atriz, par­ti­ci­pan­do dos fil­mes Bas­qui­at, Pai­xão Ban­di­da, O Po­vo Con­tra Lar­ry Flynt, O Mun­do de Andy, en­tre ou­tros. Ex­plo­rou tam­bém su­as ha­bi­li­da­des ma­nu­ais, com a ex­po­si­ção de pin­tu­ras pró­pri­as e de­se­nhos, em 2002, in­ti­tu­la­da And She’s Not Even Pretty.

Em 1998, Court­ney deu um tem­po nas dro­gas e co­me­çou a le­var uma vi­da sau­dá­vel, mas, em 2004, te­ve ou­tra re­caí­da. No mes­mo ano, du­ran­te a en­tre­vis­ta pa­ra o pro­gra­ma de Da­vid Let­ter­man, es­ta­va no­ta­vel­men­te al­te­ra­da e che­gou a mos­trar até o que não de­ve­ria. Na mes­ma noi­te, foi pre­sa por pos­se de subs­tân­ci­as con­tro­la­das. Após um ano, foi in­ter­na­da em um cen­tro de re­a­bi­li­ta­ção pa­ra tra­tar seu ví­cio em dro­gas pe­sa­das, es­pe­ci­al­men­te co­caí­na.

No ano de 2011, a loi­ra deu uma de­cla­ra­ção ale­gan­do que não queria mais ser as­so­ci­a­da à ima­gem de louca e dro­ga­da por­que es­ta­va se es­for­çan­do pa­ra ser uma boa pes­soa. Po­rém, não con­se­gui­ra se des­fa­zer da ima­gem de bri­guen­ta, por­que sem­pre apa­re­cia nos no­ti­ciá­ri­os por de­cla­ra­ções po­lê­mi­cas nas re­des so­ci­ais ou pro­ces­sos ju­di­ci­ais.

Em re­la­ção a Fran­ces, Court­ney dis­se re­cen­te­men­te, em en­tre­vis­ta pa­ra a re­vis­ta Va­nity Fair, que se ar­re­pen­deu de al­gu­mas ati­tu­des ir­res­pon­sá­veis na in­fân­cia e ado­les­cên­cia da fi­lha.

FO­TO Re­pro­du­ção/Tum­blr Court­ney-Lo­ve.org

Vi­deo Mu­sic Awards (1993): a fa­mí­lia de Kurt mar­ca­va pre­sen­ça nos even­tos OU­TRAS TEN­TA­TI­VAS Não é se­gre­do que Kurt Co­bain ten­tou se ma­tar vá­ri­as ve­zes com di­ver­sas over­do­ses. Uma de su­as ex­pe­ri­ên­ci­as de qua­se mor­te foi em mar­ço de 1994, em um...

Com a fi­lha Fran­ces, ain­da be­bê

O ca­sa­men­to na­da con­ven­ci­o­nal de Kurt e Court­ney no Ha­vaí

A sel­fie dos re­cém ca­sa­dos no ba­nhei­ro do ho­tel

FO­TO Re­pro­du­ção/Ins­ta­gram @court­ney­lo­ve

A gui­tar­ra de Kurt com o no­me de sua ama­da e um co­ra­ção

Kurt e Court­ney com Flea, do Red Hot Chi­li Pep­pers

O ca­sal po­sa pa­ra a ca­pa da ex­tin­ta re­vis­ta Sas­sy (aci­ma) e a ca­pa da edi­ção com a fa­mí­lia Co­bain (ao la­do) MU­SI­CAL Court­ney Lo­ve de­cla­rou que pre­ten­de fa­zer um mu­si­cal so­bre a vi­da do ex-ma­ri­do. Em en­tre­vis­ta ao si­te NME, dis­se que a ideia sur­giu...

FO­TOS Re­pro­du­ção/vash­tie.com

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.