IN UTE­RO

GRANDES ÍDOLOS DA MÚSICA - NIRVANA - EDIÇÃO DE COLECIONADOR - - Discografia -

(1993) Gef­fen, pro­du­zi­do por Ste­ve Al­bi­ni

01. Ser­ve the Ser­vants 02. Scen­tless Ap­pren­ti­ce 03. He­artSha­ped Box 04. Ra­pe Me 05. Fran­ces Far­mer Will Ha­ve Her Re­ven­ge On Se­at­tle 06. Dumb 07. Very Ape 08. Milk It 09. Penny­royal Tea 10. Ra­dio Fri­en­dly Unit Shif­ter 11. Tou­ret­te’s 12. All Apo­lo­gi­es 13. Gal­lons of Rub­bing Al­cohol Flow Th­rough the Strip

In Ute­ro foi o úl­ti­mo ál­bum edi­ta­do por Kurt Co­bain. O dis­co só foi lan­ça­do em 1993 por­que a ban­da queria que ele saís­se exa­ta­men­te co­mo ima­gi­na­ram. A in­ten­ção era não re­pe­tir a fór­mu­la de Ne­ver­mind e sim fa­zer um dis­co que mos­tras­se o quan­to o Nir­va­na po­de­ria ser bom, mes­mo sem gra­var de for­ma “pro­fis­si­o­nal” co­mo os ou­tros ar­tis­tas fa­zi­am.

Gra­va­do em dez di­as em um estúdio de Min­ne­a­po­lis, In Ute­ro foi o tra­ba­lho que mais con­su­miu Kurt emo­ci­o­nal­men­te du­ran­te os me­ses que o an­te­ce­de­ram. Tam­bém é por con­ta dis­so que é um ál­bum mais den­so, me­lan­có­li­co, mais pes­so­al de Kurt e com uma so­no­ri­da­de pe­sa­da. A in­fluên­cia do punk per­meia to­das as can­ções que o com­põem.

Ini­ci­al­men­te, o dis­co se cha­ma­ria I Ha­te My­self and I Want to Die, po­rém, con­ven­ce­ram Kurt de que es­se título ge­ra­ria pro­ble­mas. A se­gun­da op­ção foi Ver­se Cho­rus Ver­se, uma es­pé­cie de iro­nia à pró­pria es­tru­tu­ra das mú­si­cas da ban­da, mas pa­ra en­trar em acor­do com a gra­va­do­ra, o no­me es­co­lhi­do foi In Ute­ro.

Em­bo­ra não te­nha ti­do o mes­mo êxi­to de Ne­ver­mind, In Ute­ro ven­deu 3,5 mi­lhões de có­pi­as só nos Es­ta­dos Uni­dos. E mui­tos fãs e crí­ti­cos o con­si­de­ram co­mo o me­lhor ál­bum da ban­da por con­ta da evo­lu­ção de Co­bain pre­sen­te em seus ver­sos e nos te­mas de su­as can­ções.

Gr av ad o em es túd io

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.