His­tó­ria da ca­pa

Guia Astral - - Índice -

“Te­nho me­do de que meu na­mo­ra­do des­cu­bra que já pe­guei o ir­mão de­le!”

“O jei­to vai ser ar­ris­car pra ver”

João Bi­du, es­tou com um gran­de pro­ble­ma na mi­nha vi­da amo­ro­sa e pre­ci­so mui­to da sua aju­da. Acon­te­ceu que eu pe­guei um ga­ro­to em uma fes­ta que fui por­que nós dois

es­tá­va­mos mui­to bê­ba­dos. Lo­go de­pois dis­so, eu aca­bei des­co­brin­do que ele ti­nha uma mu­lher e que ela es­ta­va grá­vi­da de­le. Po­rém eu co­nhe­ci o ir­mão de­le de­pois de um tem­po e, sem sa­ber que os dois eram ir­mãos, nós co­me­ça­mos a pa­que­rar e a fi­car jun­tos. Só que es­se ou­tro ca­ra é dois anos mais no­vo do que eu e, ago­ra, ele quer me as­su­mir pa­ra to­da a fa­mí­lia de­le co­mo a sua na­mo­ra­da. Mas eu te­nho me­do que o ir­mão de­le aca­be di­zen­do al­gu­ma coi­sa so­bre o que acon­te­ceu co­mi­go e com ele na­que­la fes­ta. Eu não sei o que de­vo fa­zer. Me aju­da, por fa­vor! O que eu fa­ço, Bi­du? Ca­rol

— Vo­cê es­tá mes­mo com um bai­ta pro­ble­mão,

Ca­rol! Mas, co­mo não sa­bia que os dois eram ir­mãos e tra­tou de es­ca­pu­lir qu­an­do des­co­briu que o pri­mei­ro ti­nha uma mu­lher grá­vi­da, nem tu­do es­tá per­di­do. E se o ir­mão com­pro­me­ti­do der com as lín­guas nos den­tes, o mai­or pre­ju­di­ca­do nes­sa his­tó­ria se­rá ele mes­mo, pois a mu­lher de­le iria des­co­brir a trai­ção e é ele quem iria aca­bar se dan­do mal. Qu­an­do for co­nhe­cer a fa­mí­lia do seu na­mo­ra­do, vo­cê po­de até dis­far­çar que não co­nhe­ce o ir­mão de­le, mas, co­mo men­ti­ra tem per­na cur­ta, a ver­da­de po­de vir à to­na — e, se o ca­ra des­co­brir pe­la bo­ca do ir­mão, se­rá mui­to pi­or, ok? Sem con­tar que, nes­se ca­so, vai ser a ver­são de­le da his­tó­ria e seu na­mo­ra­do po­de achar que vo­cê não con­tou por­que ain­da gos­ta do ir­mão. Co­mo vai ser di­fí­cil es­con­der o ca­so que te­ve com o ir­mão de­le e tem me­do que o ca­ra aca­be con­tan­do a ver­da­de pro seu na­mo­ra­do, tal­vez se­ja melhor vo­cê abrir o jo­go e con­tar to­da a ver­da­de. Co­mo es­se ro­lo acon­te­ceu an­tes de vo­cês se co­nhe­ce­rem e vo­cê e o ir­mão de­le es­ta­vam bê­ba­dos, há uma chan­ce, bem pe­que­na, é ver­da­de, de que te per­doe e acei­te. O jei­to vai ser ar­ris­car pra ver.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.