Contos eró­ti­cos

Guia Astral - - Sexo Gostoso -

Es­co­la do pra­zer

Meu na­mo­ra­do e eu fo­mos a uma fes­ta, mas eu es­ta­va um pou­co de­sa­ni­ma­da e ele su­ge­riu que fôs­se­mos a um lu­gar mais re­ser­va­do. An­da­mos por uma rua de­ser­ta e es­cu­ra e, en­tão, meu ga­to me abra­çou por trás. Aí, eu já fi­quei ex­ci­ta­da e ele per­ce­ben­do, co­me­çou a aca­ri­ci­ar os meus sei­os com de­se­jo. Sen­ti seu pê­nis cres­cer na cal­ça, ro­çan­do meu bum­bum. O te­são es­ta­va ex­plo­din­do tan­to que não es­tá­va­mos mais aguen­tan­do. Vi­mos uma es­co­la e, per­ce­ben­do que o por­tão es­ta­va des­tran­ca­do, en­tra­mos. Não sa­bía­mos se ti­nha gen­te den­tro, mas ar­ris­ca­mos. Meu na­mo­ra­do me dei­tou em ci­ma de uma car­tei­ra e me pe­ne­trou com gos­to. Go­zei mui­to. En­quan­to nos ves­tía­mos, fo­mos sur­pre­en­di­dos por uma voz que dis­se: ‘Já aca­ba­ram?’. En­ver­go­nha­dos, saí­mos ra­pi­di­nho... Ain­da me dá te­são qu­an­do pen­so na­que­la noi­te! Gi­o­van­na

Re­con­ci­li­a­ção ex­ci­tan­te

Tu­do acon­te­ceu qu­an­do ti­ve uma bri­ga com meu na­mo­ra­do e, pa­ra es­fri­ar a ca­be­ça, con­vi­dei uma ami­ga pa­ra ir­mos a uma ba­la­da. De­pois de dan­çar e be­ber to­das, fi­ca­mos bem pró­xi­mas e aca­ba­mos nos bei­jan­do e fi­ca­mos jun­ti­nhas a fes­ta to­da. O cli­ma foi es­quen­tan­do e, no fim da ba­la­da, eu pro­pus que fôs­se­mos à ca­sa do meu na­mo­ra­do. Che­gan­do lá, a coi­sa pe­gou mais fo­go ain­da! En­tra­mos os três no chu­vei­ro e abu­sa­mos dos bei­jos tri­plos e das ca­rí­ci­as quen­tes. De­pois, em um col­chão no chão, fe­cha­mos a noi­te com cha­ve de ou­ro, com uma tran­sa a três ma­ra­vi­lho­sa! Nos­sa re­con­ci­li­a­ção foi per­fei­ta e, de­pois des­sa noi­te, re­sol­ve­mos re­pe­tir a do­se e nos­sas tran­sas fi­ca­ram mui­to mais ex­ci­tan­tes. Pau­la

Abu­sa­mos dos bei­jos tri­plos e das ca­rí­ci­as quen­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.