Nu­me­ro­lo­gia do su­ces­so

Ar­re­ben­te no amor, no se­xo e no tra­ba­lho!

Guia Astral - - Indice -

Ar­re­ben­te no amor, no se­xo e no tra­ba­lho!

ANu­me­ro­lo­gia é ca­paz de con­tar mais so­bre a sua per­so­na­li­da­de sa­ben­do ape­nas a sua da­ta de nas­ci­men­to. Pa­ra des­co­brir seu nú­me­ro, é fá­cil: so­me os nú­me­ros do dia, mês e ano em que vo­cê nas­ceu. Por exem­plo, se nas­ceu em 17 de no­vem­bro de 1993, so­me: 1 + 7 + 1 + 1 + 1 + 9 + 9 + 3 = 32. De­pois, so­me no­va­men­te os al­ga­ris­mos do re­sul­ta­do até ele vi­rar um nú­me­ro de um a no­ve: 3 + 2 = 5.

Fa­ça o cál­cu­lo com seus da­dos e des­cu­bra com a Nu­me­ro­lo­gia co­mo plan­tar e co­lher o su­ces­so no amor, no se­xo e no tra­ba­lho!

Amor: acos­tu­ma­da a vi­ver em um mun­do só seu, quem se apai­xo­nar por vo­cê vai pre­ci­sar ven­cer es­sa bar­rei­ra. Ten­te ser mais aber­ta! Se­xo: sa­be dar e re­ce­ber pra­zer qu­an­do há cum­pli­ci­da­de, re­ve­lan­do uma mu­lher ge­ne­ro­sa e aten­ci­o­sa na ca­ma. Apro­vei­te a sin­to­nia en­tre vo­cê e o par!

Tra­ba­lho: sua cri­a­ti­vi­da­de é uma for­te ali­a­da na ho­ra de so­lu­ci­o­nar pro­ble­mas – já que, pa­ra vo­cê, o im­por­tan­te é al­can­çar me­tas. Mas to­me cui­da­do! Não se es­que­ça de dei­xar o tra­ba­lho de la­do, às ve­zes, pra po­der pres­tar aten­ção em ou­tras áre­as da vi­da.

Amor: an­dar de mãos da­das pra vo­cê é mui­to im­por­tan­te, pois se sen­te mui­to que­ri­da. Se ele não tem o cos­tu­me de fa­zer is­so, con­ver­sem e bus­quem equi­lí­brio no re­la­ci­o­na­men­to.

Se­xo: de­di­ca­da na ca­ma, dá o seu me­lhor pa­ra que a pes­soa ama­da te­nha uma tran­sa ines­que­cí­vel. Apos­te em vo­cê e ve­ja seu amor gri­tan­do de te­são!

Tra­ba­lho: vo­cê é cheia de ener­gia e cum­pre su­as ta­re­fas sem re­cla­mar, pois fi­ca con­ten­te em aju­dar e se sen­te re­co­nhe­ci­da qu­an­do seu es­for­ço faz a di­fe­ren­ça. Ape­sar dis­so, o tra­ba­lho ren­de mais em um lu­gar cal­mo e tran­qui­lo.

Amor: ado­ra fa­zer a pes­soa ama­da rir qu­an­do es­tá de bom hu­mor, mas não es­con­de seu la­do mal­do­so qu­an­do não es­tá nos me­lho­res di­as. Se­xo: apro­vei­ta bem to­do o pra­zer na ho­ra H e gos­ta de por em prá­ti­ca as fan­ta­si­as eró­ti­cas. Sa­be o que fa­zer pra se­du­zir seu amor.

Tra­ba­lho: a cha­ve pa­ra o su­ces­so é a sua cri­a­ti­vi­da­de. Gra­ças ao seu ta­len­to e con­cen­tra­ção, con­se­gue fa­zer vá­ri­as ta­re­fas ao mes­mo tem­po, o que vai ga­ran­tir que vo­cê se­ja re­co­nhe­ci­da. Man­te­nha seu jei­to ale­gre e sim­pá­ti­co e vai con­ti­nu­ar tra­zen­do os co­le­gas pra per­to.

Amor: mes­mo sen­do uma pes­soa ro­mân­ti­ca, pre­fe­re ter os pés no chão. Pra vo­cê, um bom re­la­ci­o­na­man­to é um re­la­ci­o­na­men­to se­gu­ro.

Se­xo: nun­ca dei­xa os de­se­jos pas­sa­rem em bran­co – seus ou os do par. Po­rém, se pu­der, na ca­ma tam­bém vai es­co­lher a op­ção mais se­gu­ra.

Tra­ba­lho: de­ter­mi­na­da e pro­a­ti­va, sem­pre se es­for­ça pra dar con­ta de to­das as su­as ta­re­fas, pois tem con­tro­le so­bre su­as res­pon­sa­bi­li­da­des. Mas, por con­ta da sua in­se­gu­ran­ça, po­de que­rer fi­car no mes­mo tra­ba­lho por anos. Pro­cu­re abrir sua men­te pa­ra no­vas opor­tu­ni­da­des!

Amor: vo­cê ado­ra mu­dan­ças, e is­so re­fle­te no seu hu­mor: cheio de al­tos e bai­xos. Por is­so, a pes­soa ama­da de­ve ser pa­ci­en­te e en­ca­rar a va­ri­a­ção nu­ma boa.

Se­xo: com vo­cê a ver­go­nha não tem vez! É che­ga­da em aven­tu­ras e sur­pre­sas: no­vas emo­ções en­tre qua­tro pa­re­des po­dem te le­var à lou­cu­ra!

Tra­ba­lho: com uma do­se ex­tra de pa­ci­ên­cia e o seu ta­len­to na co­mu­ni­ca­ção, vo­cê vai con­se­guir en­si­nar o que qui­ser aos seus co­le­gas. Só to­me cui­da­do com o que fa­la e on­de se in­tro­me­te! Po­de aca­bar di­zen­do coi­sas sem pen­sar ou se en­vol­ver em si­tu­a­ções que não têm na­da a ver com vo­cê.

Amor: pre­ci­sa dei­xar cla­ro pa­ra o ama­do que ele é es­pe­ci­al, en­chen­do-o de mi­mos. Já na ho­ra da con­quis­ta, sa­be bem co­mo che­gar no es­co­lhi­do.

Se­xo: pa­ra al­can­çar o pra­zer a dois, a pes­soa ama­da de­ve dar asas pa­ra a ima­gi­na­ção e so­nhar tão al­to qu­an­to vo­cê. Com­par­ti­lhem as fan­ta­si­as!

Tra­ba­lho: pro­a­ti­va e ge­ne­ro­sa, es­tá sem­pre pron­ta pra pau­sar o que es­ti­ver fa­zen­do e aju­dar quem pre­ci­sar. Mes­mo que se des­ta­que pe­lo tra­ba­lho co­le­ti­vo, faz ques­tão de va­lo­ri­zar tam­bém o es­for­ço da equi­pe, ga­nhan­do a ad­mi­ra­ção dos co­le­gas.

Amor: sen­sí­vel, vo­cê de­di­ca mui­to tem­po da sua vi­da à su­as pró­pri­as fan­ta­si­as e emo­ções. Por is­so, cui­da­do pra não ro­lar de­cep­ção e má­go­as no seu re­la­ci­o­na­men­to.

Se­xo: com seu jei­to di­ver­ti­do, pra vo­cê fa­zer se­xo é co­mo ir nu­ma mon­ta­nha rus­sa. Só fi­que aten­ta pra não pas­sar a im­pres­são de que não es­tá in­te­res­sa­da na ho­ra H.

Tra­ba­lho: o tra­ba­lho é pra­ze­ro­so e ren­de mais qu­an­do es­tá so­zi­nha ou é em um em­pre­go que te­nha es­pa­ço ape­nas pra vo­cê. Mes­mo as­sim, seu fo­co e mo­ti­va­ção não vão te dei­xar na mão na ho­ra de re­a­li­zar seus projetos – no­vos e an­ti­gos.

Amor: com seu char­me, po­de con­quis­tar quem vo­cê qui­ser. Mas, ape­sar da óti­ma au­to­es­ti­ma, tem me­do de cair nu­ma fria e al­guém brin­car com seus sen­ti­men­tos.

Se­xo: seu ta­len­to en­tre qua­tro pa­re­des vai dei­xar o par de quei­xo caí­do, mas cui­da­do pra não exi­gir de­mais do seu de­sem­pe­nho só pra pro­var que é ex­pert na ca­ma.

Tra­ba­lho: seu jei­to com os ne­gó­ci­os pas­sa con­fi­an­ça a to­dos que es­tão a sua vol­ta. Com­bi­na­da com sua in­te­li­gên­cia, a dis­po­si­ção vai te le­var lon­ge na lu­ta pe­los seus ob­je­ti­vos. Gos­ta de mos­trar as coi­sas que con­se­guiu e me­dir seu su­ces­so por elas.

Amor: vo­cê gos­ta mes­mo é de agra­dar quem ama, sem es­pe­rar na­da em tro­ca. Mas, qu­an­do re­ce­be o ca­ri­nho de vol­ta, a fe­li­ci­da­de vem em do­bro.

Se­xo: no se­xo, o pa­po não é di­fe­ren­te: põe os de­se­jos do ou­tro em pri­mei­ro lu­gar, e até tem me­do de de­cep­ci­o­nar o par, mes­mo sem mo­ti­vo.

Tra­ba­lho: vo­cê nas­ceu pra li­de­rar! As pes­so­as a sua vol­ta per­ce­bem is­so e aca­bam pe­din­do a sua aju­da, sen­tin­do-se à von­ta­de com vo­cê. De­ter­mi­na­da, as de­mons­tra­ções de ami­za­de dei­xam vo­cê ain­da mais ins­pi­ra­da pa­ra fa­zer o tra­ba­lho que gos­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.