“Na ca­ma me ado­ra, mas de­pois fin­ge que nem me co­nhe­ce”

Guia Astral - - História Da Capa -

“Tá na ca­ra que es­se ho­mem não quer na­da sé­rio”

João, sou de Sa­gi­tá­rio e há uns três anos só te­nho me re­la­ci­o­na­do com ca­pri­cor­ni­a­nos. Há um ano, co­me­cei a me re­la­ci­o­nar com um que tra­ba­lha­va co­mi­go, nós nos ve­mos uma vez por se­ma­na, con­ver­sa­mos qua­se to­dos os di­as e nos da­mos su­per­bem, prin­ci­pal­men­te no se­xo. Sem­pre con­ver­sa­mos so­bre tu­do, tra­ba­lho, vi­a­gens, a gen­te só não con­se­gue fa­lar so­bre re­la­ci­o­na­men­tos. Ele sem­pre fa­la que me ado­ra na ca­ma, te­mos uma quí­mi­ca in­crí­vel, mas é só en­tre qua­tro pa­re­des. Na rua e no tra­ba­lho, ele fin­ge que nem me co­nhe­ce. Mas não con­si­go me re­la­ci­o­nar com mais nin­guém de­pois de­le, sem­pre pre­fi­ro ele qu­an­do ten­to co­nhe­cer ou­tra pes­soa. Se­rá que é cos­tu­me, pe­lo tem­po que es­ta­mos nos ven­do, ou é al­go a mais? Tem al­gu­ma sim­pa­tia pa­ra eu su­pe­rar is­so e en­con­trar mi­nha al­ma gê­mea? Jo­si­a­ne — Ô, Jo­si­a­ne, por mais que a quí­mi­ca e o se­xo se­jam bons, tá na ca­ra que es­se ho­mem não quer na­da sé­rio, ca­so con­trá­rio não te ig­no­ra­ria fo­ra da ca­ma e já te­ria fa­la­do em com­pro­mis­so — afi­nal, faz um ano que es­tão nes­se len­ga-len­ga. Pas­sou da ho­ra de dar um bas­ta nes­sa si­tu­a­ção e man­dar es­se ra­paz ca­tar co­qui­nho! Qu­an­do co­nhe­cer ou­tra pes­soa, se es­for­ce pa­ra o lan­ce dar cer­to e não fi­que com­pa­ran­do com o ca­pri­cor­ni­a­no. A mú­si­ca Se Ame Mais, da Ma­rí­lia Men­don­ça, é uma boa nes­sas ho­ras: “Su­pe­rar não é tão fá­cil, mas se tor­na ne­ces­sá­rio. E por ques­tão de hon­ra, se eu fos­se vo­cê, dei­xa­va is­so en­ter­ra­do. Vo­cê tem que se­guir em fren­te”. E se­gue a sim­pa­tia pra su­pe­rar es­sa de­si­lu­são amo­ro­sa: es­cre­va du­as ve­zes o no­me da pes­soa que de­se­ja es­que­cer em um pa­pel de seda bran­co, for­man­do uma cruz. Do­bre o pa­pel e dei­xe-o atrás da por­ta prin­ci­pal do seu lar. Re­ze um Pai-Nos­so e uma Ave-Ma­ria, ofe­re­cen­do ao an­jo da guar­da de quem vo­cê de­se­ja es­que­cer. Na ma­nhã se­guin­te, dei­xe o pa­pel na en­tra­da da igre­ja mais pró­xi­ma de sua ca­sa.

João Bi­du no YouTu­be INSCREVA-SE youtu­be.com/vi­de­os­jo­a­o­bi­du

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.