Mer­ca­do

Hoteis - - Sumário -

Re­vis­ta Ho­téis pas­sou a ser li­da on li­ne em vá­ri­os idi­o­mas

Is­to gra­ças à par­ce­ria ex­clu­si­va com a Pres­sRe­a­der que aca­ba de che­gar ao Bra­sil e apre­sen­ta­rá a prin­ci­pal re­vis­ta da ho­te­la­ria na­ci­o­nal em mais de 100 paí­ses no mun­do

A Pres­sRe­a­der é um das mai­o­res em­pre­sas do mun­do no de­sen­vol­vi­men­to de apli­ca­ti­vos mó­veis e ofe­re­ce mais de 2.800 op­ções de jor­nais (do mes­mo dia) e re­vis­tas de 100 paí­ses no seu for­ma­to ori­gi­nal di­re­ta­men­te nos dis­po­si­ti­vos dos usuá­ri­os (ce­lu­lar, iPad, ta­blet Win­dows e An­droid, eRe­a­der e lap­top). E de olho nas opor­tu­ni­da­des exis­ten­tes no mer­ca­do ho­te­lei­ro do Bra­sil, a em­pre­sa es­tá en­tran­do nes­te mês de agosto nes­te mer­ca­do pa­ra ofe­re­cer o que exis­te de mais avan­ça­do em tec­no­lo­gia pa­ra os ho­téis. “Mui­tos hós­pe­des es­tão ca­da vez mais in­te­res­sa­dos em no­tí­ci­as das su­as ci­da­des, e es­pe­ram por elas já no mo­men­to do seu café da ma­nhã. Nos­so apli­ca­ti­vo per­mi­te uma re­du­ção sig­ni­fi­ca­ti­va de gas­tos nos ho­téis. Não se tra­ta ape­nas da subs­ti­tui­ção do jor­nal im­pres­so pe­lo di­gi­tal, é mui­to mais do que is­so, é um no­vo con­cei­to de lei­tu­ra, res­pon­sa­bi­li­da­de am­bi­en­tal e in­te­ra­ti­vi­da­de di­gi­tal, um be­ne­fí­cio imen­su­rá­vel que am­bos, ho­tel e hós­pe­de, des­fru­tam com gran­de sa­tis­fa­ção, agi­li­da­de e pra­ti­ci­da­de”, des­ta­ca Gra­zi­e­la La Sel­va, Ge­ren­te de de­sen­vol­vi­men­to de mer­ca­do da Press Re­a­der.

Se­gun­do ela, o fun­ci­o­na­men­to des­te apli­ca­ti­vo é mui­to sim­ples e bas­ta uti­li­zar a co­ne­xão wi­fi já exis­ten­te do ho­tel, não ha­ven­do ne­ces­si­da­de de in­ves­ti­men­to al­gum em equi­pa­men­tos. Ou­tra van­ta­gem, é que não re­quer ins­ta­la­ção, lo­gin ou se­nha e pos­si­bi­li­ta aces­so a to­das as pu­bli­ca­ções of­fli­ne - mes­mo após hos­pe­de ter dei­xa­do o ho­tel. “O Pres­sRe­da­er HotS­pot é um ame­nity de con­cei­to to­tal­men­te sus­ten­tá­vel on­de hós­pe­des po­dem des­fru­tar de mais de 2800 jor­nais e re­vis­tas di­gi­tais, de mais de 100 paí­ses, em mais de 60 idi­o­mas, atra­vés de um sim­ples cli­que”, ex­pli­ca Gra­zi­e­la.

E a pri­mei­ra re­vis­ta do Bra­sil a fa­zer par­te des­te apli­ca­ti­vo é a Re­vis­ta Ho­téis, que po­de­rá ser aces­sa­da em vá­ri­os idi­o­mas em mais de 1200 ho­téis e re­sorts no mun­do. “Te­mos ex­pec­ta­ti­vas des­te nú­me­ro do­brar até o fi­nal do se­mes­tre ape­nas com o no­vos ho­téis que já se en­con­tram em fa­se de ne­go­ci­a­ção fi­nal. E é com mui­to or­gu­lho que uma par­ce­la sig­ni­fi­ca­ti­va des­se cres­ci­men­to se da­rá gra­ças à ho­te­la­ria bra­si­lei­ra. A Re­vis­ta Ho­téis, a pri­mei­ra re­vis­ta do mer­ca­do ho­te­lei­ro a fir­mar par­ce­ria com a Pres­sRe­a­der, mos­tra-se co­mo um ali­a­do cru­ci­al na en­tra­da da Pres­sRe­a­der no mer­ca­do ho­te­lei­ro bra­si­lei­ro. Es­sa gran­de par­ce­ria es­tá ape­nas co­me­çan­do e am­bos já co­lhem bons fru­tos nes­se mo­men­to”, con­ta Gra­zi­e­la.

Ra­fain Pa­la­ce Ho­tel investe em ca­pa­ci­ta­ção pro­fis­si­o­nal

O Ra­fain Pa­la­ce Ho­tel, lo­ca­li­za­do em Foz do Igau­çu (PR), es­tá in­ves­tin­do na ca­pa­ci­ta­ção de seus fun­ci­o­ná­ri­os. Os co­la­bo­ra­do­res das áre­as de hos­pe­da­gem, ali­men­tos e be­bi­das pas­sa­ram no mês de ju­lho por cur­sos de re­ci­cla­gem e ca­pa­ci­ta­ção. No se­tor de hos­pe­da­gem, o aper­fei­ço­a­men­to foi di­re­ci­o­na­do à che­fi­as, pro­fis­si­o­nais de re­cep­ção, re­cre­a­ção, go­ver­nan­ça e la­van­de­ria. Den­tre os te­mas abor­da­dos es­ti­ve­ram a apre­sen­ta­ção pes­so­al, téc­ni­cas de aten­di­men­to e ou­tros as­sun­tos re­la­ci­o­na­dos a ca­da uma das fun­ções. Na Ge­rên­cia de Ali­men­tos e Be­bi­das, mai­tres e gar­çons re­a­li­zam cur­sos es­pe­cí­fi­cos de vi­nhos, apro­fun­dan­do o co­nhe­ci­men­to em eno­lo­gia e har­mo­ni­za­ção. Além des­ses cur­sos, to­dos os pro­fis­si­o­nais par­ti­ci­pam, ain­da, de trei­na­men­tos de co­mu­ni­ca­ção, li­de­ran­ça, trabalho em equi­pe, even­tos, en­tre ou­tros.

De acor­do com Cândido Fer­rei­ra Neto, Di­re­tor co­mer­ci­al do ho­tel, “Os in­ves­ti­men­tos re­a­li­za­dos em ca­pa­ci­ta­ção de equi­pe têm o ob­je­ti­vo de man­ter nos­sos co­la­bo­ra­do­res es­ti­mu­la­dos e mo­ti­va­dos. Acre­di­ta­mos que a sa­tis­fa­ção de­les é fun­da­men­tal pa­ra man­ter­mos o al­to pa­drão de qua­li­da­de do Ra­fain Pa­la­ce Ho­tel”, afir­mou.

FBHA e ABIH-SP fir­mam par­ce­ria

A FBHA – Fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Hos­pe­da­gem e Ali­men­ta­ção e a ABIH/SP – As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da In­dús­tria de Ho­téis do es­ta­do de São Pau­lo, anun­ci­a­ram no mês de agosto, a as­si­na­tu­ra de um Ter­mo de Co­o­pe­ra­ção, o qual tem co­mo ob­je­ti­vo po­ten­ci­a­li­zar a si­ner­gia en­tre as en­ti­da­des, for­ta­le­cer o de­sen­vol­vi­men­to ho­te­lei­ro e fo­men­tar ain­da

mais o turismo do es­ta­do de São Pau­lo.

De acor­do com o Pre­si­den­te da FBHA, Alexandre Sam­paio, a par­ce­ria irá fa­ci­li­tar e po­ten­ci­a­li­zar ain­da mais o trabalho re­a­li­za­do pe­los sin­di­ca­tos lo­cais do es­ta­do. “Es­te ter­mo de co­o­pe­ra­ção foi as­si­na­do e tem va­li­da­de de seis me­ses, po­den­do ser re­no­va­do no fu­tu­ro, além de po­der ser apli­ca­do em ou­tros es­ta­dos. Ele irá es­ta­be­le­cer o in­ter­câm­bio de ex­per­ti­ses e so­lu­ções com ações di­ri­gi­das a em­pre­sá­ri­os, ges­to­res e fun­ci­o­ná­ri­os do se­tor de hos­pe­da­gem e ali­men­ta­ção fo­ra do lar. Com to­da cer­te­za, quem ga­nha com es­ta par­ce­ria é o em­pre­sa­ri­a­do. Além dis­so, nós apos­ta­mos mui­to no po­ten­ci­al tu­rís­ti­co de São Pau­lo, o qual pos­sui di­fe­ren­tes op­ções no que­si­to gas­tronô­mi­co, eco­ló­gi­co, es­por­ti­vo e fes­ti­vo, en­tre ou­tros”, afir­mou.

Ca­be­rá a FBHA mi­nis­trar pa­les­tras e cur­sos com ori­en­ta­ções pa­ra ques­tões le­gais, ad­mi­nis­tra­ti­vas, co­mer­ci­ais e sin­di­cais. Pa­ra que a par­ce­ria abran­ja to­das as re­giões do es­ta­do de São Pau­lo, es­sas ações con­ta­rão com o apoio do Se­brae, Se­nac e Fe­co­mer­cio lo­cais.

Na vi­são de Bruno Omo­ri, pre­si­den­te da ABIHSP, “Ve­mos es­ta par­ce­ria co­mo uma si­ner­gia es­tra­té­gi­ca mui­to for­te do pon­to de vis­ta mer­ca­do­ló­gi­co, po­lí­ti­co, téc­ni­co e ins­ti­tu­ci­o­nal. O em­pre­sá­rio, lo­go na pri­mei­ra reu­nião, te­rá a opor­tu­ni­da­de de con­vi­ver e ver as­sun­tos, co­mo por exem­plo o

ECAD, mas olhan­do do pon­to de vis­ta fe­de­ral. Ou mes­mo um im­pos­to que es­tá sen­do co­bra­do a mais em al­gu­mas pra­ças, ou al­gu­ma lei, e etc. Com es­ta si­ner­gia se­rá pos­sí­vel tra­zer su­ges­tões dos nos­sos as­so­ci­a­dos, tan­to pa­ra a ABIH-SP, quan­to pa­ra a FBHA, pa­ra de­fen­der o mer­ca­do co­mo um to­do”, pon­tu­ou o exe­cu­ti­vo.

Saint An­drews re­ce­be prê­mio de Me­lhor Ho­tel Bou­ti­que do Bra­sil

O Ho­tel Saint An­drews, lo­ca­li­za­do em Gra­ma­do (RS), re­ce­beu pe­la se­gun­da vez con­se­cu­ti­va o prê­mio de ‘Me­lhor Ho­tel Bou­ti­que do Bra­sil’, con­ce­di­do pe­lo World Tra­vel Awards, em uma elei­ção fei­ta por vo­to pú­bli­co. O em­pre­en­di­men­to faz par­te da se­le­ta ca­deia Re­lais & Châ­te­aux.

O pro­pri­e­tá­rio do ho­tel e pre­si­den­te da re­de GJP Ho­tels & Re­sorts, Guilherme Pau­lus, co­men- tou so­bre mais es­ta con­quis­ta do em­pre­en­di­men­to: “Mais uma vez, a chan­ce­la de uma das mais im­por­tan­tes ins­ti­tui­ções mun­di­ais de nos­so tra­de é o re­co­nhe­ci­men­to do con­jun­to de nos­sos ser­vi­ços, do re­quin­te e da ele­gân­cia de nos­sas ins­ta­la­ções”, co­me­mo­rou.

A ce­rimô­nia de en­tre­ga do prê­mio ocor­reu em Qui­to, no Equa­dor, e quem re­ce­beu a pre­mi­a­ção foi o ge­ren­te-ge­ral do Saint An­drews, Um­ber­to Bel­tra­mea (Fo­to abai­xo) que co­me­mo­rou a con­quis­ta afir­man­do: “a pre­mi­a­ção mos­tra que nos­so trabalho de pro­por­ci­o­nar aos hós­pe­des ex­pe­ri­ên­ci­as úni­cas e ines­que­cí­veis é o ca­mi­nho cer­to”.

Ho­tel Re­nar co­me­mo­rou 33 anos de ati­vi­da­des

O Ho­tel Re­nar, si­tu­a­do na co­nhe­ci­da ‘Ter­ra da

Ma­çã’, em Frai­bur­go (SC), co­me­mo­rou no úl­ti­mo mês de agosto 33 anos de fun­da­ção. O ho­tel con­ta com 150.000 m² de área verde (Fo­to aci­ma) per­mi­tin­do uma am­pla vi­são da ci­da­de, em especial o La­go das Arau­cá­ri­as. O em­pre­en­di­men­to é di­ri­gi­do atu­al­men­te por Ger­da Ma­ria Frey Zi­ol­kows­ki e Ed­son Zi­ol­kows­ki, fi­lha e ne­ta de Re­ne Frey, um dos fun­da­do­res do ho­tel e da ci­da­de de Frai­bur­go, e ho­je ofe­re­ce ser­vi­ços de al­ta qua­li­da­de pa­ra os hós­pe­des e vi­si­tan­tes.

O ho­tel re­a­li­zou du­ran­te uma se­ma­na di­ver­sos “Flash­Backs” em su­as re­des so­ci­ais com mo­men­tos do em­pre­en­di­men­to. Is­to in­cluiu ima­gens des­de o de­sen­vol­vi­men­to da cons­tru­ção, hós­pe­des e mo­men­tos vi­vi­dos na es­tru­tu­ra do ho­tel.

Ho­tel Bra­sil Tro­pi­cal (CE) al­can­çou 5 mil fa­mí­li­as no seu Va­ca­ti­on Club

O Ho­tel Bra­sil Tro­pi­cal, lo­ca­li­za­do na ca­pi­tal ce­a­ren­se, aca­ba de atin­gir a mar­ca de mais de 5 mil fa­mí­li­as as­so­ci­a­das ao seu Va­ca­ti­on Club, em pou­co mais de uma dé­ca­da de exis­tên­cia do pro­gra­ma de fé­ri­as. O ho­tel é afi­li­a­do à RCI – Re­sorts Con­do­mi­niums In­ter­na­ti­o­nal.

De acor­do com o di­re­tor do em­pre­en­di­men­to, Stefan Danzl, nos úl­ti­mos dois anos o cres­ci­men­to

do pro­gra­ma foi mai­or, po­den­do ser com­pro­va­do pe­lo au­men­to no nú­me­ro de pro­fis­si­o­nais que atu­am na ope­ra­ci­o­na­li­za­ção do Va­ca­ti­on Club: pas­san­do de 30 pa­ra 120 fun­ci­o­ná­ri­os. “Nos­sa ex­pec­ta­ti­va é em até três anos ado­tar in­te­gral­men­te o sis­te­ma de ti­me sha­re (tem­po com­par­ti­lha­do) no em­pre­en­di­men­to e es­ta­mos ca­mi­nhan­do pa­ra is­so”, co­men­tou.

Se­gun­do a di­re­to­ra Bra­sil da RCI, Ma­ria Ca­ro­li­na Pi­nhei­ro, “o su­ces­so que vem re­gis­tran­do o Bra­sil Tro­pi­cal com o sis­te­ma ti­me sha­re é exem­plo do que a ho­te­la­ria no Bra­sil vem vi­ven­do. Tra­ta-se de um sis­te­ma in­te­res­san­te pa­ra os em­pre­en­di­men­tos, que ga­ran­te fi­de­li­za­ção dos cli­en­tes e ocu­pa­ção em mo­men­tos de bai­xa tem­po­ra­da”, fri­sou.

CO­NO­TEL 2015 acon­te­ce­rá em mar­ço no Cen­tro Imi­gran­tes

O Con­se­lho De­li­be­ra­ti­vo da ABIH – As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da In­dús­tria de Ho­téis em par­cei­ra com a CI­PA Fi­e­ra Mi­la­no de­fi­niu que a 57ª edi­ção do CO­NO­TEL – Con­gres­so Na­ci­o­nal de Ho­téis ocor­re­rá de 16 a 18 de mar­ço de 2015. O even­to acon­te­ce­rá em con­jun­to com a ter­cei­ra edi­ção da Food Hos­pi­ta­lity World — Fei­ra Pro­fis­si­o­nal de Ali­men­ta­ção e Hos­pi­ta­li­da­de no Cen­tro de Ex­po­si­ções Imi­gran­tes, na zo­na pau­lis­ta­na. “A su­ges­tão de da­ta foi de­fi­ni­da pe­la di­re­to­ria le­van­do em con­si­de­ra­ção a mo­vi­men­ta­ção do se­tor ho­te­lei­ro lo­go no iní­cio do pró­xi­mo ano. A re­a­li­za­ção si­mul­tâ­nea à Food Hos­pi­ta­lity World veio agre­gar va­lor ao CO­NO­TEL, pos­si­bi­li­tan­do aos pro­fis­si­o­nais da área co­nhe­cer no­vos pro­du­tos, ser­vi­ços e ten­dên­ci­as, além do aces­so às mais va­ri­a­das in­for­ma­ções, con­tri­buin­do pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to dos seg­men­tos econô­mi­cos mo­vi­men­ta­dos pe­lo se­tor”, des­ta­cou En­ri­co Fer­mi, Pre­si­den­te da ABIH Na­ci­o­nal.

Se­gun­do ele, a ex­pec­ta­ti­va é que o even­to reú­na 1.500 con­gres­sis­tas em sua pró­xi­ma edi­ção e man­te­nha sua tra­di­ção de qua­li­fi­ca­ção e ca­pa­ci­ta­ção pro­fis­si­o­nal, atra­vés de pa­les­tras e de­ba­tes mi­nis­tra­das por es­pe­ci­a­lis­tas de di­ver­sas áre­as. “Es­ta edi­ção de 2015 de­ve­rá man­ter a tra­di­ção do CO­NO­TEL de apre­sen­tar con­teú­dos al­ta­men­te qua­li­fi­ca­dos e te­mas de gran­de re­le­vân­cia pa­ra os con­gres­sis­tas, as­sim co­mo pa­ra os re­pre­sen­tan­tes de en­ti­da­des e as­so­ci­a­ções do se­tor e li­de­ran­ças em­pre­sa­ri­ais de des­ta­que no ce­ná­rio na­ci­o­nal”, des­ta­cou En­ri­co Fer­mi, Pre­si­den­te na­ci­o­nal da ABIH. O CO­NO­TEL te­rá tam­bém apoio da FBHA — Fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Hos­pe­da­gem e Ali­men­ta­ção e o pla­ne­ja­men­to e pro­du­ção fi­ca­rão por con­ta da GO­ON Con­sul­to­ria em Even­tos by Ivo­ne­te Bom­bo.

Fast Sle­ep no GRU Air­port bus­ca po­pu­la­ri­zar-se

O con­cei­to de mi­ni-ho­tel da re­de Sla­vi­e­ro Ho­téis, si­tu­a­do en­tre os ter­mi­nais 1 e 2 do Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal de Gu­a­ru­lhos (SP) ain­da é no­vi­da­de no Bra­sil. O em­pre­en­di­men­to abri­ga 40 quartos de 4m² na Ala Na­ci­o­nal, seis suí­tes de 9m², 11 ba­nhei­ros pri­va­ti­vos ape­nas pa­ra ba­nho, dois la­va­bos, além de wi-fi, TV, te­le­fo­ne, ar con­di­ci­o­na­do e co­po d’água cor­te­sia em ca­da quar­to.

Na Ala In­ter­na­ci­o­nal, o Fast Sle­ep abri­ga 12 ca­bi­nes, três suí­tes (sen­do uma adap­ta­da pa­ra por­ta­do­res de ne­ces­si­da­des es­pe­ci­ais), dois ba­nhei­ros pri­va­ti­vos com chu­vei­ro e um spa. “Es­te ano re­ce­be­mos em mé­dia 6 mil hós­pe­des por mês no pri­mei­ro se­mes­tre, e o ho­rá­rio de al­ta ocu­pa­ção é exa­ta­men­te en­tre 18h00 e 6h00. Mes­mo não po­den­do re­a­li­zar a di­vul­ga­ção no ae­ro­por­to, es­ta­mos apos­tan­do nas re­des so­ci­ais pa­ra as pes­so­as sa­be­rem que es­tes quartos exis­tem”, ex­pli­ca Leandro Bran­dão, Ge­ren­te Ge­ral (fo­to abai­xo).

O em­pre­en­di­men­to ope­ra há qua­se se­te anos no ae­ro­por­to e re­gis­tra mais de 1.000 ba­nhos por mês, se­gun­do o ge­ren­te. O pú­bli­co al­vo é ge­ral­men­te for­ma­do por exe­cu­ti­vos que fa­zem lon­gas vi­a­gens e mui­tas ve­zes que­rem ape­nas to­mar um ba­nho.

Pa­ra uma noi­te de so­no, o cli­en­te paga a par­tir de R$ 71,00, com di­rei­to a quan­tas du­chas qui­ser. Pa­ra uma du­cha ape­nas, o cli­en­te de­sem­bol­sa R$ 45,00. “Tra­ta-se de um con­cei­to mui­to co­mum na Eu­ro­pa e Ásia. Te­mos uma pro­mo­to­ra que pas­sa no ae­ro­por­to “à procura” de pes­so­as com a apa­rên­cia can­sa­da pa­ra fa­lar do nos­so ho­tel”, de­cla­rou Bran­dão.

Bour­bon Con­ven­ti­on Ibi­ra­pu­e­ra (SP) quer su­pe­rar re­sul­ta­dos da Co­pa

Si­tu­a­do na ca­pi­tal pau­lis­ta, o Bour­bon Con­ven­ti­on Ibi­ra­pu­e­ra di­vul­gou seus re­sul­ta­dos do pri­mei­ro se­mes­tre, con­si­de­ra­dos “tí­mi­dos” de­vi­do a Co­pa do Mun­do. Se­gun­do o Di­re­tor Ope­ra­ci­o­nal, Jai­me de Oliveira, a ocu­pa­ção do em­pre­en­di­men­to bei­rou os 47% com uma diá­ria mé­dia de R$ 480,00, en­tre 9 de ju­nho e 14 de ju­lho, não atin­gin­do as ex­pec­ta­ti­vas pro­je­ta­das.

Se­gun­do ele, o even­to re­du­ziu a pre­sen­ça do pú­bli­co cor­po­ra­ti­vo, o que im­pac­tou não so­men­te a hos­pe­da­gem, mas tam­bém a lo­ca­ção de sa­las e o con­su­mo de ali­men­tos e be­bi­das. Con­tu­do, nos di­as de jo­gos a diá­ria mé­dia che­gou a R$720 e a ocu­pa­ção mé­dia che­gou pró­xi­mo de 85%. “Hou­ve uma fal­sa ex­pec­ta­ti­va com gas­tos de tu­ris­tas em hos­pe­da­gem du­ran­te a Co­pa do Mun­do, já que um con­tin­gen­te sig­ni­fi­ca­ti­vo de­les uti­li­zou mei­os al­ter­na­ti­vos de hos­pe­da­gem”, ex­pli­cou o exe­cu­ti­vo.

No Bour­bon Con­ven­ti­on Ibi­ra­pu­e­ra, a par­tir de 21 de ju­lho o mo­vi­men­to cor­po­ra­ti­vo de re­ser­vas in­di­vi­du­ais já co­me­çou a dar si­nais de re­cu­pe­ra­ção jun­ta­men­te com even­tos e trei­na­men­tos cor­po­ra­ti­vos de pe­que­no por­te, em­bo­ra a pre­vi­são até de­zem­bro ain­da se­ja bai­xa. “En­ten­de­mos que o se­gun­do se­mes­tre se­rá um mo­men­to de re­cu­pe­ra­ção econô­mi­ca, re­to­ma­da de mer­ca­do, aque­ci­men­to da in­dús­tria e com is­so, ob­vi­a­men­te to­dos os se­to­res aca­ba­rão se be­ne­fi­ci­an­do. Por ou­tro la­do, te­re­mos elei­ções, o que faz nos­so ce­ná­rio ain­da um tan­to quan­to con­ser­va­dor”, dis­se o di­re­tor.

Jai­me de Oliveira acre­di­ta em uma re­cu­pe­ra­ção

sig­ni­fi­ca­ti­va no se­gun­do se­mes­tre, mas pon­de­ra que o pe­río­do não se­rá me­lhor que o mes­mo de 2013 e acre­di­ta em uma os­ci­la­ção de 2% a 4%, sen­do po­si­ti­vo ou ne­ga­ti­vo.

Mus­su­lo by Man­tra (PB) di­vul­ga balanço do pri­mei­ro se­mes­tre

O Mus­su­lo by Man­tra (Fo­to abai­xo), lo­ca­li­za­do no li­to­ral Sul da Pa­raí­ba, fe­chou o balanço do pri­mei­ro se­mes­tre com mé­dia de 73% de ocu­pa­ção. Por con­ta do pe­río­do de São João, ju­nho foi o mês de des­ta­que pa­ra o em­pre­en­di­men­to, dei­xan­do 92% de seus quartos ocu­pa­dos.

Com 90% de seu pú­bli­co vol­ta­do pa­ra o la­zer, a ex­pec­ta­ti­va é de que os pró­xi­mos seis me­ses fi­quem mais equi­li­bra­dos com o mer­ca­do cor­po­ra­ti­vo. A ge­ren­te ge­ral do em­pre­en­di­men­to, Mar­ga­reth Au­si­er co­men­tou que “até o mo­men­to, re­ce­be­mos 11 even­tos no Cen­tro de Con­ven­ções An­go­la. As co­ta­ções de fim de ano já co­me­ça­ram e, pe­la cres­cen­te de­man­da, acre­di­ta­mos que te­re­mos o se­gun­do se­mes­tre mui­to pro­mis­sor”.

Pa­ra­di­se Re­sort (SP) ce­le­bra florada de ce­re­jei­ras

O Pa­ra­di­se Golf & La­ke Re­sort (Fo­to aci­ma), si­tu­a­do em Mo­gi das Cru­zes (SP) ga­nhou da na­tu­re­za um no­vo pon­to de vi­si­tas em su­as de­pen­dên­ci­as. Ao lon­go de su­as ru­as e ala­me­das, mais de 200 ce­re­jei­ras flo­res­ce­ram, dan­do ao re­sort sua to­na­li­da­de ro­sa­da. O fenô­me­no du­ra pouquís­si­mos di­as, re­tor­nan­do ape­nas no ano se­guin­te.

Mui­to apre­ci­a­da na cul­tu­ra ja­po­ne­sa, as flo­res são as­so­ci­a­das à sen­su­a­li­da­de e tam­bém à efe­me­ri­da­de da vi­da, vis­to que nas­cem, ob­tém seu ápi­ce e mur­cham no in­ter­va­lo de pou­cos di­as. Uma len­da co­nhe­ci­da na­que­le país atri­bui o sur­gi­men­to da flor a uma prin­ce­sa que caiu do céu, nas pro­xi­mi­da­des do Mon­te Fugi, e que te­ria se trans­for­ma­do no ve­ge­tal.

Mar­ri­ott traz pa­ra o Bra­sil Check-in e Check-out por ce­lu­lar

A Mar­ri­ott In­ter­na­ti­o­nal es­tá am­pli­an­do a fun­ci­o­na­li­da­de dos ser­vi­ços de check-in e check-out mó­veis da re­de. Ago­ra, mais dez mar­cas – The RitzCarl­ton, JW Mar­ri­ott Ho­tels & Re­sorts, Re­nais­san­ce Ho­tels, Au­to­graph Col­lec­ti­on, Courtyard, SpringHill Sui­tes, Fair­fi­eld Inn & Sui­tes, Re­si­den­ce Inn, Tow­neP­la­ce Sui­tes e Mar­ri­ott Exe­cu­ti­ve Apart­ments – es­tão se unin­do às pro­pri­e­da­des da Mar­ri­ott Ho­tels, pa­ra ofe­re­cer os ser­vi­ços

mó­veis de check-in e check-out aos hós­pe­des, in­clu­si­ve os ho­téis bra­si­lei­ros.

Es­ses ser­vi­ços ago­ra es­tão dis­po­ní­veis em 1.200 pro­pri­e­da­des e até o fi­nal do ano es­ta­rão ati­vos em mais de 4.000 ho­téis em to­do o mun­do. Des­ta for­ma, os qua­tro ho­téis da re­de no Bra­sil, o Re­nais­san­ce São Pau­lo Ho­tel, Mar­ri­ott São Pau­lo Air­port, Mar­ri­ott Exe­cu­ti­ve Apart­ments, em São Pau­lo, e JW Mar­ri­ott, no Rio de Ja­nei­ro, já im­ple­men­ta­ram a tec­no­lo­gia em su­as pro­pri­e­da­des.

Com o apli­ca­ti­vo Mar­ri­ott Mo­bi­le, os mem­bros do Mar­ri­ott Rewards, pro­gra­ma de fi­de­li­da­de da re­de, recebem uma no­ti­fi­ca­ção em seus iPho­nes ou apa­re­lhos com sis­te­ma An­droid cer­ca de 16 ho­ras an­tes de sua che­ga­da, aler­tan­do-os que já po­dem re­a­li­zar o check-in. De­pois che­ga uma no­ti­fi­ca­ção avi­san­do que seu apar­ta­men­to já es­tá pron­to. Co­mo as in­for­ma­ções de pa­ga­men­to fi­cam ar­ma­ze­na­das nos per­fis dos mem­bros, os hós­pe­des sim­ples­men­te se di­ri­gem ao bal­cão de check-in mó­vel rá­pi­do, on­de o seu car­tão-cha­ve pré-pro­gra­ma­do já es­ta­rá es­pe­ran­do por eles.

Ao fi­nal de sua es­ta­da, os hós­pe­des recebem uma no­ti­fi­ca­ção aler­tan­do-os que o chec­kout mó­vel já es­tá dis­po­ní­vel. Ao con­cluí­rem a ope­ra­ção, os hós­pe­des po­dem en­tão for­ne­cer um en­de­re­ço de e-mail pa­ra o qual a con­ta se­rá enviada, o que lhes per­mi­ti­rá dei­xar o ho­tel sem pre­ci­sar pas­sar pe­la re­cep­ção. O ser­vi­ço de check-in e check-out mó­vel es­tá dis­po­ní­vel em cin­co idi­o­mas: in­glês, fran­cês, es­pa­nhol, ale­mão e man­da­rim.

Ocu­pa­ção em Sal­va­dor (BA) caiu após a Co­pa

A ABIH-BA – As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da In­dús­tria de Ho­téis da Bahia di­vul­gou em agosto os re­sul­ta­dos da ho­te­la­ria no mês de ju­lho e no pós-Co­pa na ca­pi­tal bai­a­na. Em fun­ção da sus­pen­são de vi­a­gens de fé­ri­as dos tu­ris­tas em ju­lho, que nor­mal­men­te se es­ten­dem até o fi­nal do mês, e o adi­a­men­to de even­tos cor­po­ra­ti­vos, a ocu­pa­ção caiu na ci­da­de.

De acor­do com os re­sul­ta­dos da Pes­qui­sa de De­sem­pe­nho Con­jun­tu­ral da ABIH, a ho­te­la­ria fe­chou o mês de ju­lho com uma ocu­pa­ção mé­dia de 52,61%, diá­ria de R$ 256,80 e Revpar (in­di­ca­dor con­jun­to de diá­ria e ocu­pa­ção) de R$ 134,10. Com­pa­ran­do es­se de­sem­pe­nho com o mes­mo pe­río­do do ano an­te­ri­or, ve­ri­fi­ca­se me­lho­ra na diá­ria mé­dia (que pas­sou de R$ 213,35 em ju­lho de 2013 pa­ra R$ 256,80 em ju­lho de 2014) e di­mi­nui­ção da ta­xa de ocu­pa­ção – que pas­sou de 60,43% em ju­lho de 2013 pa­ra 52,61% em ju­lho de 2014.

A mé­dia de ju­lho foi com­pos­ta por dois pe­río­dos: a pri­mei­ra se­ma­na, com jo­gos na ca­pi­tal e in­di­ca­do­res ex­pres­si­va­men­te aci­ma da mé­dia; e o pe­río­do pósco­pa, no qual se con­fir­ma­ram as ex­pec­ta­ti­vas de re­ces­são na ocu­pa­ção ho­te­lei­ra. Den­tre os qua­tro po­los ho­te­lei­ros da ca­pi­tal, o do Cen­tro-Pe­lou­ri­nho apre­sen­tou o me­lhor de­sem­pe­nho, sen­do se­gui­do pe­los ho­téis de Ita­puãS­tel­la Ma­ris, com ocu­pa­ção mé­dia de 52,58% e diá­ria de R$ 273,81; da Bar­ra-Rio Ver­me­lho (ocu­pa­ção de 57,87% e diá­ria mé­dia de R$ 241,43) e Pi­tu­baTan­cre­do Ne­ves-Sti­ep (51,47% e R$ 201,33).

Con­si­de­ran­do ape­nas o pe­río­do de du­ra­ção da Co­pa do Mun­do (de 12 de ju­nho a 13 de ju­lho), a mes­ma pes­qui­sa apon­tou cla­ra­men­te a van­ta­gem nas ca­pi­tais que se­di­a­ram os jo­gos e o re­ces­so dos des­ti­nos nor­mal­men­te fre­quen­ta­dos por tu­ris­tas do­més­ti­cos nas fé­ri­as de ju­lho, mas que, nes­te ano, pri­vi­le­gi­a­ram as­sis­tir aos jo­gos. As­sim, por or­dem de Revpar, cou­be des­ta­que pa­ra os des­ti­nos de For­ta­le­za (R$ 428,81 de diá­ria mé­dia e ta­xa de ocu­pa­ção de 79,46%); Be­lo Ho­ri­zon­te (R$ 479,38 e 63,77%), Sal­va­dor (R$ 399,96 e 62,12%), Ara­ca­ju (R$ 239,10 e 64,38%), Curitiba (R$ 279,63 e 47,46%), Ma­ceió (R$ 202,18 e 48,31%) e Foz do Igua­çu (R$ 149,75 e 48,43%).

Hil­ton Mo­rum­bi (SP) é pre­mi­a­do co­mo me­lhor ho­tel de ne­gó­ci­os do Bra­sil

O Hil­ton São Pau­lo Mo­rum­bi (Fo­to de um apar­ta­men­to abai­xo), lo­ca­li­za­do na zo­na sul da ca­pi­tal pau­lis­ta, foi no­me­a­do pe­lo WTA - World Tra­vel Awards co­mo me­lhor ho­tel de ne­gó­ci­os do Bra­sil. A pre­mi­a­ção ele­geu as me­lho­res pro­pri­e­da­des ho­te­lei­ras da Amé­ri­ca La­ti­na em ce­rimô­nia re­a­li­za­da em Qui­to, no Equa­dor.

O World Tra­vel Awards foi cri­a­do em 1993 pa­ra re­co­nhe­cer, pre­mi­ar e ce­le­brar a ex­ce­lên­cia na in­dús­tria do turismo. A lis­ta com­ple­ta dos ga­nha­do­res es­tá dis­po­ní­vel no si­te http://www.world­tra­ve­lawards.com

Ín­di­ce de ho­téis bra­si­lei­ros que dis­po­ni­bi­li­zam wi- fi gra­tui­to é mai­or do que a mé­dia mun­di­al

Ho­je, a in­ter­net sem fio se tor­nou in­fra­es­tru­tu­ra bá­si­ca pa­ra qual­quer ho­tel. No Bra­sil, o ín­di­ce de em­pre­en­di­men­tos que pro­por­ci­o­nam es­te ser­vi­ço ul­tra­pas­sa a mé­dia mun­di­al: 96% dos 10.815 ho­téis na­ci­o­nais en­tre­vis­ta­dos têm Wi- Fi grá­tis pa­ra seus cli­en­tes. O país fi­cou à fren­te de vá­ri­os paí­ses de­sen­vol­vi­dos co­mo EUA ( 93%), Fran­ça ( 94%) e Ale­ma­nha ( 73%).

De acor­do com uma pes­qui­sa re­a­li­za­da pe­la Kayak, em mé­dia, 90% da re­de ho­te­lei­ra uni­ver­sal ofe­re­ce wi­re­less pa­ra os seus hós­pe­des gra­tui­ta­men­te. Pa­ra che­gar a es­tes da­dos fo­ram en­tre­vis­ta­dos 500 mil ho­téis de to­dos os con­ti­nen­tes.

FBHA pro­mo­ve en­con­tro com ges­to­res do seg­men­to por Olim­pía­das 2016

Os se­to­res de hos­pe­da­gem e ali­men­ta­ção fo­ra do lar do Rio de Ja­nei­ro es­tão ini­ci­an­do os pre­pa­ra­ti­vos pa­ra os Jo­gos Olím­pi­cos de 2016. Pre­o­cu­pa­da com a de­man­da tu­rís­ti­ca que a ci­da­de re­ce­be­rá, a FBHA – Fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Hos­pe­da­gem e Ali­men­ta­ção pro­mo­veu um ‘ En­con­tro’ com em­pre­sá­ri­os e ges­to­res dos dois se­to­res pa­ra abor­dar o aten­di­men­to aos vi­si­tan­tes que es­ta­rão na ca­pi­tal flu­mi­nen­se.

O even­to acon­te­ceu no ho­tel Wind­sor Atlân­ti­ca, lo­ca­li­za­do em Co­pa­ca­ba­na, das 15h00 às 18h00. Fo­ram cin­co pa­les­tras com­pac­tas pa­ra em­pre­sá­ri­os, ges­to­res, pro­fis­si­o­nais e es­tu­dan­tes de turismo, ho­te­la­ria, gas­tro­no­mia e ad­mi­nis­tra­ção de em­pre­sas, en­tre ou­tros in­te­res­sa­dos.

A pro­pos­ta do ‘ Pro­je­to En­con­tro’, pro­mo­vi­do pe­la FBHA, foi con­tri­buir pa­ra ele­var a qua­li­da­de dos ser­vi­ços em ho­te­la­ria e ali­men­ta­ção e, con­se­quen­te­men­te, a sa­tis­fa­ção dos tu­ris­tas. As pa­les­tras tam­bém le­va­ram in­for­ma­ções e di­cas so­bre a oti­mi­za­ção de cus­tos, co­mo ener­gia, que po­dem tor­nar o es­ta­be­le­ci­men­to mais com­pe­ti­ti­vo.

De acor­do com Alexandre Sam­paio, pre­si- den­te da Fe­de­ra­ção, es­ta é a ho­ra de in­ves­tir pa­ra qua­li­fi­car ain­da mais o aten­di­men­to e os ser­vi­ços pa­ra o tu­ris­ta. “O Pro­je­to En­con­tro da FBHA co­la­bo­ra com os es­ta­be­le­ci­men­tos, nes­se sen­ti­do. Es­ta é mais uma opor­tu­ni­da­de pa­ra os dois se­to­res avan­ça­rem. Te­mos que tra­ba­lhar com a ideia de en­can­tar o vi­si­tan­te”, des­ta­cou o exe­cu­ti­vo.

Ho­téis- es­co­la Se­nac recebem Cer­ti­fi­ca­do de Ex­ce­lên­cia do TripAd­vi­sor

O si­te TripAd­vi­sor con­fe­re anu­al­men­te o Cer­ti­fi­ca­do de Ex­ce­lên­cia aos em­pre­en­di­men­tos que mais se des­ta­cam na avaliação dos hós­pe­des. Es­se ano, os ho­téis- es­co­la Se­nac de São Pedro e de Cam­pos do Jor­dão ( fo­to) - SP con­quis­ta­ram, pe­la pri­mei­ra vez,

o Cer­ti­fi­ca­do de Ex­ce­lên­cia 2014. O cer­ti­fi­ca­do ates­ta a su­pre­ma­cia no aten­di­men­to, al­ta qua­li­da­de de ser­vi­ços e in­fra­es­tru­tu­ra.

Pa­ra cer­ti­fi­car os es­ta­be­le­ci­men­tos, o TripAd­vi­sor ava­lia, além da po­pu­la­ri­da­de, o tem­po em ati­vi­da­de e aná­li­ses re­cen­tes pos­ta­das pe­los usuá­ri­os. O re­sul­ta­do des­sa aná­li­se con­sa­grou o ho­tel- es­co­la de Cam­pos do Jor­dão ( Fo­to aci­ma), pe­lo se­gun­do con­se­cu­ti­vo, com o prê­mio Tra­vel­ler’s Choice, co­mo uma das 25 me­lho­res hos­pe­da­gens do País. Na gas­tro­no­mia, o res­tau­ran­te Arau­cá­ria e a piz­za­ria Ar­te da Piz­za fo­ram clas­si­fi­ca­dos no­va­men­te com es­tre­las pe­lo Guia Bra­sil 2014.

Marcelo Pic­ka Van Ro­ey, co­or­de­na­dor ge­ral dos ho­téis- es­co­la Se­nac, con­si­de­ra que o re­co­nhe­ci­men­to dos pró­pri­os hós­pe­des e os des­ta­ques en­tre mi­lha­res de es­ta­be­le­ci­men­tos re­for­çam a mar­ca da ins­ti­tui­ção. “Is­so ocor­re prin­ci­pal­men­te por ser­mos, além de em­pre­en­di­men­tos de al­to pa­drão, fer­ra­men­tas pe­da­gó­gi­cas, que con­tri­bu­em pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to de pro­fis­si­o­nais ca­da vez mais qua­li­fi­ca­dos e que cons­tan­te­men­te se des­ta­cam no mer­ca­do de trabalho”, jus­ti­fi­cou.

Ho­téis bra­si­lei­ros não es­tão en­tre os mais lim­pos do mun­do

O por­tal in­ter­na­ci­o­nal de re­ser­vas ho­tel. in­fo re­a­li­zou re­cen­te­men­te uma pes­qui­sa so­bre co­mo os em­pre­en­di­men­tos ho­te­lei­ros li­dam com a lim­pe­za. A avaliação foi re­a­li­za­da nas prin­ci­pais ca­pi­tais em to­do o mun­do, in­cluin­do as bra­si­lei­ras Rio de Ja­nei­ro e São Pau­lo. Os hós­pe­des ava­li­am o ho­tel re­ser­va­do atra­vés da pá­gi­na www. ho­tel. in­fo após o check out, por meio de um sis­te­ma de no­tas ( 0 a 10).

Em com­pa­ra­ção a gran­des me­tró­po­les in­ter­na­ci­o­nais, os ho­téis em Tó­quio têm o mai­or bri­lho ( 8,93). Em Var­só­via e Seul ( 8,73), os hós­pe­des li­te­ral­men­te po­dem co­mer no chão. O tra­ta­men­to me­ti­cu­lo­so tam­bém ocor­re nos ho­téis em Mos­cou ( 8,45). No Bra­sil, a Co­pa do Mun­do foi a opor­tu­ni­da­de ide­al pa­ra po­lir a re­pu­ta­ção pa­ra os ho­téis. Mas, em com­pa­ra­ção ao ano pas­sa­do, an­tes da competição as no­tas pa­ra lim­pe­za fi­ca­ram ni­ti­da­men­te mais bai­xas tan­to no Rio ( 7,29) quan­to em São Pau­lo ( 7,69). Ho­téis eu­ro­peus tam­bém re­gis­tra­ram no­tas mais bai­xas, co­mo por exem­plo, em Lon­dres ( 7,52).

Ralf Pri­e­mer, Di­re­tor Ge­ral do ho­tel.in­fo, ex­pli­cou que o hós­pe­de de­ve fa­zer a re­cla­ma­ção ime­di­a­ta­men­te so­bre a fa­lha e pa­ra a pes­soa cor­re­ta. “As quei­xas de­vem ser pron­ta­men­te co­mu­ni­ca­das ao agen­te de vi­a­gem no lo­cal ou, de for­ma al­ter­na­ti­va, à ge­rên­cia do ho­tel. Não re­sol­ve ape­nas in­for­mar os fun­ci­o­ná­ri­os na re­cep­ção. Se as fa­lhas não fo­rem eli­mi­na­das no lo­cal ou não hou­ver ou­tra for­ma de se en­con­trar uma so­lu­ção pa­ra o pro­ble­ma em ques­tão, o me­lhor se­ria fa­zer as re­cla­ma­ções por es­cri­to e com com­pro­va­ção ba­se­a­da em fo­tos”, pon­tu­ou.

Nes­te ca­so, o hós­pe­de de­ve de­ci­dir se va­le à pe­na en­trar com um pro­ces­so ju­di­ci­al na vol­ta das fé­ri­as. As ta­be­las de re­du­ção so­bre pre­ços de vi­a­gem ofe­re­cem ori­en­ta­ção. Elas dão di­cas úteis e um in­di­ca­ti­vo so­bre qual re­du­ção po­de ser re­cla­ma­da so­bre o pre­ço da vi­a­gem. No en­tan­to, quem qui­ser le­var su­as so­li­ci­ta­ções a juí­zo de­ve con­si­de­rar pre­vi­a­men­te se a oca­sião re­al­men­te va­le uma ação ju­di­ci­al. Nor­mal­men­te tais dis­pu­tas exi­gem tem­po e pa­ci­ên­cia, e even­tu­al­men­te con­so­mem o des­can­so ob­ti­do nas fé­ri­as.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.