Um ve­lho Sa­mu­rai

Jornal Brasil Peças - - Humor -

Per­to de Tó­quio vi­via um gran­de sa­mu­rai, já ido­so, que se de­di­ca­va a en­si­nar zen aos jo­vens.

Ape­sar de sua ida­de, cor­ria a len­da de que ain­da era ca­paz de der­ro­tar qu­al­quer ad­ver­sá­rio.

Cer­ta tar­de, um gu­er­rei­ro co­nhe­ci­do por sua to­tal fal­ta de es­crú­pu­los apa­re­ceu por ali.

Que­ria der­ro­tar o sa­mu­rai e au­men­tar sua fa­ma. O ve­lho não acei­tou o de­sa­fio e o jo­vem co­me­çou a in­sul­tá-lo.

Chu­tou al­gu­mas pe­dras em sua di­re­ção, cus­piu em seu ros­to, gri­tou in­sul­tos, ofen­deu seus an­ces­trais.

Du­ran­te ho­ras fez tu­do pa­ra pro­vo­cá-lo, mas o ve­lho per­ma­ne­ceu im­pas­sí­vel.

No fi­nal da tar­de, sen­tin­do-se já exaus­to e hu­mi­lha­do, o im­pe­tu­o­so gu­er­rei­ro re­ti­rou-se.

De­sa­pon­ta­dos, os alu­nos per­gun­ta­ram ao mes­tre co­mo ele pu­de­ra su­por­tar tan­ta in­dig­ni­da­de.

- Se al­guém che­ga até vo­cê com um pre­sen­te, e vo­cê não o acei­ta, a qu­em per­ten­ce o pre­sen­te?

- A qu­em ten­tou en­tre­gá-lo, res­pon­deu um dos dis­cí­pu­los.

- O mes­mo va­le pa­ra a in­ve­ja, a rai­va e os in­sul­tos. Qu­an­do não são acei­tos, con­ti­nu­am per­ten­cen­do a qu­em o car­re­ga­va con­si­go.

A sua paz in­te­ri­or de­pen­de ex­clu­si­va­men­te de vo­cê. As pes­so­as não po­dem lhe ti­rar a cal­ma. Só se vo­cê per­mi­tir.

“A cal­ma na lu­ta é sem­pre um si­nal de for­ça e con­fi­an­ça, en­quan­to a vi­o­lên­cia, pe­lo con­trá­rio, é pro­va de fra­que­za e de fal­ta de con­fi­an­ça em si mes­mo”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.