CAN­DI­DA­TU­RA PRÓ­PRIA DO PSD?

Jornal da Metropole - - Entrevista -

Ape­sar da for­ça de Rui e Ne­to, Co­ro­nel acre­di­ta que o PSD de­ve ter can­di­da­tu­ra pró­pria ao go­ver­no da Bahia. “É o mai­or par­ti­do do es­ta­do hoje, com 83 pre­fei­tu­ras. Mas, se lá na fren­te o par­ti­do de­ci­dir fi­car com Rui Cos­ta, não se­rei eu que irei de en­con­tro a es­sa de­ci­são. Sou ho­mem de par­ti­do”, fa­lou à Me­tró­po­le.

O pre­si­den­te da As­sem­bleia Le­gis­la­ti­va dis­se tam­bém que, se hou­ver uma boa opor­tu­ni­da­de em 2018, po­de de­sis­tir de dei­xar a po­lí­ti­ca. “Se lá na fren­te cons­pi­rar a meu fa­vor e o par­ti­do achar que eu não de­vo pen­du­rar as chu­tei­ras, é uma coi­sa a se en­sar. Mas, a pri­o­ri, eu não sou can­di­da­to a na­da em 2018”, fa­lou.

Na en­tre­vis­ta, Co­ro­nel não dei­xou de lem­brar do ex-pre­si­den­te da As­sem­bleia, Marcelo Ni­lo (PSL). Pa­ra o atu­al co­man­dan­te da Ca­sa, Ni­lo não foi cor­re­to com o go­ver­na­dor, que ado­tou neu­tra­li­da­de nas elei­ções in­ter­nas da AL-BA.

“Acho que Marcelo Ni­lo foi in­gra­to com o go­ver­na­dor. Por­que Rui fi­cou in­de­pen­den­te no pro­ces­so”, opi­nou. “Ni­lo con­ta­va ain­da que, den­tro do PSD, ha­ve­ria du­as trai­ções. Ele pro­vou do ve­ne­no do­bra­do e eu que ti­rei dois vo­tos do par­ti­do de­le: os vo­tos dos de­pu­ta­dos Alan Castro e Ma­nas­sés”, con­cluiu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.