PT ain­da sem de­fi­ni­ção so­bre a su­ces­são

Di­re­tó­rio lo­cal de­ci­diu apoi­ar o PSB, mas a Na­ci­o­nal re­for­çou Ma­rí­lia Ar­ra­es

Jornal do Commercio - - Primeira Página - LUI­SA FA­RI­AS GA­BRI­E­LA CAR­VA­LHO po­li­ti­ca@jc.com.br JC,

PT do Re­ci­fe quer apoi­ar PSB no plei­to des­te ano. Exe­cu­ti­va Na­ci­o­nal quer Ma­rí­lia.

OPT do Re­ci­fe con­fir­mou o seu apoio ao PSB na cor­ri­da pa­ra a Pre­fei­tu­ra do Re­ci­fe (PCR), em re­so­lu­ção lan­ça­da no do­min­go (28). A mai­o­ria dos di­ri­gen­tes lo­cais do par­ti­do re­fu­tou a can­di­da­tu­ra de Ma­rí­lia Ar­ra­es à PCR. Os so­ci­a­lis­tas de­vem lan­çar João Cam­pos pa­ra dis­pu­tar a su­ces­são do pre­fei­to Ge­ral­do Ju­lio. Mas a de­ci­são do di­re­tó­rio municipal ba­te de fren­te com o po­si­ci­o­na­men­to da Exe­cu­ti­va Na­ci­o­nal do PT, a qual ca­be a pa­la­vra fi­nal so­bre o plei­to. Nes­ta se­gun­da-fei­ra (30), a pre­si­den­te na­ci­o­nal da si­gla, Glei­si Hoff­man, dei­xou cla­ra a in­ten­ção do par­ti­do de sair com can­di­da­tu­ra pró­pria en­ca­be­ça­da por Ma­rí­lia.

Em no­ta en­vi­a­da à re­por­ta­gem do Glei­si afir­mou que o di­re­tó­rio municipal do PT no Re­ci­fe não tem po­der de to­mar uma de­ci­são que vá de en­con­tro a uma já to­ma­da pe­la Exe­cu­ti­va Na­ci­o­nal. “A de­fi­ni­ção em PE é pe­la can­di­da­tu­ra pró­pria, da com­pa­nhei­ra Ma­rí­lia Ar­ra­es. Ain­da não re­ce­bi for­mal­men­te a Re­so­lu­ção do Di­re­tó­rio municipal. Sou­be que pe­dem a re­con­si­de­ra­ção da Di­re­ção Na­ci­o­nal. Pe­dir e re­cur­sar é um di­rei­to que to­das as ins­tân­ci­as têm”, afir­mou a pre­si­den­te.

Na vo­ta­ção do do­min­go, 37 dos 44 de­le­ga­dos do PT no Re­ci­fe vo­ta­ram pe­la “ma­nu­ten­ção da ali­an­ça po­lí­ti­co-elei­to­ral do PT com os de­mais par­ti­dos da Fren­te Po­pu­lar do Re­ci­fe”. O gru­po é li­de­ra­do pe­lo PSB. Na re­so­lu­ção, o di­re­tó­rio municipal tam­bém re­sol­veu re­cor­rer da de­ci­são do Di­re­tó­rio Na­ci­o­nal de lan­çar can­di­da­tu­ra pró­pria no Re­ci­fe e so­li­ci­tar que ela “ado­te a po­si­ção de am­pla mai­o­ria dos de­le­ga­dos e de­le­ga­das pre­sen­tes ao en­con­tro municipal”, diz tre­cho do do­cu­men­to.

Ali­a­da de Ma­rí­lia Ar­ra­es, a de­pu­ta­da es­ta­du­al Te­re­sa Lei­tão tam­bém ques­ti­o­nou, em en­tre­vis­ta à rá­dio CBN, a au­to­ri­da­de do di­re­tó­rio municipal em vo­tar uma re­so­lu­ção pe­la ma­nu­ten­ção da ali­an­ça com o PSB. “O que me cha­mou aten­ção foi es­sa afir­ma­ção: ‘O PT do Re­ci­fe não apoia Ma­rí­lia Ar­ra­es’. Quem é o PT do Re­ci­fe, é Os­car (Bar­re­to), é Ci­ri­lo (Mo­ta, pre­si­den­te do di­re­tó­rio municipal), é Hum­ber­to (Cos­ta, se­na­dor), são os 44 de­le­ga­dos que re­pre­sen­ta­ram no en­con­tro? Eu acho que o PT do Re­ci­fe é mai­or do que is­to. E têm se­to­res sig­ni­fi­ca­ti­vos do PT que apoi­am a can­di­da­tu­ra de Ma­rí­lia. E, além dis­so, nin­guém se ele­ge pa­ra ne­nhum car­go so­men­te com os vo­tos do seu par­ti­do. A cam­pa­nha vai ser fei­ta com o po­vo, com o re­ci­fen­se, com a re­ci­fen­se”, afir­mou a par­la­men­tar.

Se­gun­do Te­re­sa, a de­ci­são do di­re­tó­rio na­ci­o­nal é po­lí­ti­ca e pre­ju­di­ci­al pa­ra a si­gla, as­sim co­mo ocor­reu em 2012 – quan­do o PT ra­chou du­ran­te as pré­vi­as pa­ra a es­co­lha do can­di­da­to à Pre­fei­tu­ra do Re­ci­fe e al­guns se­to­res não apoi­a­ram Hum­ber­to Cos­ta nas elei­ções mu­ni­ci­pais.

Na épo­ca, o en­tão pre­fei­to João da Cos­ta (PT) era o can­di­da­to na­tu­ral à re­e­lei­ção, mas o PT aca­bou re­a­li­zan­do pré­vi­as en­tre ele e o en­tão de­pu­ta­do fe­de­ral Mau­rí­cio Rands. Mes­mo João da Cos­ta ven­cen­do as pré­vi­as, o Di­re­tó­rio Na­ci­o­nal in­ter­veio

PT-Re­ci­fe quer apoi­ar can­di­da­tu­ra de João Cam­pos e se man­ter na ges­tão

e in­di­cou Hum­ber­to can­di­da­to, com o ex-pre­fei­to João Pau­lo na vi­ce. O pró­prio João da Cos­ta se opôs à cha­pa du­ran­te a cam­pa­nha.

“Mas a con­jun­tu­ra ago­ra é di­fe­ren­te, o PT não é mais go­ver­no fe­de­ral, es­tá na opo­si­ção a Bol­so­na­ro, en­tão exis­tem ou­tros in­gre­di­en­tes que não vão re­pe­tir. Eu só es­tou lem­bran­do o mo­dus ope­ran­di de al­guns seg­men­tos do PT, mas vai pre­va­le­cer o que a ins­tân­cia do PT de­fi­niu não só pa­ra o Re­ci­fe, é uma es­tra­té­gia po­lí­ti­ca do par­ti­do”, dis­se Te­re­sa.

Pro­cu­ra­da pe­la re­por­ta­gem, a de­pu­ta­da Ma­rí­lia Ar­ra­es não quis dar en­tre­vis­ta. A ori­en­ta­ção do PT na­ci­o­nal, chan­ce­la­da pe­lo ex-pre­si­den­te Lu­la, é pe­lo lan­ça­men­to de can­di­da­tu­ras pró­pri­as em 2020 nos mu­ni­cí­pi­os bra­si­lei­ros com mais de 200 mil ha­bi­tan­tes, on­de há pro­pa­gan­da elei­to­ral de rá­dio e TV.

Se­cre­tá­rio de Sa­ne­a­men­to do Re­ci­fe, Os­car Bar­re­to – in­te­gran­te do gru­po que de­fen­de a ma­nu­ten­ção da ali­an­ça com o PSB – re­ba­teu Te­re­sa Lei­tão di­zen­do que pa­ra di­a­lo­gar é pre­ci­so cre­di­bi­li­da­de. Ele ale­ga que o gru­po de Ma­rí­lia pas­sou por ci­ma do par­ti­do no âm­bi­to lo­cal e le­vou a ques­tão da can­di­da­tu­ra pa­ra ins­tân­ci­as su­pe­ri­o­res. “Eles sim­ples­men­te fo­ram pa­ra o di­re­tó­rio na­ci­o­nal vo­tar, não es­pe­ra­ram que fos­se vo­ta­do no mu­ni­cí­pio, es­ta­du­al e na­ci­o­nal, que é a ins­tân­cia que tem o po­der mui­to gran­de so­bre o par­ti­do. Es­se pa­po de diá­lo­go foi que­bra­do com eles por­que na re­a­li­da­de não tem o sen­ti­men­to do par­ti­do”, afir­mou.

Os­car acu­sa o gru­po ad­ver­sá­rio de ten­tar per­so­na­li­zar a po­lí­ti­ca no con­tex­to das elei­ções mu­ni­ci­pais. “Es­ta­mos fa­lan­do de uma elei­ção con­tra o fas­cis­mo, pos­si­vel­men­te ali­men­ta mui­to a tá­ti­ca da di­rei­ta que quer que te­nha se­gun­do tur­no aqui e a gen­te ter­mi­na aju­dan­do a di­rei­ta. Te­mos que ga­nhar a elei­ção no pri­mei­ro tur­no. É is­so o que es­tá se dis­cu­tin­do. Não é Ma­rí­lia e João Cam­pos. O que es­tá dis­cu­tin­do aqui é co­mo der­ro­tar Bol­so­na­ro”, com­ple­tou.

A ma­nu­ten­ção da ali­an­ça com o PSB é de­fen­di­da pe­lo gru­po li­de­ra­do por Hum­ber­to Cos­ta, que é ali­a­do de Ge­ral­do Ju­lio e do go­ver­na­dor Pau­lo Câ­ma­ra (PSB) e tem ali­a­dos que ocu­pam car­gos nas ges­tões do PSB no Re­ci­fe e no Es­ta­do. A re­por­ta­gem não con­se­guiu con­ta­to com Hum­ber­to até o fe­cha­men­to des­ta edi­ção.

Em 2018, hou­ve ou­tro ce­ná­rio: Ma­rí­lia Ar­ra­es re­ce­beu aval do di­re­tó­rio lo­cal, mas foi im­pe­di­da pe­lo PT Na­ci­o­nal de dis­pu­tar a elei­ção pa­ra go­ver­na­do­ra. A ma­no­bra abriu alas pa­ra o PT se ali­ar ao go­ver­na­dor Pau­lo Câ­ma­ra, que ten­ta­va a re­e­lei­ção, em acor­do pa­ra mi­nar pos­sí­vel apoio do PSB à can­di­da­tu­ra de Ci­ro Go­mes (PDT) à Pre­si­dên­cia. As­sim, Hum­ber­to foi pa­ra a cha­pa ma­jo­ri­tá­ria de Pau­lo e se re­e­le­geu se­na­dor da Re­pú­bli­ca.

Can­di­da­tu­ra à PCR tem apoio de Lu­la e Glei­si Hoff­man

ALI­A­DOS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.