De­cla­ra­ção do IR

Pra­zo pa­ra en­tre­ga ter­mi­na às 23h59 de ho­je. Se es­ti­ve­rem fal­tan­do in­for­ma­ções, me­lhor é en­tre­gar in­com­ple­ta e de­pois fa­zer re­ti­fi­ca­ção

Jornal do Commercio - - Primeira Página - EDILSON VI­EI­RA ed­vi­ei­ra@jc.com.br

Pra­zo aca­ba ho­je. Na fal­ta de in­for­ma­ção, me­lhor en­tre­gar in­com­ple­ta e re­ti­fi­car.

No úl­ti­mo dia do pra­zo de en­tre­ga da de­cla­ra­ção do Im­pos­to de Ren­da, cer­ca de 15% dos con­tri­buin­tes de Per­nam­bu­co ain­da não efe­ti­vou o en­vio. De 835 mil de­cla­ra­ções es­pe­ra­das pa­ra o Es­ta­do, cer­ca de 700 mil já fo­ram en­tre­gues, e mais 135 mil ain­da de­vem ser en­vi­a­das até às 23h59 des­ta ter­ça-fei­ra (30). A mul­ta pa­ra quem dei­xar de pres­tar con­tas ao Leão é de no mí­ni­mo R$ 165,74 e no má­xi­mo de 20% do im­pos­to de­vi­do.

Em to­do o Bra­sil, já fo­ram en­tre­gues cer­ca de 27,5 mi­lhões de de­cla­ra­ções, quan­do a ex­pec­ta­ti­va to­tal é de 32 mi­lhões de­cla­ra­ções. A Re­cei­ta Fe­de­ral aler­ta pa­ra que os con­tri­buin­tes não dei­xem a en­tre­ga pa­ra úl­ti­ma ho­ra pa­ra não so­bre­car­re­gar o sis­te­ma de re­ce­bi­men­to.

O ad­vo­ga­do tri­bu­ta­ris­ta Ale­xan­dre Al­bu­quer­que re­co­men­da a de­cla­ra­ção se­ja en­tre­gue o qu­an­to an­tes, mes­mo que in­com­ple­ta. “Mes­mo que fal­te al­gum do­cu­men­to, ou in­for­ma­ção, é me­lhor en­vi­ar a de­cla­ra­ção in­com­ple­ta an­tes do fim do pra­zo e es­ca­par da mul­ta pa­ra, de­pois, cor­ri­gir os da­dos com uma de­cla­ra­ção re­ti­fi­ca­do­ra”.

O ad­vo­ga­do es­cla­re­ce que a cor­re­ção dos da­dos po­de ser fei­ta a qual­quer mo­men­to e quan­tas ve­zes fo­rem ne­ces­sá­ri­as.

Ale­xan­dre Al­bu­quer­que dá três di­cas im­por­tan­tes pa­ra o con­tri­buin­te que dei­xou pa­ra a úl­ti­ma ho­ra. “Uti­li­ze o mo­de­lo de de­cla­ra­ção pré-pre­en­chi­da, que é dis­po­ni­bi­li­za­do no pró­prio pro­gra­ma da Re­cei­ta Fe­de­ral. Lá es­tão to­dos os da­dos que a Re­cei­ta já tem a seu res­pei­to, in­clu­si­ve os ga­nhos. Atu­a­li­ze os va­lo­res e en­vie. De­pois, sem pres­sa, re­vi­se com cui­da­do a de­cla­ra­ção pa­ra ver se é ne­ces­sá­rio in­cluir mais al­gu­ma coi­sa.”

O ad­vo­ga­do es­cla­re­ce que, por con­ta do iso­la­men­to so­ci­al, mui­tas pes­so­as dei­xa­ram de re­co­lher do­cu­men­tos co­mo re­ci­bos de des­pe­sas mé­di­cas e de­cla­ra­ções de imó­veis e que, por is­so, fo­ram adi­an­do. “Pa­ra pre­en­chi­men­to do for­mu­lá­rio, bas­ta a iden­ti­fi­ca­ção do pro­fis­si­o­nal que pres­tou o ser­vi­ço e o va­lor pa­go. Es­ses da­dos po­dem ser en­vi­a­dos pa­ra o con­tri­buin­te por Whatsapp, por exem­plo, e ano­ta­dos na de­cla­ra­ção. Só em ca­so de com­pro­va­ção das des­pe­sas é que o con­tri­buin­te pre­ci­sa ter o do­cu­men­to fí­si­co, no ca­so, os re­ci­bos pa­ra apre­sen­ta­ção na Re­cei­ta”, diz.

O tri­bu­ta­ris­ta acon­se­lha ain­da a quem tem im­pos­to a pa­gar pa­ra par­ce­lar as co­tas. “Ca­so o con­tri­buin­te fa­ça al­gu­ma re­ti­fi­ca­ção que al­te­re o va­lor do im­pos­to de­vi­do pa­ra mais ou pa­ra me­nos, a di­fe­ren­ça se­rá acres­ci­da nas par­ce­las se­guin­tes.”

Se­gun­do a Re­cei­ta, são obri­ga­dos a de­cla­rar o Im­pos­to de Ren­da os con­tri­buin­tes que re­ce­be­ram ren­di­men­tos tri­bu­tá­veis (co­mo sa­lá­ri­os e alu­guéis) cu­ja so­ma anu­al foi su­pe­ri­or a R$ 28.559,70; re­ce­be­ram ren­di­men­tos isen­tos, não tri­bu­tá­veis ou tri­bu­ta­dos ex­clu­si­va­men­te na fon­te (por exem­plo: in­de­ni­za­ções tra­ba­lhis­tas, ca­der­ne­ta de pou­pan­ça ou do­a­ções) em va­lor su­pe­ri­or a R$ 40 mil; ob­ti­ve­ram, em qual­quer mês, ga­nhos na ven­da de bens ou di­rei­tos su­jei­tos à in­ci­dên­cia de Im­pos­to de Ren­da, co­mo imó­veis ven­di­dos com lu­cro (o cha­ma­do ga­nho de ca­pi­tal); re­a­li­za­ram ope­ra­ções em bol­sas de va­lo­res, de mer­ca­do­ri­as, de fu­tu­ros e as­se­me­lha­das (in­ves­ti­men­tos); ti­ve­ram, em 2019, re­cei­ta bru­ta em va­lor su­pe­ri­or a R$ 142.798,50 em ati­vi­da­de ru­ral; ti­nham, em 31 de de­zem­bro de 2019, a pos­se ou a pro­pri­e­da­de de bens ou di­rei­tos, in­clu­si­ve ter­ra nua, de va­lor to­tal su­pe­ri­or a R$ 300 mil; pas­sa­ram à con­di­ção de re­si­den­tes no Bra­sil em qual­quer mês e, nes­sa con­di­ção, en­con­tra­vam-se em 31 de de­zem­bro de 2019.

Uma das no­vi­da­des na de­cla­ra­ção do IR des­te ano é que a de­du­ção de gas­tos dos pa­trões com a pre­vi­dên­cia de em­pre­ga­dos do­més­ti­cos não se­rá mais per­mi­ti­da.

A par­tir des­se ano é pos­sí­vel re­a­li­zar a do­a­ção a fun­dos de ido­sos di­re­ta­men­te na de­cla­ra­ção do IR (e não so­men­te no ano­ba­se 2019), por meio de DARF cod 9090, até o li­mi­te in­di­vi­du­al de 3% do im­pos­to de­vi­do.

O so­ma­tó­rio das do­a­ções pa­ra fun­dos re­la­ci­o­na­dos ao Es­ta­tu­to do Ido­so e ao Es­ta­tu­to da Cri­an­ça e do Ado­les­cen­te (ECA) es­tá li­mi­ta­do a 6% do im­pos­to de­vi­do apu­ra­do na de­cla­ra­ção em con­jun­to com as do­a­ções efe­tu­a­das no de­cor­rer do ano­ca­len­dá­rio de 2019, in­cluin­do tam­bém as re­la­ti­vas à cul­tu­ra e in­cen­ti­vo à ati­vi­da­de au­di­o­vi­su­al e ao des­por­to.

Es­te ano, de­vi­do à pan­de­mia, não se­rá obri­ga­tó­rio in­for­mar o nú­me­ro do re­ci­bo da DIRPF de 2019 pa­ra po­der trans­mi­tir a De­cla­ra­ção do IR de 2020. Por­tan­to, não é ne­ces­sá­rio com­pa­re­cer à Re­cei­ta Fe­de­ral pa­ra ob­ter o nú­me­ro do re­ci­bo da De­cla­ra­ção do IR do ano an­te­ri­or.

O ca­len­dá­rio de res­ti­tui­ções co­me­çou mais ce­do e tam­bém vai ter­mi­nar mais ce­do es­te ano: se­rão cin­co lo­tes e não se­te, co­mo ocor­reu até o ano pas­sa­do.

O pri­mei­ro lo­te saiu no dia 29 de maio, com o úl­ti­mo lo­te pre­vis­to pa­ra 30 de se­tem­bro de 2020. No ano pas­sa­do as res­ti­tui­ções se ini­ci­a­ram no dia 17 de ju­nho, com o úl­ti­mo lo­te sen­do de­po­si­ta­do no dia 16 de de­zem­bro.

NO PAÍS A Re­cei­ta Fe­de­ral es­pe­ra o re­ce­bi­men­to de cer­ca de 32 mi­lhões de de­cla­ra­ções até ho­je

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.