Ca­so Ro­bi­nho

Ata­can­te rom­peu o si­lên­cio on­tem, em en­tre­vis­ta ao por­tal UOL

Jornal do Commercio - - Primeira Página - Da Re­da­ção, com agên­ci­as es­por­tes@jc.com.br

Em en­tre­vis­ta ao UOL, jo­ga­dor cri­ti­ca mo­vi­men­tos fe­mi­nis­tas e diz que úni­co cri­me que co­me­teu foi ter traí­do a es­po­sa.

Oca­so en­vol­ven­do o jo­ga­dor Ro­bi­nho to­mou con­ta dos ho­lo­fo­tes es­por­ti­vos do Bra­sil nos úl­ti­mos di­as. Con­tra­ta­do pe­lo San­tos, o ata­can­te de 36 anos foi bas­tan­te con­tes­ta­do pe­lo su­pos­to ca­so de es­tu­pro que ocor­reu na Itá­lia, em 2013 ele foi con­de­na­do em pri­mei­ra ins­tân­cia e re­cor­reu da de­ci­são. Ta­ma­nha re­per­cus­são ne­ga­ti­va de tor­ce­do­res e pa­tro­ci­na­do­res fez o ti­me da Vi­la Bel­mi­ro sus­pen­der o con­tra­to com o jo­ga­dor na úl­ti­ma sexta.

Após a divulgação de trans­cri­ções de in­ter­cep­ta­ções te­lefô­ni­cas, fei­tas com au­to­ri­za­ção da Jus­ti­ça ita­li­a­na, Ro­bi­nho fi­nal­men­te rom­peu o si­lên­cio. Ao UOL, o jo­ga­dor dis­se, on­tem, que seu úni­co ar­re­pen­di­men­to foi ter si­do in­fi­el à sua es­po­sa. O ata­can­te se de­fen­deu das acu­sa­ções que tem so­fri­do e afir­mou ain­da que to­da re­la­ção que te­ve com a mu­lher que o de­nun­ci­ou foi con­sen­su­al. “Olha, eu me ar­re­pen­do de ter traí­do a mi­nha es­po­sa. Es­te é o meu ar­re­pen­di­men­to”, de­cla­rou o jo­ga­dor, que em ne­nhum mo­men­to ne­gou que te­ve con­ta­to ín­ti­mo com a mo­ça. Se­gun­do Ro­bi­nho, tu­do que acon­te­ceu en­tre os dois foi de co­mum acordo e que ele te­ria ido em­bo­ra an­tes que seus ami­gos ti­ves­sem ti­do mai­or con­ta­to fí­si­co com a mu­lher. “Não ti­ve re­la­ção se­xu­al com ela. A gen­te te­ve re­la­ção en­tre ho­mem e mu­lher, de ela me to­car e eu to­car ne­la, por­que ela quis e eu tam­bém quis, mas não che­guei a fa­zer se­xo com ela”, ex­pli­cou.

De acordo com a in­ves­ti­ga­ção, Ro­bi­nho e ou­tros cin­co ami­gos, incluindo Ri­car­do Fal­co, que tam­bém foi con­de­na­do, le­va­ram uma jo­vem de ori­gem al­ba­ne­sa ao ca­ma­rim de uma bo­a­te cha­ma­da Sio Ca­fé, em Mi­lão, e lá abu­sa­ram se­xu­al­men­te de­la. O ca­so acon­te­ceu em 22 de ja­nei­ro de 2013. “Eu saí. Eu fui an­tes pa­ra ca­sa. Eles me con­ta­ram de­pois que eles fi­ze­ram: ‘Com o con­sen­ti­men­to da ga­ro­ta, a gen­te fez is­so e is­so’. Is­so re­al­men­te eles me con­ta­ram de­pois”, ex­pli­cou Ro­bi­nho. Quan­do per­gun­ta­do se es­ta­va pre­sen­te no ato, o jo­ga­dor ne­gou. “Quan­do eu saí, os ga­ro­tos con­ti­nu­a­ram lá com o con­sen­ti­men­to de­la. Eu es­tou me de­fen­den­do. Os ga­ro­tos, se eles fi­ze­ram al­gu­ma coi­sa com ela, eu não pos­so fa­lar por eles”.

Ele ten­tou se ex­pli­car quan­do foi per­gun­ta­do so­bre fra­ses que, se­gun­do ele pró­prio, po­de­ri­am ter si­do ti­ra­das de con­tex­to ou tra­du­zi­das de for­ma equi­vo­ca­da do pro­ces­so em ita­li­a­no. “Eles tra­du­zi­ram mui­ta coi­sa fo­ra de con­tex­to. Na ver­da­de is­so faz mui­to tem­po. E em con­ver­sa de What­sApp a gen­te fa­la, mas nun­ca com fal­ta de res­pei­to, nun­ca por des­res­pei­tar as mu­lhe­res”.

Ro­bi­nho ale­gou que o con­ta­to com a mu­lher que o de­nun­ci­ou foi con­sen­su­al e que não hou­ve se­xo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.