Fed faz cair Bol­sa e au­men­tar o câm­bio

Jornaldodia - - NEGÓCIOS -

Se­guin­do o mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal, a Bol­sa de S Pau­lo fe­chou em bai­xa on­tem, de­pois de for­te al­ta na vés­pe­ra. O ín­di­ce Bo­ves­pa fe­chou em bai­xa de 0,49%, pa­ra 58.855 pon­tos, com gi­ro de R$ 7 bi­lhões. Se­gun­do ope­ra­do­res, o Ibo­ves­pa tam­bém foi in­flu­en­ci­a­do pe­lo ven­ci­men­to de op­ções so­bre ín­di­ce, pro­gra­ma­do pa­ra hoje. No ex­te­ri­or, a in­ten­si­da­de de qu­e­da do dó­lar di­mi­nuiu após de­cla­ra­ções do pre­si­den­te do Fe­de­ral Re­ser­ve (Fed) de No­va York, Wil­li­am Du­dley, de que há uma pos­si­bi­li­da­de de ele­va­ção dos ju­ros ame­ri­ca­nos em se­tem­bro [ver ECO­NO­MIA]. Por is­so mes­mo, o dó­lar co­mer­ci­al fe­chou em al­ta aqui: mais 0,15%, em R$ 3,1921.

Ele­tro­bras: lu­cro de

R$ 12,7 bi­lhões.

No 2º tri­mes­tre, a es­ta­tal Ele­tro­bras re­gis­trou lu­cro lí­qui­do de R$ 12,7 bi­lhões, an­te pre­juí­zo de R$ 1,36 bi­lhão no mes­mo pe­río­do de 2015. O re­sul­ta­do foi anun­ci­a­do na noi­te de 2a-fei­ra, e con­ta com in­de­ni­za­ções bi­li­o­ná­ri­as a par­tir de 2017,por ter re­no­va­do an­te­ci­pa­da­men­te con­tra­tos de con­ces­são de sub­si­diá­ri­as. A re­cei­ta ope­ra­ci­o­nal lí­qui­da so­mou R$ 33,085 bi­lhões, an­te R$ 8,2 bi­lhões no mes­mo pe­río­do de 2015.

Nin­guém quer com­prar a Celg-D

Por fal­ta de in­te­res­sa­dos, o lei­lão de pri­va­ti­za­ção da área de dis­tri­bui­ção da Cen­trais Elé­tri­cas de Goiás — Celg-D — foi sus­pen­so, on­tem. Es­ta­va mar­ca­do pa­ra 6a-fei­ra, 19ago16. As em­pre­sas po­ten­ci­al­men­te in­te­res­sa­das quei­xa­vam-se do pre­ço mí­ni­mo, de R$ 2,8 bi­lhões, mui­to ele­va­do. O di­re­tor da Ele­tro­bras Ar­man­do Ca­sa­do afir­mou que a Celg-D con­ti­nua no Pro­gra­ma de De­ses­ta­ti­za­ção e vai pas­sar ago­ra “por um pro­ces­so de re­a­va­li­a­ção”.

In­dús­tria e go­ver­no dis­cu­tem re­no­va­ção da fro­ta

No ano que vem, a in­dús­tria au­to­mo­bi­lís­ti­ca e o go­ver­no de­vem acer­tar um no­vo pro­gra­ma de re­no­va­ção da fro­ta, se­gun­do o mi­nis­tro Mar­cos Pe­rei­ra, De­sen­vol­vi­men­to. A uma pla­teia de re­pre­sen­tan­tes de con­ces­si­o­ná­ri­as em S Pau­lo, Pe­rei­ra diz que o acor­do já está em an­da­men­to. De­ze­no­ve en­ti­da­des — en­tre elas, An­fa- vea e Fe­na­bra­ve — dis­cu­tem o pro­gra­ma. A re­no­va­ção, cha­ma­da pe­lo pre­si­den­te da An­fa­vea, Antô­nio Me­ga­le, de sus­ten­ta­bi­li­da­de vei­cu­lar, é um pro­gra­ma que nun­ca saiu do pa­pel, vol­ta­do a es­ti­mu­lar a ins­pe­ção vei­cu­lar pa­ra ti­rar car­ros ve­lhos das ru­as.

Re­sul­ta­dos de com­pa­nhi­as: R$ 45,4 bi­lhões.

Cres­ceu 9% o re­sul­ta­do das com­pa­nhi­as aber­tas bra­si­lei­ras no 2º tri­mes­tre, so­bre igual pe­río­do de 2015, de acor­do com le­van­ta­men­to da con­sul­to­ria Eco­no­má­ti­ca. A amos­tra in­clui o lu­cro da Ele­tro­bras, re­cor­de no­mi­nal pa­ra o pe­río­do des­de 1986, qu­an­do te­ve iní­cio a sé­rie de da­dos. Sem con­tar a Ele­tro­brás, hou­ve qu­e­da de 24% no to­tal, pa­ra R$ 32,695 bi­lhões, con­tra R$ 43 bi­lhões no 2º tri­mes­tre do ano pas­sa­do. Por se­tor, 16 dos 25 ana­li­sa­dos re­gis­tra­ram qu­e­da de lu­cra­ti­vi­da­de no 2º tri­mes­tre de 2016 so­bre o mes­mo pe­río­do de 2015.

Celg Dis­tri­bui­ção: pro­ces­so de re­a­va­li­a­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.