Itália: Pa­o­lo Gen­ti­lo­ni acei­ta for­mar go­ver­no.

Jornaldodia - - INTERNACIONAL -

Após con­ver­sar com o pre­si­den­te da re­pú­bli­ca ita­li­a­na, o mi­nis­tro dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, Pa­o­lo Gen­ti­lo­ni, 62 anos, acei­tou for­mar um no­vo go­ver­no, mas “sob re­ser­va”. O pre­si­den­te Ser­gio Ma­ta­rel­la ti­nha con­vo­ca­do Gen­ti­lo­ni pa­ra um en­con­tro on­tem no pa­lá­cio pre­si­den­ci­al — is­so de­pois de con­cluí­das as con­sul­tas aos par­ti­dos da opo­si­ção, que não qui­se­ram for­mar go­ver­no. Gen­ti­lo­ni, que su­ce­de a Mat­teo Ren­zi, seu ali­a­do, pre­ci­sa ago­ra cri­ar sua equi­pe e de­fi­nir a es­tra­té­gia de go­ver­no. O no­vo ga­bi­ne­te te­rá de re­ce­ber um vo­to de con­fi­an­ça do Par­la­men­to, o que de­ve ocor­rer pro­va­vel­men­te, na 4a-fei­ra. O no­vo Go­ver­no de­ve­rá or­ga­ni­zar as no­vas elei­ções, se­gun­do a Pre­si­dên­cia, até fev2018.

Aten­ta­do con­tra co­mu­ni­da­de cop­ta dei­xa 25 mor­tos no Cai­ro

Uma bom­ba foi lan­ça­da on­tem no in­te­ri­or de uma igre­ja, ad­ja­cen­te à ca­te­dral or­to­do­xa cop­ta do Cai­ro, ca­pi­tal do Egi­to. A ex­plo­são ocor­reu às 10h da ma­nhã (ho­ra lo­cal) du­ran­te a ce­le­bra­ção de uma mis­sa, dei­xan­do ao me­nos 25 mor­tos e mais de 40 fe­ri­dos. Os cris­tãos cop­tas cons­ti­tu­em cer­ca de 10% da po­pu­la­ção do Egi­to. O pre­si­den­te Ab­dul Fat­tah al-Si­si de­cla­rou três dias de lu­to na­ci­o­nal. Em de­cla­ra­ções, o líder egíp­cio con­de­nou o ata­que e ape­lou à iden­ti­fi­ca­ção e pu­ni­ção dos cul­pa­dos.

Igre­ja Evan­gé­li­ca de­sa­ba na Ni­gé­ria e mais de cem mor­rem

Mais de cem mor­tos e um nú­me­ro ain­da in­de­ter­mi­na­do de fe­ri­dos fo­ram ví­ti­mas do de­sa­ba­men­to de uma igre­ja evan­gé­li­ca no Su­des­te da Ni­gé­ria. O te­to da igre­ja — que es­ta­va em obras — ruiu du­ran­te um en­con­tro de fiéis que ce­le­bra­vam a or­de­na­ção de um no­vo bis­po. O go­ver­na­dor do Es­ta­do, Udom Em­ma­nu­el, que es­ta­va pre­sen­te, es­ca­pou ile­so. Já co­me­çou a in­ves­ti­ga­ção pa­ra apu­rar as cau­sas.

Es­ta­do is­lâ­mi­co re­to­ma con­tro­le so­bre Pal­mi­ra

As for­ças do gru­po ex­tre­mis­ta Es­ta­do Is­lâ­mi­co re­to­ma­ram o con­tro­le so­bre a ci­da­de his­tó­ri­ca de Pal­mi­ra, na Sí­ria. Os ex­tre­mis­tas te­ri­am si­do obri­ga­dos a re­cu­ar na noi­te de sá­ba­do, em ra­zão de uma ofen­si­va aé­rea rus­sa, que se pro­lon­gou até on­tem pe­la ma­nhã. Po­rém, se­gun­do a ONG Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio dos Di­rei­tos Hu­ma­nos, após um bre­ve re­cuo, os ex­tre­mis­tas vol­ta­ram à ci­da­de. O gru­po Es­ta­do Is­lâ­mi­co ocu­pou Pal­mi­ra en­tre mai2015 e mar2016, quan­do fo­ram ex­pul­sos por for­ças sí­ri­as.

Gru­po dis­si­den­te TAK as­su­me aten­ta­dos em Is­tam­bul

O gru­po opo­si­tor TAK, dis­si­dên­cia do PKK, rei­vin­di­cou a au­to­ria do du­plo aten­ta­do ocor­ri­do sá­ba­do à noi­te em Is­tam­bul, na Tur­quia. Na no­ta, o gru­po afir­ma que o al­vo dos aten­ta­dos não foi o po­vo tur­co mas sim o Es­ta­do. O anún­cio ocor­reu após os fu­ne­rais das 38 ví­ti­mas mor­tais do du­plo aten­ta­do ocor­ri­do no sá­ba­do em Is­tam­bul próximo ao es­tá­dio do Be­sik­tas. O se­cre­tá­rio-ge­ral da Otan, Jens Stol­ten­berg, con­de­nou os ata­ques; ou­tros lí­de­res eu­ro­peus enviaram men­sa­gens de so­li­da­ri­e­da­de. Além dos 38 mor­tos, hou­ve ain­da 155 fe­ri­dos.

O Es­ta­do Is­lâ­mi­co já ocu­pou Pal­mi­ra, de mai2015 a mar2016.

Mor­tos e fe­ri­dos no de­sa­ba­men­to de igre­ja no Su­des­te da Ni­gé­ria: o te­to da igre­ja es­ta­va em obras.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.