Go­ver­no ten­ta acor­do pa­ra dí­vi­da dos Es­ta­dos

Jornaldodia - - ECONOMIA -

Mais uma vez, ho­je, o go­ver­no ten­ta­rá um acor­do pa­ra vo­tar, na Câ­ma­ra, a pro­pos­ta de re­ne­go­ci­a­ção da dí­vi­da dos Es­ta­dos. On­tem, não deu: não ha­via quó­rum. Par­ti­dos de opo­si­ção que­rem re­ti­rar as con­tra­par­ti­das do re­gi­me de re­cu­pe­ra­ção fis­cal. O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), afir­mou que bus­ca­rá acor­do pa­ra que as con­tra­par­ti­das se­jam ne­go­ci­a­das no fu­tu­ro.. Ca­so não ha­ja vo­ta­ção ho­je, o te­ma só se­rá re­to­ma­do na vol­ta dos de­pu­ta­dos das fé­ri­as par­la­men­ta­res, em fev2017.

Es­ta­do do Rio: dé­fi­cit su­biu pa­ra R$ 20 bi­lhões.

De­pois de re­ver pro­je­ções pa­ra 2017, o go­ver­no do Es­ta­do do Rio au­men­tou o dé­fi­cit de R$ 15,3 bi­lhões pa­ra R$ 19,9 bi­lhões. Em seu re­la­tó­rio, o de­pu­ta­do Pe­dro Fernandes (PMDB) pro­põe cor­tes nos gas­tos de to­dos os Po­de­res. On­tem, o pre­si­den­te da Alerj, Jor­ge Pic­ci­a­ni (PMDB), de­vol­veu o pa­co­te an­ti­cri­se do go­ver­na­dor Luiz Fer­nan­do Pe­zão (PMDB), por fal­ta de acor­do. A prin­ci­pal me­di­da am­plia a con­tri­bui­ção pre­vi­den­ciá­ria dos ser­vi­do­res pa­ra 14%. Tam­bém foi de­vol­vi­do pro­je­to que adia pa­ra 2020 os re­a­jus­tes pa­ra a área de se­gu­ran­ça pú­bli­ca.

In­fla­ção abai­xo do te­to da me­ta

Caiu mais a pre­vi­são de in­fla­ção, se­gun­do ana­lis­tas con­sul­ta­dos pe­lo bo­le­tim Fo­cus, do Ban­co Cen­tral. Que­da sig­ni­fi­ca­ti­va: a pro­je­ção pas­sou de 6,52% pa­ra 6,49% e, as­sim, fi­cou abai­xo do te­to da me­ta, que é de 6,50%. Já pa­ra 2017, o ín­di­ce fi­cou em 4,90%, per­to do cen­tro da me­ta (4,50%). Di­an­te da re­ces­são e da me­lho­ra na in­fla­ção, o BC tem si­na­li­za­do que po­de cor­tar mais a ta­xa bá­si­ca. A pró­xi­ma reu­nião do Co­mi­tê de Po­lí­ti­ca Mo­ne­tá­ria (Co­pom), que de­ci­de o ju­ro, se­rá a 10 e 11jan17.

De­sem­pre­go pi­or do que pa­re­ce

Vis­to gros­so mo­do, o de­sem­pre­go no Bra­sil es­tá qua­se es­tá­vel: pas­sou de 11,6% no 2º tri­mes­tre pa­ra 11,8% no pe­río­do ju­lho a ou­tu­bro, se­gun­do es­tu­do di­vul­ga­do on­tem pe­lo Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa Econô­mi­ca Apli­ca­da (Ipea). No de­ta­lhe, po­rém, o ce­ná­rio é pi­or do que se mos­tra. Se­gun­do o Ipea, até me­a­dos de 2016, o au­men­to do de­sem­pre­go foi ate­nu­a­do pe­lo tra­ba­lho por con­ta pró­pria. Agora, es­sa ca­te­go­ria re­cu­ou 1,7% na com­pa­ra­ção en­tre 2015 e 2016. Os jo­vens en­tre 14 e 24 anos são os mais atin­gi­dos pe­lo de­sem­pre­go: che­gou a 27,7% nes­sa fai­xa.

Ch­ris­ti­ne La­gar­de cul­pa­da por ne­gli­gên­cia

Por ter per­mi­ti­do des­vio de fun­dos pú­bli­cos quan­do era mi­nis­tra da Eco­no­mia da Fran­ça (2007 a 2011), Ch­ris­ti­ne La­gar­de, atu­al di­re­to­ra-ge­ren­te do FMI, foi con­si­de­ra­da cul­pa­da, on­tem, pe­la Jus­ti­ça fran­ce­sa. Foi “ne­gli­gen­te” em não apre­sen­tar re­cur­so con­tra de­ci­são em que o em­pre­sá­rio Ber­nard Ta­pie re­ce­beu € 404 mi­lhões dos co­fres pú­bli­cos. Mes­mo as­sim, ela não se­rá pu­ni­da. O tri­bu­nal es­ti­mou que a “re­pu­ta­ção in­ter­na­ci­o­nal” da di­re­to­ra do FMI e o fa­to de que no mo­men­to dos fa­tos ela en­fren­ta­va “cri­se fi­nan­cei­ra” jus­ti­fi­ca ser isen­ta de pu­ni­ção.

Jor­ge Pic­ci­a­ni (PMDB), pre­si­den­te da Alerj: de­vo­lu­ção do pa­co­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.