Lu­la, réu pe­la quin­ta vez.

Jornaldodia - - POLÍTICA -

Im­pli­ca­do em ou­tras acu­sa­ções, o ex-pre­si­den­te Lu­la tor­nou-se on­tem réu pe­la quin­ta vez, nas Ope­ra­ções La­va-Ja­to, Ze­lo­tes e Ja­nus. Ele é apon­ta­do co­mo res­pon­sá­vel por co­man­dar “so­fis­ti­ca­da es­tru­tu­ra ilí­ci­ta pa­ra cap­ta­ção de apoio par­la­men­tar, as­sen­ta­da na dis­tri­bui­ção de car­gos pú­bli­cos”, se­gun­do o juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro. O va­lor das van­ta­gens ilí­ci­tas, se­gun­do pla­ni­lhas da Ode­bre­cht, che­ga a R$ 12,42 mi­lhões. Tam­bém vi­ra­ram réus nes­ta ação o em­pre­sá­rio Mar­ce­lo Ode­bre­cht, o ex­mi­nis­tro An­to­nio Pa­loc­ci, Ro­ber­to Tei­xei­ra e Ma­ri­sa Le­tí­cia Lu­la da Sil­va.

Gil­mar Men­des re­la­ti­vi­za cai­xa 2

“Po­de­mos ter do­a­ções le­gais. Do­a­ção le­gal com pro­pi­na. O cai­xa dois pu­ro e sim­ples. E tam­bém o cai­xa dois com pro­pi­na”. Por is­so, dis­se o mi­nis­tro do Su­pre­mo e pre­si­den­te do Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE), Gil­mar Men­des, se­rá pre­ci­so se­pa­rar tu­do e, tal­vez, fa­zer mais in­ves­ti­ga­ções. Se­gun­do ele, cai­xa 2 nem sem­pre sig­ni­fi­ca ato de cor­rup­ção. E que, se­gun­do re­la­tó­rio do Tri­bu­nal, há in­dí­ci­os de ir­re­gu­la­ri­da­des con­tra 42% dos do­a­do­res de elei­ção. Se­gun­do Men­des, as de­la­ções da Ode­bre­cht de­vem atra­sar o jul­ga­men­to da cas­sa­ção da cha­pa Dil­maTe­mer.

De­la­ções da Ode­bre­cht ana­li­sa­das no re­ces­so

Uma equi­pe de ad­vo­ga­dos do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), sob o co­man­do do mi­nis­tro Te­o­ri Za­vasc­ki, vai ana­li­sar as de­la­ções de 77 exe­cu­ti­vos da Ode­bre­cht. Os do­cu­men­tos fo­ram en­tre­gues on­tem pe­la Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca. O tra­ba­lho se­rá fei­to du­ran­te o re­ces­so do Ju­di­ciá­rio, que vai até fev2017. A de­la­ção da Ode­bre­cht é a mais aguar­da­da da La­va-Ja­to e a que tem mai­or po­ten­ci­al de pro­vo­car aba­los na po­lí­ti­ca.

Pro­cu­ra­dor quer re­ti­rar si­gi­lo

As­sim que o con­teú­do for ho­mo­lo­ga­do no Su­pre­mo, Ro­dri­go Ja­not, pro­cu­ra­dor­ge­ral da Re­pú­bli­ca, vai pe­dir re­ti­ra­da do si­gi­lo das de­la­ções da Ode­bre­cht. Foi o que in­for­mou a se­na­do­res e de­pu­ta­dos. A in­ten­ção de Ja­not ocor­re após vir a pú­bli­co a de­la­ção do ex-exe­cu­ti­vo Clau­dio Me­lo Fi­lho, que atin­giu in­te­gran­tes do Exe­cu­ti­vo, en­tre eles o pró­prio pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Mi­chel Te­mer, e vá­ri­os mi­nis­tros de seu par­ti­do, o PMDB, e do Le­gis­la­ti­vo. Te­mer pe­diu a Ja­not que dê pu­bli­ci­da­de a to­do o pro­ces­so.

Pri­são pe­di­da pa­ra faz-tu­do de Ca­bral

Ex-as­ses­sor e ‘faz-tu­do’ do ex-go­ver­na­dor Sér­gio Ca­bral Fi­lho (PMDB-RJ), o bom­bei­ro Pe­dro Ra­mos de Mi­ran­da te­ve on­tem sua pri­são pre­ven­ti­va pe­di­da pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral (MPF). Mi­ran­da não foi en­con­tra­do no en­de­re­ço in­for­ma­do quan­do pres­tou de­poi­men­to. No en­ten­di­men­to do MPF, há ris­co de que ele co­me­ta ou­tros cri­mes pa­ra es­con­der os fa­tos que es­tão sen­do in­ves­ti­ga­dos pe­la Ope­ra­ção Ca­li­cu­te, que le­vou o ex­go­ver­na­dor à pri­são. O exas­ses­sor de Ca­bral é acu­sa­do de la­va­gem de di­nhei­ro e for­ma­ção de qua­dri­lha.

"So­fis­ti­ca­da es­tru­tu­ra ilí­ci­ta"

JUIZ FE­DE­RAL SÉR­GIO MO­RO,

AO ACEI­TAR A 5ª DE­NÚN­CIA CON­TRA O EX-PRE­SI­DEN­TE LU­LA.

Mi­nis­tro Gil­mar Men­des, do Su­pre­mo e do TSE: cai­xa 2 nem sem­pre sig­ni­fi­ca ato de cor­rup­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.