In­cên­dio em Por­tu­gal po­de ter si­do cri­mi­no­so

Jornaldodia - - INTERNACIONAL -

O pre­si­den­te da Li­ga dos Bom­bei­ros de Por­tu­gal, Jai­me Mar­ta So­a­res, afir­mou on­tem ter cer­te­za de que o in­cên­dio em Pe­dró­gão Gran­de, que fez 64 ví­ti­mas, te­ve “mão cri­mi­no­sa”. Ele ques­ti­o­nou a ver­são de que o fo­go co­me­çou após uma tro­vo­a­da se­ca, por­que, se­gun­do ele, o in­cên­dio co­me­çou du­as ho­ras an­tes da tal tro­vo­a­da. “O in­cên­dio já ti­nha gran­des pro­por­ções quan­do a tro­vo­a­da co­me­çou”, dis­se ele. So­a­res pe­diu que se apu­rem to­dos os “por­me­no­res” pa­ra que a si­tu­a­ção se­ja es­cla­re­ci­da. On­tem, o co­man­dan­te re­gi­o­nal da Pro­te­ção Ci­vil, Vi­tor Vaz Pinto, in­for­mou que “qua­se 95% do in­cên­dio es­tá sob con­tro­le, ou se­ja, con­ti­do mas não apa­ga­do”.

Pro­cu­ra­do­ra diz que há “es­ta­do de ter­ror” na Ve­ne­zu­e­la

A pro­cu­ra­do­ra-ge­ral da Ve­ne­zu­e­la, Lui­sa Or­te­ga, dis­se on­tem que es­tá “pre­pa­ra­da pa­ra tu­do”, de­pois que a Su­pre­ma Cor­te do país au­to­ri­zou um pro­ces­so pa­ra jul­gá-la. E de­nun­ci­ou que a Jus­ti­ça ve­ne­zu­e­la­na es­tá sen­do usa­da con­tra dis­si­den­tes po­lí­ti­cos. Cha­vis­ta, Or­te­ga dis­cor­da do pre­si­den­te Ni­co­lás Ma­du­ro. “La­men­ta­vel­men­te na Ve­ne­zu­e­la não há Es­ta­do de Di­rei­to, mas um Es­ta­do de ter­ror”. “O Po­der Le­gis­la­ti­vo foi anu­la­do e ago­ra se pre­ten­de anu­lar o Po­der Mo­ral” (da Pro­cu­ra­do­ria).

Des­truí­do o mi­na­re­te in­cli­na­do de Mos­sul

Na ci­da­de ira­qui­a­na de Mos­sul, on­de o gru­po ex­tre­mis­ta Es­ta­do Is­lâ­mi­co fez a pri­mei­ra pro­cla­ma­ção de seu ca­li­fa­do em 2014, o icô­ni­co mi­na­re­te in­cli­na­do da Gran­de Mes­qui­ta foi des­truí­do. O pri­mei­ro-mi­nis­tro ira­qui­a­no, Hai­der alA­ba­di, acu­sou os jiha­dis­tas do EI pe­la des­trui­ção e dis­se que a ação cons­ti­tui um re­co­nhe­ci­men­to da der­ro­ta. Mas os jiha­dis­tas acu­sam a avi­a­ção dos EUA de ter des­truí­do o mo­nu­men­to em um bom­bar­deio.

Po­lí­cia es­pa­nho­la pren­de 3 su­pos­tos ter­ro­ris­tas

Três su­pos­tos ter­ro­ris­tas mar­ro­qui­nos fo­ram de­ti­dos on­tem pe­la po­lí­cia es­pa­nho­la em Ma­dri. Um dos de­ti­dos foi clas­si­fi­ca­do co­mo “ex­tre­ma­men­te pe­ri­go­so” e, se­gun­do o Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or es­pa­nhol, é um de­cla­ra­do mem­bro do Es­ta­do Is­lâ­mi­co. O ho­mem, de 32 anos, ti­nha uma gran­de quan­ti­da­de de ma­te­ri­al in­for­ma­ti­vo do EI, en­si­nan­do co­mo co­me­ter aten­ta­dos, as­sim co­mo do­cu­men­tos pa­ra dou­tri­nar e for­mar no­vos ter­ro­ris­tas. Acre­di­ta-se que os ou­tros dois de­ti­dos, de 33 e 38 anos, es­ta­vam sen­do trei­na­dos.

Go­ver­no bri­tâ­ni­co man­te­rá in­ves­ti­men­to em se­gu­ran­ça

A rai­nha Eli­za­beth II fez on­tem no Par­la­men­to seu dis­cur­so que mar­ca o iní­cio do ano le­gis­la­ti­vo. Com o ma­ri­do, prín­ci­pe Phi­lip, in­ter­na­do, ela foi ao Par­la­men­to com o fi­lho, o prín­ci­pe her­dei­ro Char­les. A mo­nar­ca leu um do­cu­men­to pre­pa­ra­do pe­lo go­ver­no, des­cre­ven­do as pri­o­ri­da­des pa­ra o ano. En­tre os te­mas, Eli­za­beth II rei­te­rou que o go­ver­no con­ti­nu­a­rá a des­ti­nar 2% do PIB à De­fe­sa, di­an­te dos re­cen­tes aten­ta­dos que o país en­fren­tou. E que ha­ve­rá um inqué­ri­to pú­bli­co in­te­gral so­bre o trá­gi­co in­cên­dio na Gren­fell Tower.

A Su­pre­ma Cor­te da Ve­ne­zu­e­la au­to­ri­zou pro­ces­so con­tra Luí­sa Or­te­ga

Mi­na­re­te in­cli­na­do de Mos­sul: Es­ta­do Is­lâ­mi­co cul­pa a avi­a­ção dos EUA pe­la des­trui­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.