Re­fis: acer­to en­tre de­pu­ta­dos e go­ver­no.

Jornaldodia - - ECONOMIA -

Pré-acor­do so­bre a MP que cria o no­vo Re­fis (par­ce­la­men­to tri­bu­tá­rio de dí­vi­das) foi fe­cha­do on­tem en­tre li­de­ran­ças da Câ­ma­ra e a equi­pe econô­mi­ca. O acer­to pre­vê con­di­ções mais su­a­ves pa­ra um nú­me­ro mai­or de de­ve­do­res. O li­mi­te da dí­vi­da foi ele­va­do de R$ 15 mi­lhões pa­ra R$ 30 mi­lhões, de acor­do com Jo­sé Ro­cha (BA), lí­der do PR na Câ­ma­ra. Em­pre­sas po­de­rão ter des­con­to de até 60% na mul­ta e de até 90% nos ju­ros. Na no­va MP, o pra­zo de ade­são se­rá es­ten­di­do de 31ago17 pa­ra 29set17.

No­vas alí­quo­tas Pi­o­res con­tas do pa­ra IR de go­ver­no em 21 anos re­mes­sas

Em ju­lho, o go­ver­no cen­tral — Te­sou­ro, Pre­vi­dên­cia e Ban­co Cen­tral — re­gis­trou dé­fi­cit pri­má­rio de R$ 20,15 bi­lhões. É o pi­or re­sul­ta­do pa­ra o mês des­de 1996. De ja­nei­ro a ju­lho, o dé­fi­cit che­gou a R$ 76,277 bi­lhões, ou 2% do PIB. Nos 12 me­ses en­cer­ra­dos em ju­lho, o re­sul­ta­do é ne­ga­ti­vo em R$ 183,7 bi­lhões (2,84% do PIB). Se­gun­do a se­cre­tá­ria do Te­sou­ro, Ana Pau­la Ves­co­vi, os nú­me­ros fo­ram pu­xa­dos por frus­tra­ção de re­cei­tas. Tam­bém afe­ta­ram os nú­me­ros, dis­se ela, o pa­ga­men­to de pre­ca­tó­ri­os, a an­te­ci­pa­ção do 13º e o abo­no sa­la­ri­al. Ins­tru­ção Nor­ma­ti­va da Re­cei­ta Fe­de­ral al­te­rou on­tem as alí­quo­tas so­bre re­mes­sas pa­ra o ex­te­ri­or. A no­va ins­tru­ção foi ajus­ta­da pa­ra re­fle­tir a al­te­ra­ção na tri­bu­ta­ção do ga­nho de ca­pi­tal. No ano pas­sa­do, o go­ver­no anun­ci­ou no­vas alí­quo­tas de Im­pos­to de Ren­da (IR) so­bre ga­nhos na ven­da de bens e di­rei­tos. Até en­tão, a lei apli­ca­va alí­quo­ta de 15% so­bre o ga­nho, in­de­pen­den­te de va­lor. Ago­ra, a alí­quo­ta de 15% in­ci­de so­bre ga­nhos de até R$ 5 mi­lhões. A de 17,5%, pa­ra até R$ 10 mi­lhões; 20% pa­ra até R$ 30 mi­lhões; e 22,5% aci­ma de R$ 30 mi­lhões.

Sus­pen­sa gra­ti­fi­ca­ção de juí­zes do Acre

Por de­ter­mi­na­ção do mi­nis­tro do Su­pre­mo Gil­mar Men­des, juí­zes e de­sem­bar­ga­do­res do Acre ti­ve­ram sus­pen­sas gra­ti­fi­ca­ções de ní­vel su­pe­ri­or pa­gas nos úl­ti­mos cin­co anos. Os va­lo­res de­vem ser de­vol­vi­dos. Men­des tam­bém sus­pen­deu em de­fi­ni­ti­vo qual­quer gra­ti­fi­ca­ção. O ca­so che­gou ao Su- pre­mo em 1996, pe­lo ex-de­pu­ta­do Hil­de­bran­do Pas­cho­al, con­de­na­do por par­ti­ci­par de gru­po de ex­ter­mí­nio no Acre. A ação es­tá no ga­bi­ne­te de Gil­mar des­de 2010, qu­an­do ele as­su­miu a re­la­to­ria do ca­so.

Em 21% dos la­res, nin­guém tem ren­da do tra­ba­lho.

Le­van­ta­men­to dos pes­qui­sa­do­res Sa­mu­el Fran­co e Sui­a­ni Fe­bro­ni, do Ins­ti­tu­to de Es­tu­dos de Tra­ba­lho e Sociedade (Iets) e da Opor­tu­ni­da­des Pes­qui­sas, apon­tou que, no 2º tri­mes­tre, o Bra­sil ti­nha 15,2 mi­lhões de la­res on­de nin­guém tra­ba­lha­va — ou se­ja, um em ca­da cin­co do­mi­cí­li­os (21,8%) não ti­nha ren­da de tra­ba­lho, for­mal ou não. Es­se nú­me­ro au­men­tou 22% so­bre igual pe­río­do de 2014. A pes­qui­sa ba­se­ou-se em mi­cro­da­dos da Pes­qui­sa Na­ci­o­nal por Amos­tra de Do­mi­cí­lio Con­tí­nua (Pnad Con­tí­nua), do IBGE. E foi fei­ta a pe­di­do do jor­nal Va­lor Econô­mi­co.

Gil­mar Men­des: gra­ti­fi­ca­ções a juí­zes se­rão de­vol­vi­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.