Trump aca­ba com pro­gra­ma pa­ra jo­vens imi­gran­tes

Jornaldodia - - INTERNACIONAL -

O pre­si­den­te dos EUA, Do­nald Trump, de­ci­diu on­tem aca­bar com o pro­gra­ma De­fer­red Ac­ti­on for Childho­od Ar­ri­vals (Daca), cri­a­do em 2012 pe­lo go­ver­no de Ba­rack Oba­ma. O pro­gra­ma pro­te­gia cer­ca de 800 mil jo­vens imi­gran­tes sem pa­péis, co­nhe­ci­dos co­mo ‘Dre­a­mers’. O anún­cio foi fei­to pe­lo pro­cu­ra­dor-ge­ral dos EUA, Jeff Ses­si­ons. Ele ale­gou que o pro­gra­ma fez au­men­tar o nú­me­ro de me­no­res na fron­tei­ra Sul, com “con­sequên­ci­as hu­ma­ni­tá­ri­as ter­rí­veis” e tam­bém “ti­rou o tra­ba­lho de cen­te­nas de mi­lha­res de ame­ri­ca­nos, já que es­ses ile­gais fi­ca­ram com es­ses em­pre­gos”. O Con­gres­so tem ago­ra seis me­ses pa­ra pre­pa­rar le­gis­la­ção que subs­ti­tua o pro­gra­ma Daca.

Pu­tin não acre­di­ta em efi­cá­cia de san­ções con­tra Pyongyang

O Pre­si­den­te da Rús­sia, Vla­di­mir Pu­tin, dis­se on­tem não acre­di­tar na efi­cá­cia de no­vas san­ções con­tra a Co­reia do Nor­te. Fa­lan­do du­ran­te a cú­pu­la dos paí­ses do BRICS, na Chi­na, Pu­tin dis­se que a “cri­a­ção de uma his­te­ria mi­li­tar não tem sen­ti­do” e po­de con­du­zir a “uma ca­tás­tro­fe pla­ne­tá­ria.” “A Rús­sia con­de­na os tes­tes nor­te-co­re­a­nos por­que são pro­vo­ca­do­res, mas a uti­li­za­ção de san­ções mais du­ras nes­te ca­so é inú­til e ine­fi­caz”, dis­se. Rús­sia e Chi­na ape­la­ram ao diá­lo­go e pe­di­ram o con­ge­la­men­to das ma­no­bras mi­li­ta­res con­jun­tas dos EUA e Co­reia do Sul.

EUA ven­de­rão equi­pa­men­to mi­li­tar so­fis­ti­ca­do a Seul e Tó­quio

Em sua con­ta no mi­cro­blog Twitter, o pre­si­den­te Do­nald Trump, EUA, anun­ci­ou on­tem uma gran­de ven­da de equi­pa­men­tos mi­li­ta­res ao Ja­pão e à Co­reia do Sul. “Es­tou per­mi­tin­do que Ja­pão e Co­reia do Sul com­prem uma quan­ti­da­de subs­tan­ci­al­men­te gran­de de equi­pa­men­tos mi­li­ta­res al­ta­men­te so­fis­ti­ca­dos dos Es­ta­dos Uni­dos”, es­cre­veu o pre­si­den­te. A ven­da ocor­re pou­cos di­as de­pois que a Co­reia do Nor­te re­a­li­zou seu sex­to tes­te nu­cle­ar.

Fu­ra­cão Ir­ma che­ga às An­ti­lhas com po­tên­cia má­xi­ma

O fu­ra­cão Ir­ma, o mais po­de­ro­so já re­gis­tra­do no Oce­a­no Atlân­ti­co, se apro­xi­ma das An­ti­lhas com for­ça má­xi­ma na ca­te­go­ria 5, a mais al­ta da es­ca­la Saf­fir-Simp­son. A sua for­ça é bem mai­or do que a do Har­vey, que atin­giu o Te­xas e a Loui­si­a­na. As po­pu­la­ções es­tão em aler­ta má­xi­mo. Era es­pe­ra­do que atin­gis­se as du­as ilhas fran­ce­sas de Saint-Mar­tin e Saint-Barthé­lémy, on­tem à noi­te. Na ro­ta do Ir­ma es­tão as Ilhas Vir­gens bri­tâ­ni­cas, Por­to Ri­co, Re­pú­bli­ca Do­mi­ni­ca­na, Baha­mas e, até o fim da se­ma­na, a Fló­ri­da.

Lí­der da As­sem­bleia Na­ci­o­nal da Ve­ne­zu­e­la pe­de apoio a Madri

O lí­der da As­sem­bleia Na­ci­o­nal da Ve­ne­zu­e­la, Ju­lio Borges, reu­niu-se on­tem com o pri­mei­ro-mi­nis­tro es­pa­nhol, Ma­ri­a­no Ra­joy, à pro­cu­ra de apoio con­tra o pre­si­den­te Ni­co­las Ma­du­ro. An­tes de en­con­trar-se com Ra­joy, Borges foi re­ce­bi­do pe­lo chan­ce­ler es­pa­nhol, Al­fon­so Das­tis. “Pre­ci­sa­mos de mais pres­são do po­vo ve­ne­zu­e­la­no, de mais pres­são de ou­tros paí­ses, e pres­são dos ve­ne­zu­e­la­nos que vi­vem no ex­te­ri­or. É ne­ces­sá­rio for­çar o Go­ver­no a ne­go­ci­ar, de for­ma que ha­ja uma de­ci­são de­mo­crá­ti­ca”.

O fu­ra­cão Ir­ma es­tá na mais al­ta es­ca­la de for­ça

Trump (no AirFor­ce One): sus­pen­são do pro­gra­ma que pro­te­gia 800 mil jo­vens imi­gran­tes sem do­cu­men­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.