Cláu­su­la de bar­rei­ra em 2018; fim de co­li­ga­ções em 2020.

Jornaldodia - - POLÍTICA -

Em ape­nas 15 mi­nu­tos, o ple­ná­rio do Se­na­do apro­vou on­tem, em dois tur­no, a Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) que cria cláu­su­la de bar­rei­ra pa­ra res­trin­gir o aces­so de par­ti­dos ao Fun­do Par­ti­dá­rio e ao tem­po de rá­dio e TV. Es­ta me­di­da en­tra­ria em vi­gor já nas elei­ções do ano que vem. Os se­na­do­res tam­bém apro­va­ram o fim das co­li­ga­ções par­ti­dá­ri­as nas elei­ções pa­ra de­pu­ta­dos e ve­re­a­do­res, mas só em 2020. Ho­je, os par­ti­dos po­dem se unir, fa­zen­do com que as le­gen­das co­li­ga­das se­jam con­si­de­ra­das um gru­po úni­co no mo­men­to de cal­cu­lar a dis­tri­bui­ção de ca­dei­ras.

Câ­ma­ra de­ve vo­tar ho­je fun­do de campanha

De­ve ser vo­ta­do ho­je na Câ­ma­ra pro­je­to que pro­põe o fun­do de fi­nan­ci­a­men­to pú­bli­co de cam­pa­nhas elei­to­rais. On­tem, a Câ­ma­ra vo­tou re­que­ri­men­to de ur­gên­cia, com apoio de 248 par­la­men­ta­res (184 con­tra). Na se­ma­na pas­sa­da, a fal­ta de con­sen­so foi de­ci­si­va pa­ra que o re­que­ri­men­to fos­se der­ro­ta­do. Era ne­ces­sá­rio o apoio de mai­o­ria ab­so­lu­ta, de 257 dos 513 par­la­men­ta­res. On­tem, os par­ti­dos in­te­res­sa­dos — PP, PT, PMDB, DEM, PC­doB e PSD — usa­ram o ar­ti­go 154 do Re­gi­men­to que per­mi­te mai­o­ria sim­ples.

Aé­cio se­rá jul­ga­do no Se­na­do só no dia 17

Es­ta­va pre­vis­ta pa­ra on­tem a de­ci­são do Se­na­do so­bre o afas­ta­men­to de Aé­cio Ne­ves (PSDB-MG). Mas o ple­ná­rio adi­ou a vo­ta­ção pa­ra 17out17. Aé­cio foi afas­ta­do na se­ma­na pas­sa­da, por de­ter­mi­na­ção da 1ª Tur­ma do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF). Com ba­se nas de­la­ções de exe­cu­ti­vos da J&F, Aé­cio é acu­sa­do por obs­tru­ção de Jus­ti­ça e cor­rup­ção. Ele se diz “ví­ti­ma de ar­ma­ção”. On­tem, ain­da, o re­la­tor da La­va-Ja­to, mi­nis­tro Ed­son Fa­chin, re­jei­tou pe­di­do pa­ra sus­pen­der o afas­ta­men­to.

Ma­ra­to­na de Te­mer: 42 de­pu­ta­dos.

Em 12 ho­ras, o pre­si­den­te Te­mer en­fren­tou uma ma­ra­to­na com 42 de­pu­ta­dos, an­tes do en­vio de sua de­fe­sa à Câ­ma­ra, na 2ª de­nún­cia da Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca. Te­mer é acu­sa­do de obs­tru­ção à Jus­ti­ça e cor­rup­ção. A ma­ra­to­na vi­sa, em prin­cí­pio, an­ga­ri­ar vo­tos con­tra a no­va de­nún­cia. No Twit­ter, o pre­si­den­te jus­ti­fi­cou a agen­da ex­ten­sa e vol­tou a cri­ti­car a de­nún­cia do en­tão pro­cu­ra­dor-ge­ral Ro­dri­go Ja­not. “Pre­ci­sa­mos li­dar com mais uma de­nún­cia inep­ta e sem sen­ti­do, pro­pos­ta por uma as­so­ci­a­ção cri­mi­no­sa que quis pa­rar o País”, dis­se Te­mer.

Lu­la so­bre Lu­la: “Lu­la é uma ideia”.

Em dis­cur­so no cen­tro do Rio, on­tem, bem di­an­te da se­de da Pe­tro­bras, o ex-pre­si­den­te Lu­la dis­se que, ho­je, ele “re­pre­sen­ta uma ideia”. “O Lu­la não é mais só o Lu­la. O Lu­la é uma ideia as­su­mi­da por mi­lhões de pes­so­as”, dis­se, em even­to de cen­trais sin­di­cais con­tra a pri­va­ti­za­ção de es­ta­tais. Lu­la se com­pa­rou a Ti­ra­den­tes, di­zen­do que es­te tam­bém foi per­se­gui­do, mas que su­as idei­as per­ma­ne­ce­ram após sua mor­te. “Eu não te­nho a pre­ten­são de me ma­tar. Vou en­fren­tá­los”, dis­se.

Ma­no­bra re­gi­men­tal ga­ran­tiu ur­gên­cia pa­ra fun­do de campanha

Lu­la no Rio: "O Lu­la não é mais só o Lu­la. O Lu­la é uma ideia as­su­mi­da por mi­lhões de pes­so­as".

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.