In­de­pen­den­tis­tas ob­têm maioria na Ca­ta­lu­nha

Jornaldodia - - INTERNACIONAL -

En­cer­ra­da a apu­ra­ção das elei­ções na Ca­ta­lu­nha, o par­ti­do Ciu­ta­dans, li­de­ra­do por Inés Ar­ri­ma­das, ob­te­ve o mai­or nú­me­ro de deputados — 37 do to­tal de 135 (25,36%). Mas os gran­des vi­to­ri­o­sos fo­ram os par­ti­dos in­de­pen­den­tis­tas, que ga­ran­ti­ram a maioria dos as­sen­tos par­la­men­ta­res - 70 (47,5%) — Junts per Ca­ta­lunya, do ex-pre­si­den­te Car­les Puig­de­mont, fi­cou com 21,66% e 34 deputados; a ERC-CatSí, com 21,39% e 32 re­pre­sen­tan­tes; e a CUP, com 4,45% e qua­tro as­sen­tos. Em uma elei­ção com afluên­cia re­cor­de de elei­to­res — na­da me­nos que 81,94% —, o PSC ob­te­ve 13,87% e 17 lugares, o CatCo­mú-Po­dem, 7,45% e oi­to deputados. O mai­or der­ro­ta­do foi o PP do pre­miê es­pa­nhol Ma­ri­a­no Ra­joy, com ape­nas 4,24% e três deputados.

Maioria da ONU condena po­si­ção dos EUA so­bre Je­ru­sa­lém

A As­sem­bléia Ge­ral da ONU apro­vou on­tem, por lar­ga maioria, uma re­so­lu­ção que condena a de­ci­são dos EUA de re­co­nhe­cer Je­ru­sa­lém co­mo a ca­pi­tal de Is­ra­el. O sta­tus da ci­da­de, rei­vin­di­ca­da por ju­deus e pa­les­ti­nos, es­tá pen­den­te de de­ci­são por ne­go­ci­a­ções e diá­lo­go en­tre as du­as par­tes. A em­bai­xa­do­ra dos Es­ta­dos Uni­dos na ONU, Nik­ki Ha­ley, cri­ti­cou du­ra­men­te a re­so­lu­ção. Os paí­ses ára­bes uni­ram­se con­tra os EUA na vo­ta­ção. A de­ci­são ame­ri­ca­na foi tam­bém con­de­na­da por vá­ri­os paí­ses eu­ro­peus co­mo a Fran­ça, a Ale­ma­nha e Portugal.

Cu­ba: Raúl Castro dei­xa­rá pre­si­dên­cia em abr2018.

O Parlamento de Cu­ba apro­vou on­tem uma ex­ten­são do man­da­to de Raúl Castro por dois me­ses: em lu­gar de en­cer­rar-se em 24fev18, o man­da­to se es­ten­de­rá até dia 19abr18. O adi­a­men­to foi pro­pos­to pelo Con­se­lho de Es­ta­do por cau­sa da pas­sa­gem do fu­ra­cão Ir­ma, que cau­sou 10 mor­tos e mui­tos da­nos. Acre­di­ta-se que o subs­ti­tu­to de Castro se­ja o atu­al pri­mei­ro vi­ce-pre­si­den­te, Miguel DíazCa­nel. As pró­xi­mas elei­ções se­rão as pri­mei­ras sem um can­di­da­to de no­me Castro.

Atro­pe­la­men­to “de­li­be­ra­do” fe­re 13 em Mel­bour­ne

Pelo me­nos 14 pes­so­as fi­ca­ram fe­ri­das em con­sequên­cia de um atro­pe­la­men­to de­li­be­ra­do, no cen­tro de Mel­bour­ne, Aus­trá­lia, pou­co an­tes das 17h. Mui­tos fe­ri­dos fi­ca­ram em es­ta­do con­si­de­ra­do gra­ve, in­cluin­do uma cri­an­ça em ida­de pré-es­co­lar. A po­lí­cia acre­di­ta que foi um ato de­li­be­ra­do, mas ain­da não sa­be o mo­ti­vo. Du­as pes­so­as fo­ram de­ti­das: o con­du­tor e o pas­sa­gei­ro de uma SUV.

Gu­ter­res: cri­mi­no­sos

“vão pa­gar” pe­la ex-Iu­gos­lá­via.

Uma ce­rimô­nia mar­cou, on­tem em Haia, Ho­lan­da, o en­cer­ra­men­to de­fi­ni­ti­vo do Tri­bu­nal Pe­nal In­ter­na­ci­o­nal pa­ra a ex-Iu­gos­lá­via (TPIJ). No dis­cur­so, o se­cre­tá­rio-ge­ral da ONU, Antô­nio Gu­ter­res, des­ta­cou o le­ga­do do Tri­bu­nal, que jul­gou no­mes co­mo Ra­do­van Ka­rad­zic e Slo­bo­dan Mi­lo­se­vic. Fo­ram 24 anos des­de a cri­a­ção do Tri­bu­nal, em mai1993. Gu­ter­res afir­mou que o TPIJ “con­tri­buiu pa­ra cu­rar as fe­ri­das”. To­dos que con­ti­nu­am a co­me­ter cri­mes atro­zes” no mundo “vão pa­gar por is­so”.

Junts per Ca­ta­lunya fi­cou com 21,66% e 34 deputados

As­sem­bleia Ge­ral da ONU con­tra os EUA: o go­ver­no de Do­nald Trump re­cla­mou.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.