La­do B

Malu - - Relacionamento -

Qu­em nun­ca ten­tou e quer ex­pe­ri­men­tar o se­xo anal, sai­ba que a prá­ti­ca po­de ser mui­to pra­ze­ro­sa, mas é ne­ces­sá­ria a con­fi­an­ça do par­cei­ro.

O ânus é ex­tre­ma­men­te ir­ri­ga­do e cheio de ter­mi­na­ções ner­vo­sas, dei­xan­do-o sen­sí­vel ao to­que. Há mús­cu­los anais vo­lun­tá­ri­os e in­vo­lun­tá­ri­os, ou se­ja, de­pen­dem ou não de nos­sa von­ta­de pa­ra con­trai­rem-se.

Ele foi pro­je­ta­do pa­ra a ex­cre­ção, e não pa­ra a pe­ne­tra­ção. En­tre­tan­to, po­de le­var ao pra­zer quan­do es­ti­mu­la­do cor­re­ta­men­te. Se vo­cê quer ten­tar, su­gi­ro que ex­pe­ri­men­te o to­que com os de­dos, ves­tin­do uma ca­mi­si­nha de de­do ou co­mum pa­ra se es­ti­mu­lar.

Quan­do se acos­tu­mar, co­me­ce a pra­ti­car com seu par­cei­ro, com qu­em vo­cê tem in­ti­mi­da­de, e pe­ça pa­ra que ele te­nha pa­ci­ên­cia. Ele de­ve­rá ir com cal­ma e to­can­do ini­ci­al­men­te com o de­do, mas­sa­ge­an­do a área ex­ter­na, pa­ra só en­tão ini­ci­ar a in­tro­du­ção, dei­xan­do vo­cê co­man­dar o rit­mo.

Não es­que­ça de pe­dir-lhe pa­ra apa­rar às unhas, usar lu­bri­fi­can­te à ba­se d’água e ca­mi­si­nha.

Ca­be a vo­cê pe­dir pa­ra que di­mi­nua, in­ter­rom­pa ou pros­si­ga com o ato, e lem­bre-se que é im­por­tan­te que o pra­zer se­ja de am­bas as par­tes.

Pa­po de se­xo

Va­lé­ria Wal­fri­do é pro­fes­so­ra, te­ra­peu­ta se­xu­al e au­to­ra de li­vros so­bre se­xu- ali­da­de. Si­te www.va­le­ri­awal­fri­do.com

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.