Taís Araú­jo

A atriz co­men­ta so­bre sua es­treia no PopS­tar, o re­a­lity mu­si­cal da Glo­bo

Malu - - Entrevista -

Apre­sen­tar o PopS­tar

“É tu­do mui­to no­vo pra mim. Eu já cho­rei, já fi­quei de­ses­pe­ra­da. Al­guém se apre­sen­ta e pa­re­ce que fui eu que me apre­sen­tei, por­que eu vou fa­lar com a pes­soa e es­tou su­pe­ro­fe­gan­te e ner­vo­sa.”

Mudança na carreira

“Es­se ano eu fa­ço 24 anos de carreira, e no final do ano eu fa­ço 40. Co­me­cei a tra­ba­lhar mui­to menina. De re­pen­te, aos vin­te e pou­cos anos de carreira, veio uma proposta di­fe­ren­te e eu lo­go pen­sei em acei­tar, por­que eu ama­va o pro­gra­ma e eu o as­sis­tia mui­to. En­tão, qu­an­do o Bo­ni­nho me li­gou eu nem acre­di­tei. Ele fa­lou mui­to do Mis­ter Brau, que ti­nha uma coi­sa so­bre mú­si­ca e com o pú­bli­co tam­bém. A ex­pe­ri­ên­cia que eu te­nho apre­sen­tan­do é de qua­tro anos com o Su­per Bo­ni­ta e uma tem­po­ra­da in­tei­ra do Saia Jus­ta, no GNT, mas não ti­nham pla­teia e não eram no es­que­ma re­a­lity.”

Participação em com­pe­ti­ções

“Eu de­tes­to com­pe­ti­ção. Eu não te­nho emocional para par­ti­ci­par de uma com­pe­ti­ção des­sas. Acho eles mui­to co­ra­jo­sos, por­que eu não con­se­gui­ria par­ti­ci­par de nada, nem de uma Dan­ça dos Fa­mo­sos. Eu não te­nho es­se des­pren­di­men­to, sou mui­to me­dro­sa. Eu ado­ro cor­rer ris­cos, mas es­se ris­co aí, pe­lo amor de Deus.”

Novos de­sa­fi­os

“Pro­fis­si­o­nal­men­te fa­lan­do, eu acho que é estar nes­se lu­gar no­vo, de personagens di­fe­ren­tes do que eu es­tou acos­tu­ma­da e ir para novos ca­mi­nhos. São muitos anos tra­ba­lhan­do e ago­ra acho que es­tou em uma ida­de em que as pro­pos­tas vão se abrir mais, vão sur­gir no­vas coi­sas, personagens mais ma­du­ros. Acho que es­tou nu­ma ida­de que é ‘a vi­ra­da’, em que eu vou ter a opor­tu­ni­da­de de ex­pe­ri­men­tar coi­sas no­vas.”

Fe­liz aos 40

“Eu es­tou achan­do um luxo fa­zer 40 anos. É maneiro, pas­sou tão rá­pi­do, eu es­tou emo­ci­o­na­da, fe­liz e mui­to or­gu­lho­sa do que eu cons­truí. Eu es­tou for­man­do uma fa­mí­lia que le­gal, te­nho uma carreira ba­ca­na, mi­nha re­la­ção com os meus pais é óti­ma, mi­nha re­la­ção com a mi­nha ir­mã é ma­ra­vi­lho­sa. São 40 anos de di­fi­cul­da­des e gló­ri­as. Mas as di­fi­cul­da­des estão na vi­da de to­do mundo, e a gen­te vai apren­den­do com elas tam­bém. Se fos­se só flo­res não te­ria apren­di­za­do.”

Trans­mis­são de va­lo­res

“Acho que no país que a gen­te vi­ve, não dá para fin­gir que es­tá tu­do bem para to­do mundo, por­que não es­tá. Eu te­nho que agir com res­pon­sa­bi­li­da­de. Acho que não é obri­ga­ção de to­do mundo, mas eu co­mo ar­tis­ta me ve­jo nes­sa po­si­ção. Eu te­nho pra­zer em fa­zer is­so e acho que eu te­nho que re­fle­tir o meu tem­po.”

Lar­gar a dra­ma­tur­gia

“Nun­ca! Eu sou atriz, gen­te. A Fer­nan­da Li­ma não era atriz, ela ten­tou ser e viu que não gos­ta­va, que gos­ta­va de apre­sen­tar. Po­de ser que eu con­ju­gue as coi­sas, por­que eu ado­rei apre­sen­tar. Mas eu não vou dei­xar de ser atriz, eu amo o teatro e eu já es­tou me co­çan­do por­que pa­rei a mi­nha pe­ça. Já es­tou pen­san­do em outro es­pe­tá­cu­lo.”

Ou­tros pro­je­tos

“Não sa­tis­fei­ta em estar fa­zen­do o PopS­tar, a gen­te tam­bém es­tá fa­zen­do uma série que se passa na Amazô­nia e em São Paulo, mas ain­da não co­me­ça­mos a gra­var e nem pos­so fa­lar mui­ta coi­sa so­bre is­so. Tam­bém fui es­ca­la­da para uma no­ve­la das 21h.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.