Ho­je não...

En­ten­da por que ocor­re a fal­ta de desejo se­xu­al fe­mi­ni­na

Malu - - Relacionamento -

Ocor­po fe­mi­ni­no é com­ple­xo e, em to­das as fa­ses da sua vi­da, as par­tes física e men­tal re­a­gem de for­mas dis­tin­tas. E com a li­bi­do não é di­fe­ren­te. Ela po­de flu­tu­ar cons­tan­te­men­te ao lon­go dos anos, o que é per­fei­ta­men­te nor­mal e acei­tá­vel. Ca­so vo­cê es­te­ja pas­san­do por al­gu­ma di­fi­cul­da­de se­xu­al, saiba que não es­tá so­zi­nha.

Qu­an­do há um pro­ble­ma?

A dis­fun­ção se­xu­al fe­mi­ni­na ocor­re qu­an­do uma ques­tão de cu­nho se­xu­al cau­sa so­fri­men­to pes­so­al. “A pa­la­vra-cha­ve é so­fri­men­to. Ca­so não ha­ja incô­mo­do com a si­tu­a­ção, não há pro­ble­ma a ser re­sol­vi­do”, ex­pli­ca Adri­a­na Pes­soa, es­pe­ci­a­lis­ta em en­do­cri­no­lo­gia e me­ta­bo­lo­gia pe­la Associação Médica Bra­si­lei­ra. A dis­fun­ção po­de apa­re­cer de di­ver­sas for­mas, in­cluin­do di­mi­nui­ção da li­bi­do, al­te­ra­ção da ex­ci­ta­ção, ina­bi­li­da­de de atin­gir o or­gas­mo ou dor du­ran­te o ato se­xu­al.

As fa­ses da re­la­ção

A es­pe­ci­a­lis­ta ex­pli­ca que, tra­di­ci­o­nal­men­te, o ci­clo de res­pos­ta se­xu­al é dividido em qua­tro fa­ses: desejo, es­ti­mu­la­ção e ex­ci­ta­ção, or­gas­mo e re­so­lu­ção. “No en­tan­to, es­se mo­de­lo não po­de ser apli­ca­do para to­das as mu­lhe­res já que tais fa­ses po­dem va­ri­ar, se re­pe­tir, se in­ter­co­nec­tar ou po­dem até estar au­sen­tes du­ran­te a re­la­ção. A sa­tis­fa­ção com a ex­pe­ri­ên­cia se­xu­al não pre­ci­sa atin­gir to­das as fa­ses, in­cluin­do o or­gas­mo”, co­men­ta.

Por que não te­nho desejo?

Mu­lhe­res em re­la­ci­o­na­men­to lon­go po­dem não apre­sen­tar mais o desejo da ati­vi­da­de se­xu­al, prin­ci­pal­men­te a ex­ci­ta­ção e o pra­zer. Outro as­pec­to im­por­tan­te é que a li­bi­do po­de estar re­la­ci­o­na­da a ou­tros fa­to­res além do se­xo, co­mo vontade de in­ti­mi­da­de emocional ou for­ta­le­ci­men­to da re­la­ção com o par­cei­ro. De acor­do com a es­pe­ci­a­lis­ta, o des­con­ten­ta­men­to se­xu­al atin­ge cer­ca de 40% da po­pu­la­ção fe­mi­ni­na de to­do o mundo. As quei­xas mais co­muns con­sis­tem na di­mi­nui­ção do desejo e in­ca­pa­ci­da­de de atin­gir o or­gas­mo. As cau­sas da di­mi­nui­ção da li­bi­do são mul­ti­fa­to­ri­ais e de­pen­dem da fa­se de vi­da da mulher.

Vi­si­te seu mé­di­co!

A li­bi­do fe­mi­ni­na po­de ser um ema­ra­nha­do de com­ple­xi­da­des. “É im­por­tan­te sem­pre pro­cu­rar au­xí­lio mé­di­co e psi­co­ló­gi­co qu­an­do exis­tir um fa­tor que cau­se so­fri­men­to para a mulher. Iden­ti­fi­car e tra­tar o pro­ble­ma po­de ser mais fá­cil do que vo­cê ima­gi­na”, completa Adri­a­na.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.