Os fi­lhos po­dem aju­dar!

Malu - - Abra seu coração -

Na tra­ma, Mau­ra e Ro­sa fo­ram fun­da­men­tais pa­ra a mãe en­ten­der que Age­nor era abu­si­vo em seus com­por­ta­men­tos. De­bo­ra Damasceno co­lo­ca co­mo es­sen­ci­al a aju­da da fa­mí­lia nes­ses ca­sos, fa­zen­do com que a pes­soa en­ten­da o que es­tá acon­te­cen­do de ver­da­de com a sua vi­da. “O apoio, mui­tas ve­zes, pre­ci­sa ser si­len­ci­o­so: um abra­ço, um ca­ri­nho, uma de­mons­tra­ção do que é um re­la­ci­o­na­men­to sau­dá­vel e pau­ta­do no res­pei­to”, ex­pli­ca.

Ou­ça seus fi­lhos

“Às ve­zes, apon­tar o quan­to o abu­so no re­la­ci­o­na­men­to dos pais es­tá afe­tan­do ao filho po­de ser o cho­que que a mãe pre­ci­sa pa­ra to­mar uma ati­tu­de de­fi­ni­ti­va”, ex­pli­ca. Por­tan­to, se vo­cê é mãe e já re­ce­beu al­gu­ma ten­ta­ti­va de con­ver­sa so­bre es­se as­sun­to, sai­ba en­ten­der que seus fi­lhos es­tão à pro­cu­ra do seu bem. Ago­ra, se vo­cê es­tá no pa­pel de fi­lha e vê sua mãe so­fren­do num re­la­ci­o­na­men­to as­sim, tam­bém é seu de­ver in­ter­fe­rir e mos­trar que há ou­tros ca­mi­nhos. Po­rém, sem­pre co­lo­can­do o res­pei­to aci­ma de qual­quer coi­sa. “Se a pes­soa se sen­tir jul­ga­da ou acu­a­da de al­gu­ma for­ma, ela po­de dei­xar de re­cor­rer à fa­mí­lia e is­so, em al­guns ca­sos, po­de ser fa­tal”, ex­pli­ca.

Li­gue grá­tis e ano­ni­ma­men­te pa­ra 180 pa­ra de­nun­ci­ar ca­sos de vi­o­lên­cia con­tra a mu­lher.

Mau­ra sem­pre de­fen­deu a mãe e foi uma das res­pon­sá­veis por abrir seus olhos.

Age­nor nun­ca acei­tou que Ni­ce tra­ba­lhas­se. Quan­do ela re­ce­beu a pro­pos­ta pa­ra co­zi­nhar no res­tau­ran­te de Ca­cau (Fa­bíu­la Nas­ci­men­to), ele fi­cou en­fu­re­ci­do com a es­po­sa.

Em­po­de­ra­da, Ni­ce foi con­vi­da­da pa­ra o pro­gra­maMais Vo­cê, de Ana Ma­ria Bra­ga, e mes­mo com a re­lu­tân­cia do ma­ri­do, fez bo­ni­to na te­li­nha.

As crí­ti­cas do ma­ri­do sem­pre fi­ze­ram mal à co­zi­nhei­ra, que nun­ca deu va­lor às pró­pri­as qua­li­da­des.

Ro­sa tam­bém não fi­cou atrás e deu to­do apoio pa­ra a mãe se des­ven­ci­lhar das gar­ras do pai.

A fa­mí­lia foi fun­da­men­tal pa­ra abrir os olhos de Ni­ce.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.