Era uma vez uma mu­lher que ti­ra­va a mai­or onda...

So­zi­nha nu­ma cela, Da­nú­bia não recusa quentinha de ar­roz, fei­jão e car­ne

Meiahora - RJ - - POLÍCIA -

Da­nú­bia Ran­gel, mu­lher de An­to­nio Francisco Bon­fimLo­pes,oNem­daRo­ci­nha,es­tá­so­zi­nha­e­mu­ma­ce­la­de6 me­tros­qua­dra­dos­naCa­dei­aJo­a­quimFer­rei­ra­deSou­za,noCom­ple­xo de Ge­ri­ci­nó, Zo­na Oes­te do Rio. Se­gun­do a Se­cre­ta­ria de Ad­mi­nis­tra­çãoPe­ni­ten­ciá­ria(Se­ap), oi­so­la­men­to­faz­par­te­de­pro­ces­so de tri­a­gem. Ontem, ela não re­cu­sou a quentinha com ar­roz, fei­jão e car­ne, além de gua­ra­ná na­tu­ral.

Se­gun­do agentes pe­ni­ten­ciá­ri­os, quan­do a mu­lher de Nem, que ado­ra­va se exi­bir e os­ten­tar ri­que­zas em re­des so­ci­ais, en­trou na cadeia, ou­tras in­ter­nas gri­ta­ram: “Olha ela, a xerifa!”, em re­fe­rên­cia ao ape­li­do de Da­nú­bia na Fa­ve­la da Ro­ci­nha.

A de­fe­sa de Da­nú­bia avi­sou que irá en­trar com recurso pa­ra anu­lar o pro­ces­so que con­de­nou amu­lher­deNe­ma28a­nos­de­pri­são por trá­fi­co de dro­gas, as­so­ci­a­ção ao trá­fi­co e cor­rup­ção. Uma das­pro­va­su­sa­das­na­con­de­na­ção foi uma in­ter­cep­ta­ção te­lefô­ni­ca.

“Ela fa­la­va so­bre uma en­tre­ga de dinheiro pa­ra VP. Is­so po­de sig­ni­fi­car­mui­tas­coi­sas,co­moVa­le­doPa­raí­ba,Vi­la”,dis­se­o­ad­vo­ga­do Marcelo Cruz. VP é o ape­li­do de Mar­cio Ne­po­mu­ce­no, um dos che­fes do Co­man­do Ver­me­lho.

Da­nú­bia foi cap­tu­ra­da ter­ça­fei­ra, no bair­ro Tauá, na Ilha do Go­ver­na­dor. Ela estava sain­do da ca­sa­deu­ma­a­mi­ga,em­di­re­ção­ao Mor­ro­doDen­dê,quan­do­foi­pre­sa por po­li­ci­ais das de­le­ga­ci­as da Pa­vu­na e de No­va Igua­çu. Nem cumpre pe­na na pe­ni­ten­ciá­ria de Por­toVe­lho,em Rondô­nia.

ALEXANDRE BRUM

Mu­lher­deNem,ex-che­fe­do­pó­naRo­ci­nha,Da­nú­bi­a­se­gu­ra­o­seu­gua­ra­ná­na­tu­ra­la­ca­mi­nho­da­jau­la

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.