Tem al­go er­ra­do aí

Mente Curiosa - - NEWS -

Re­su­mi­da­men­te, pro­ces­sos co­mo o apren­di­za­do, o pen­sa­men­to e o ra­ci­o­cí­nio não se­ri­am pos­sí­veis sem a me­mó­ria – são con­cei­tos que es­tão to­tal­men­te re­la­ci­o­na­dos. Uma boa apren­di­za­gem e um de­sem­pe­nho sa­tis­fa­tó­rio nos es­tu­dos se de­vem a uma boa me­mo­ri­za­ção. Is­so por­que as in­for­ma­ções que vo­cê ne­ces­si­ta – co­mo as di­fe­ren­ças en­tre brió­fi­tas e pte­ri­dó­fi­tas, em uma pro­va, por exem­plo – só po­dem ser aces­sa­das se es­ti­ve­rem de­vi­da­men­te fi­xa­das em sua men­te.

Uma das prin­ci­pais re­cla­ma­ções dos es­tu­dan­tes é, jus­ta­men­te, so­bre a me­mo­ri­za­ção das in­for­ma­ções con­su­mi­das. Ou me­lhor, so­bre a di­fi­cul­da­de em fa­zê-la. Quem nun­ca pe­gou um livro qual­quer, ini­ci­ou a lei­tu­ra e, al­gu­mas pá­gi­nas de­pois, já não sa­bia mais do que se tra­ta­va o as­sun­to? Pa­ra o neu­ro­lin­guis­ta Vic­tor Pa­trick, um dos mo­ti­vos pa­ra es­se pro­ble­ma são os maus há­bi­tos que man­te­mos na ho­ra do es­tu­do. “De­vi­do à ma­nei­ra que es­sas in­for­ma­ções são re­ce­bi­das, tra­ta­das e ar­ma­ze­na­das em nos­so no cé­re­bro, o aces­so cons­ci­en­te a es­ses da­dos fi­ca com­pro­me­ti­do quan­do mais pre­ci­sa­mos”, ana­li­sa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.