Co­mo o te­ma vem sen­do dis­cu­ti­do?

Mente Curiosa - - NEWS -

Por in­ves­ti­rem no pro­ces­so de trans­for­ma­ção dos cor­pos, os transgêneros aca­bam sen­do dis­cri­mi­na­dos de for­ma des­pro­por­ci­o­nal até mes­mo em com­pa­ra­ção ao res­tan­te da co­mu­ni­da­de LGBT (Lés­bi­cas, Gays, Bis­se­xu­ais, Tra­ves­tis, Trans­se­xu­ais e Transgêneros). Es­sa ade­qua­ção da iden­ti­da­de e do cor­po não é fá­cil. No Bra­sil, não há ne­nhu­ma lei es­pe­cí­fi­ca pa­ra a mu­dan­ça de no­me e gê­ne­ro. Os in­te­res­sa­dos de­vem en­trar na Jus­ti­ça pa­ra pe­dir a re­ti­fi­ca­ção, e o pro­ces­so re­quer tes­te­mu­nhas e ava­li­a­ção mé­di­ca. Se­gun­do uma no­ta pu­bli­ca­da pe­la Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal dos Bis­pos do Bra­sil (CNBB), Dom Fer­nan­do Arêas Ri­fan, Bis­po da Ad­mi­nis­tra­ção Apos­tó­li­ca Pes­so­al São João Ma­ria Vi­an­ney (Rio de Ja­nei­ro), acre­di­ta que “as ex­pres­sões gê­ne­ro ou ori­en­ta­ção se­xu­al re­fe­rem-se a uma ide­o­lo­gia que pro­cu­ra en­co­brir o fa­to de que os se­res humanos se di­vi­dem em dois se­xos. Se­gun­do es­sa cor­ren­te ide­o­ló­gi­ca, as di­fe­ren­ças en­tre ho­mem e mu­lher, além das evi­den­tes im­pli­ca­ções anatô­mi­cas, não cor­res­pon­dem a uma na­tu­re­za fi­xa, mas são re­sul­ta­do de uma cons­tru­ção so­ci­al”. E ele vai além, jus­ti­fi­can­do as pos­sí­veis mo­ti­va­ções. “Os que ado­tam o ter­mo gê­ne­ro não es­tão que­ren­do com­ba­ter a dis­cri­mi­na­ção, mas sim des­cons­truir a fa­mí­lia (...) e, des­te mo­do, fo­men­tam um es­ti­lo de vi­da que in­cen­ti­va to­das as for­mas de ex­pe­ri­men­ta­ção se­xu­al des­de a mais ten­ra ida­de”, con­cluiu o Bis­po. Pa­ra Jú­lia, a ques­tão é to­tal­men­te di­fe­ren­te. “Ve­jo que te­mos mui­to que apren­der, pois al­guém que se sen­te mal no cor­po em que es­tá, en­tão pre­ci­sa de uma so­lu­ção. Se uma abor­da­gem psi­co­ló­gi­ca amo­ro­sa e com­pre­en­si­va não re­sol­veu, e a pes­soa che­ga à con­vic­ção que uma ci­rur­gia re­sol­ve, por que tor­nar is­so qua­se um cri­me? Se al­guém tem ore­lhas de aba­no e so­fre com is­so, faz plás­ti­ca e re­sol­ve, não é? Ou va­mos tor­nar is­so um qua­se cri­me tam­bém?”, in­da­ga a es­pe­ci­a­lis­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.