Mais do que uma ma­nia

Mente Curiosa - - EDITORIAL - Ma­ri­sa Sei, edi­to­ra ma­ri­sa.sei@as­tral.com.br

A pa­la­vra “TOC” já se po­pu­la­ri­zou, ape­sar de ser usa­da mui­tas ve­zes de mo­do equi­vo­ca­do. Você já deve ter ou­vi­do (ou mes­mo di­to) que al­guém tem TOC só por­que ajei­tou os qua­dros tor­tos na pa­re­de, ou por­que lim­pa a me­sa do tra­ba­lho di­a­ri­a­men­te, ou saiu de ca­sa e vol­tou por­que que­ria che­car se ti­nha tran­ca­do todas as por­tas. Es­sas pre­o­cu­pa­ções são nor­mais no dia a dia e não atra­pa­lham as ou­tras ati­vi­da­des, por is­so, não po­dem ser con­si­de­ra­das um trans- tor­no. O TOC vai mui­to além dis­so, tem di­fe­ren­tes cau­sas e pode cau­sar graves con­sequên­ci­as ao por­ta­dor. Com te­ra­pia e, quan­do ne­ces­sá­rio, me­di­ca­ção, é pos­sí­vel con­tro­lar o pen­sa­men­to ob­ses­si­vo e o com­por­ta­men­to com­pul­si­vo e vol­tar a ter uma vi­da nor­mal. Quer sa­ber mais so­bre o pro­ble­ma? Con­ti­nue esta edi­ção! Boa lei­tu­ra!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.