Re­a­jus­te dos ser­vi­do­res não au­men­ta rom­bo, diz go­ver­no

Pla­nal­to re­a­ge às crí­ti­cas de gas­tan­ça em meio a cor­te de des­pe­sas e jus­ti­fi­ca que gas­tos fo­ram ne­go­ci­a­dos por Dil­ma e es­tão pre­vis­tos no or­ça­men­to. Pro­je­tos se­guem pa­ra o Se­na­do

Metro Brazil (ABC) - - Brasil -

Após ser fi­a­dor da apro­va­ção pe­la Câ­ma­ra do re­a­jus­te sa­la­ri­al pa­ra ser­vi­do­res pú­bli­cos, o go­ver­no Te­mer pre­ci­sou apre­sen­tar jus­ti­fi­ca­ti­vas de que não ha­ve­ria au­men­to ines­pe­ra­do das des­pe­sas pú­bli­cas nem com­pro­me­ti­men­to do ajus­te fis­cal, que já pre­vê rom­bo nas con­tas de R$ 170 bi­lhões es­te ano.

Só a ele­va­ção dos sa­lá­ri­os dos mi­nis­tros do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral tem im­pac­to de R$ 2,7 bi­lhões por ano, de­vi­do ao efei­to-cas­ca­ta no Ju­di­ciá­rio.

O mi­nis­tro Eli­seu Pa­di­lha (Ca­sa Ci­vil) ad­mi­tiu que as des­pe­sas fo­ram ne­go­ci­a­das no go­ver­no Dil­ma Rous­seff, in­clu­si­ve com pre­vi­são or­ça­men­tá­ria. “Os au­men­tos apro­va­dos, ne­go­ci­a­dos pe­lo go­ver­no an­te­ri­or, não su­pe­ram a in­fla­ção do pe­río­do. Pe­lo con­trá­rio, fi­cam abai­xo. Ou se­ja, es­tão en­qua­dra­dos no re­gi­me de te­to de cres­ci­men­to dos gas­tos”, de­cla­rou.

| LULA MAR­QUES/AGÊNCIA PT

Dyo­go Oli­vei­ra e Eli­seu Pa­di­lha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.