A bai­o­ne­ta e a Ave Ma­ria

Metro Brazil (ABC) - - Brasil -

Nos idos de 1950, o en­tão te­nen­te (de­pois co­ro­nel) Jo­sé Wa­dih Cury fa­zia a ron­da no­tur­na na Es­co­la de Pa­ra­que­dis­tas, na Vi­la Mi­li­tar, Rio. Eram 2h da ma­nhã e ele no­tou o com­por­ta­men­to es­tra­nho de um sol­da­do. Re­sol­veu en­tão se apro­xi­mar e viu que ele dor­mia um so­no pro­fun­do, apoi­an­do o quei­xo no fu­zil. De re­pen­te, o so­no­len­to acor­dou, mas não pas­sou re­ci­bo. Sem abrir o olho, ape­nas bal­bu­ci­ou: - ...Ave Ma­ria, cheia de gra­ça... Ao con­cluir a ora­ção, o sol­da­do es­per­to abriu o olho e ba­teu con­ti­nên­cia: - Por aqui tu­do cal­mo, te­nen­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.