Após ma­no­bra, vo­ta­ção de cas­sa­ção de Cu­nha é adi­a­da

De­pois de mui­to ba­te-bo­ca, Con­se­lho de Éti­ca da Câ­ma­ra pa­ra­li­sa pro­ces­so sem da­ta de­fi­ni­da pa­ra des­fe­cho

Metro Brazil (ABC) - - Brasil -

De­pois de cin­co ho­ras de dis­cus­são e, mais uma vez, mui­to ba­te-bo­ca, o Con­se­lho de Éti­ca da Câ­ma­ra adi­ou pa­ra da­ta a ser de­fi­ni­da a vo­ta­ção do pe­di­do de cas­sa­ção do pre­si­den­te afas­ta­do da Ca­sa, Edu­ar­do Cu­nha (PMDB-RJ). O pro­ces­so es­tá há se­te me­ses em tra­mi­ta­ção – a mais lon­ga da his­tó­ria –, e mes­mo as­sim se­gue sen­do al­vo de ma­no­bras.

O de­pu­ta­do João Carlos Ba­ce­lar (PR-BA), ali­a­do de Cu­nha, apre­sen­tou vo­to em se­pa­ra­do su­ge­rin­do pe­na mais bran­da: a sus­pen­são do man­da­to por três me­ses – na prá­ti­ca, pu­ni­ção ine­xis­ten­te, con­si­de­ran­do-se que Cu­nha já es­tá afas­ta­do por de­ter­mi­na­ção do STF (Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral). Re­la­tor do pro­ces­so, Mar­cos Ro­gé­rio (DEM-RO) pe­diu vis­ta pa­ra ana­li­sar a pro­pos­ta. A vo­ta­ção se­ria ho­je, mas, co­mo foi mar­ca­da ses­são do ple­ná­rio pe­la ma­nhã, a reu­nião foi can­ce­la­da. Sumiço A ses­são de on­tem foi mar­ca­da pe­la ex­pec­ta­ti­va do vo­to de­ci­si­vo de Tia Eron (PRB-BA), no­va­ta no co­le­gi­a­do, que nun­ca se ma­ni­fes­tou no pro­ces­so e ace­nou com vo­to con­tra Cu­nha. A de­pu­ta­da, po­rém, não apa­re­ceu. Pre­fe­riu fi­car iso­la­da na sa­la da li­de­ran­ça do par­ti­do. A au­sên­cia fa­vo­re­ce­ria Cu­nha, uma vez que Carlos Ma­run (PMDB-MS), de­fen­sor fer­re­nho do pre­si­den­te afas­ta­do da Câ­ma­ra, se­ria o su­plen­te a vo­tar, o que dei­xa­ria o pla­car em 11 a 9 pe­lo ar­qui­va­men­to do pro­ces­so. “Não me fur­ta­rei a cum­prir com meu de­ver”, afir­mou Tia Eron, por meio de no­ta, na qual diz que com­pa­re­ce­ria à vo­ta­ção. Xin­ga­men­tos A di­vi­são de po­si­ções no con­se­lho aca­bou em tro­ca de ofen­sas, en­tre Zé Ge­ral­do (PT-PA) e Wla­di­mir Cos­ta (SD-PA). Após Cos­ta fa­zer um vo­to de­fen­den­do Cu­nha e ata­can­do a pre­si­den­te afas­ta­da, Dilma Rous­seff, o pe­tis­ta re­a­giu. “Nem se la­var a bo­ca com so­da cáus­ti­ca du­ran­te uma se­ma­na ele po­de fa­lar mal do PT e da pre­si­den­te Dilma. Es­se par­la­men­tar no Pa­rá tá mais su­jo que pau de ga­li­nhei­ro”, ata­cou Ge­ral­do, ci­tan­do a de­nún­cia con­tra Cos­ta de uso de sa­lá­ri­os de as­ses­so­res pa­ra be­ne­fi­ci­ar uma ONG. “O se­nhor é va­ga­bun­do, ban­di­do. Ca­la a tua bo­ca, va­ga­bun­do. Vo­cê é la­drão sa­fa­do”, re­a­giu o de­pu­ta­do do SD. Ri­to adi­a­do A CCJ (Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça) adi­ou a vo­ta­ção de um pa­re­cer em res­pos­ta à con­sul­ta en­ca­mi­nha­da pe­lo pre­si­den­te in­te­ri­no da Câ­ma­ra, Wal­dir Ma­ra­nhão (PP-MA), que po­de be­ne­fi­ci­ar Cu­nha. O pa­re­cer, da­do pe­lo pre­si­den­te da CCJ, Arthur Li­ra (PP-AL), ou­tro ali­a­do de Cu­nha, be­ne­fi­cia o pre­si­den­te afas­ta­do. Ele es­ta­be­le­ce que, ca­so o Con­se­lho de Éti­ca re­jei­te o pa­re­cer pe­la cas­sa­ção, a de­nún­cia de per­da de man­da­to é au­to­ma­ti­ca­men­te ar­qui­va­da, e a de­ci­são que de­ve­rá ser ana­li­sa­da no ple­ná­rio po­de­rá so­men­te de­fi­nir pe­nas al­ter­na­ti­vas.

Se a CCJ con­fir­mar a po­si­ção, Cu­nha po­de es­ca­par da cas­sa­ção já se ven­cer no con­se­lho. Pe­la in­ter­pre­ta­ção atu­al, o pa­re­cer pe­la cas­sa­ção even­tu­al­men­te der­ro­ta­do no con­se­lho po­de ser apro­va­do pe­lo ple­ná­rio.

METRO BRASÍLIA

| ALAN MARQUES/FOLHAPRESS

Wla­di­mir Cos­ta (SD-PA) tro­ca ofen­sas com Zé Ge­ral­do (PT-PA)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.