Tempo ruim afas­ta do­a­do­res dos ban­cos de san­gue do ABC

Pe­río­do de ar­ma­ze­na­gem do es­to­que di­mi­nuiu pe­la me­ta­de em maio; Col­san faz ações pa­ra atrair pes­so­as aos pos­tos de co­le­ta

Metro Brazil (ABC) - - Foco -

Com as chu­vas atí­pi­cas pa­ra o ou­to­no e o frio in­ten­so, as do­a­ções de san­gue di­mi­nuí­ram em qua­se 20% nos qua­tro pos­tos de co­le­ta do ABC em maio. A equi­pe da Col­san (As­so­ci­a­ção Be­ne­fi­cen­te de Co­le­ta de San­gue) re­a­li­za uma ver­da­dei­ra for­ça ta­re­fa pa­ra não fal­tar es­to­que nos hos­pi­tais da re­gião.

A as­so­ci­a­ção é res­pon­sá­vel por abas­te­cer as uni­da­des hos­pi­ta­la­res do ABC com bol­sas de san­gue. Com o ex­ces­so de chu­va e a que­da na tem­pe­ra­tu­ra, o vo­lu­me do es­to­que dis­po­ní­vel di­mi­nuiu pe­la me­ta­de, pas­sou de 20 pa­ra 10 di­as de abas­te­ci­men­to.

“O tempo foi o prin­ci­pal fa­tor que afu­gen­tou a po­pu­la­ção. A que­da de 20% no mês pas­sa­do não é co­mum. Em maio fo­ram 4,3 mil do­a­ções, cer­ca de 1,3 mil pes­so­as a me­nos do que a mé­dia men­sal ha­bi­tu­al. Is­so nos pre­o­cu­pa mui­to. Te­me­mos fal­tar san­gue pa­ra as ci­rur­gi­as, en­tão, or­ga­ni­za­mos um con­jun­to de ações pa­ra re­ver­ter es­se nú­me­ro”, dis­se So­lan­ge Ri­os, ge­ren­te re­gi­o­nal da Col­san.

De acor­do com a as­so­ci­a­ção, são uti­li­za­das cer­ca de 4,5 mil bol­sas de san­gue por mês nos hos­pi­tais do ABC. “Re­cor­re­mos aos fa­mi­li­a­res de pa­ci­en­tes in­ter­na­dos, em­pre­sas e uni­ver­si­da­des pa­ra sen­si­bi­li­zar so­bre a im­por­tân­cia de ser um do­a­dor. O vo­lu­me co­le­ta­do em maio foi mui­to pró­xi­mo da de­man­da e is­so é pe­ri­go­so. Se tem fal­ta é ne­ces­sá­rio can­ce­lar ci­rur­gi­as e tra­ta­men­tos”, dis­se So­lan­ge.

A quan­ti­da­de dis­po­ní­vel do san­gue de fa­tor ne­ga­ti­vo, de to­dos os ti­pos, é o mais es­cas­so nas uni­da­des. “Uma pe­que­na par­ce­la da po­pu­la­ção tem o RH ne­ga­ti­vo e por is­so é nor­mal sem­pre ter me­nos. Des­ta vez foi mais acen­tu­a­do. Con­vi­da­mos os ca­das­tra­dos no nos­so ban­co de da­dos a vi­rem aos pos­tos pa­ra di­mi­nuir o pro­ble­ma da re­ser­va”, dis­se a ge­ren­te da Col­san.

O tempo de aten­di­men­to nas uni­da­des pa­ra do­ar é rá­pi­do, cer­ca de uma ho­ra.

A ca­pa­ci­da­de de ar­ma­ze­na­gem da Col­san é de 7 mil bol­sas de san­gue. No pe­río­do do in­ver­no é co­mum cair as do­a­ções. Di­an­te do es­for­ço da as­so­ci­a­ção, até on­tem fo­ram 1,9 mil bol­sas co­le­ta­das e a ex­pec­ta­ti­va é de ba­ter a mé­dia men­sal de 5,6 mil.

ERIC RO­ME­RO/PMSCS

Bai­xo es­to­que de bol­sas de san­gue po­de re­sul­tar em can­ce­la­men­to de ci­rur­gi­as e tra­ta­men­tos|

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.